O Garoto da Casa ao Lado


Como sou fã de Meg Cabot, já fiz uma tentativa de ler esse livro pela internet como todos os outros dessa escritora, mas não aceitei muito o fato de ele ser todo escrito em e-mails. Mas quando se trata de livro emprestado, ou seja, em mãos, eu tenho que ler! (dá para perceber que a maioria das coisas que escrevo aqui são emprestadas, mas deixe isso de lado). Confesso que acabei de ler o livro, li em menos de seis horas e olha que ele tem 394 páginas.

A história é sobre Melissa Fuller, a jornalista de celebridades do The New York Journal e está quase perdendo o emprego por chegar pela 37º vez atrasada. Mas, dessa vez, ela tem uma desculpa. Sua vizinha, uma velhinha de oitenta anos, chamada Hellen Friedlander, foi encontrada por Mel, em seu apartamento, desmaiada por causa de um golpe na cabeça. Agora Mel terá de cuidar dos bichinhos dela: Chico Bum e Sr. Botucas (gatos) e Paco (cachorro). Como ela continua chegando atrasada ao seu emprego, ela tenta achar algum parente próximo da velhinha, para que cuide dos seus animais. Aí que entra Max Friedlander, um fotógrafo famoso e sem coração, que em vez de ajudar sua tia, manda em seu lugar, um amigo chamado John Trent para se passar por ele. Ou seja, o garoto da casa ao lado :)

A história é super criativa. Principalmente (como eu já disse antes), por ser escrita em forma de e-mails. Você verá os e-mails que são mandados por Mel, John, Max, Nadine (melhor amiga de Mel), entre outros muitos personagens da história. O mais legal é descobrir o que cada um manda para o outro, isso mostra a falsidade de uns e a loucura de outros. Não tem como não rir lendo vários dos e-mails, ou chorar de tão lindo que são alguns.
Não tem como não amar um livro de Meg Cabot, ainda mais quando fala de relacionamentos, tanto adultos (como no caso desse livro) como de adolescentes. E a personagem principal, Melissa, não fica a desejar, além de ter respostas ácidas na ponta da língua (ou na ponta dos dedos, já que as respostas vem em e-mails), ela é super diferente e tem um jeito excêntrico. No final do livro, achei que ela teve uma atitude infantil, maaaaas se não fosse essa atitude, nada teria se resolvido no final do livro.
Só sei que a história me lembro um pouco O Segredo de Emma Corrigan, talvez por isso gostei tanto de ambos. Se vale a pena ler o livro? Acho que muitas pessoas já o leram, mas se não leu, só de eu mencionar que é da Meg Cabot, já seria mais do que um motivo para tê-lo em mãos.

0 Comentários:

Deixe seu comentário