Perfume: A História de um Assassino

Paris, 1738. Jean-Baptiste Grenouille (Ben Whishaw) nasceu em um mercado de peixe, onde sua mãe (Birgit Minichmayr) trabalhava como vendedora. Ela o tinha abandonado, mas o choro de Jean-Baptiste faz com que seja descoberto pelos presentes na feira. Isto também faz com que sua mãe seja presa e condenada à morte. Entregue aos cuidados da Madame Gaillard (Sian Thomas), que explora crianças órfãs, Jean-Baptiste cresce e logo descobre que possui um dom incomum: ele é capaz de diferenciar os mais diversos odores à sua volta. Intrigado, Jean-Baptiste logo demonstra vontade de conhecer todos os odores existentes, conseguindo diferenciá-los mesmo que estejam longe do local em que está. Já adulto, ele torna-se aprendiz na perfumaria de Giuseppe Baldini (Dustin Hoffman), que passa por um período de pouca clientela. Logo Jean-Baptiste supera Baldini e, criando novos perfumes, revitaliza a perfumaria. Jean-Baptiste cada vez mais se interessa em manter o odor de forma permanente, o que faz com que busque meios que possibilitem que seu sonho se torne realidade. Só que, em suas experiências, ele passa a tentar capturar o odor dos próprios seres humanos.

Quando eu ouvi falar sobre esse filme, logo meio veio a mente a história de um cara aristocrata, realmente psicopata que seduzia mulheres para fazer experimentos, cortando as peles delas e guardando seu perfume em banha. Como pode ver, minha dedução foi bastante errada. Também me avisaram que o filme é super nojento, e acredite, não achei NADA nojento, nesse quesito eu esperava bem mais. As mortes foram super suaves e não mostrou nada demais.

Mesmo assim a história é super bem feita e a achei criativa. Jean-Baptiste não é o cara aristocrata psicopata que eu pensava, ele é apenas uma pessoa que passou por muitas dificuldades na vida, já que perdeu sua mãe, viveu em um orfanato e trabalho duro por muitos anos. Ele me pareceu bastante bobo, mas por ter olfato aguçado, ele era capaz de reconhecer muitas das coisas que deixamos passar.

O real motivo de ele ter começado a matar mulheres, é porque um dia ele acabou se apaixonando pelo perfume de uma delas. Com aquilo na cabeça, ele começou a buscar maneiras de preservar as fragâncias que há no corpo, por isso precisou fazer vários experimentos e assassinar mulheres. Mesmo isso parecendo arte em alguns pontos de vista, o cara tinha algum problema sério mesmo.

Há algumas partes do filme que eu achei exagero, mas como é ficção e o enredo é bom, acompanhei até o final e achei super impressionante. Jean-Baptiste não era de todo mal, só não conhecera o amor e por ter sofrido muito, depositou toda sua angústia naquele objetivo maluco dele. Sei que faz tempo que o filme saiu, mas nunca tive a oportunidade de assistir e nem queria pelo fato de que me falaram que era NOJENTO. E nem é.

Trailer:

2 Comentários:

  1. Adorei o trailer e me pareceu ser mtu bom, ainda mais quando eu vi o Alan Rickman no elenco, eu adoro o cara *u*
    Vou baixar e assistir now \o/

    ResponderExcluir
  2. O filme eu sei que é ótimo, adorei *-*. Agora me deu vontade de ler o livro ! A capa é linda e a história mais ainda.

    ResponderExcluir