Oh My Goth


Faz muito tempo que tenho a tradução desse livro em meu computador e só agora decidi ler. O primeiro motivo de eu me sentir completamente atraída por ele, era a capa e o nome Goth (traduzindo, gótico). Confesso que desde meus treze anos, sou absolutamente fascinada pelo mundo gótico e sonho com coturnos, corsets, calças de couro, muito metal, prata e spikes. Sem falar no gosto pela morte, pela noite, escuridão e pelo oculto. Claro que nunca ninguém acredita quando falo que gosto desse tipo de coisa, falam que não tem nada a ver comigo, mas gosto é gosto. Foi finalmente, que decidi dar uma olhada nesse livro, para fechar com chave de ouro minhas leituras de férias.

A história é sobre Jade Leigh, uma garota gótica que é tratada pela escola inteira como uma estranha e uma aberração. Ela pode contar apenas com a amizade de Erica, Linnie e Robb que também são góticos e totalmente excluídos. Depois de brigar com um professor e ir pela milésima vez à direção, sua Diretora decidi dar uma lição nela e também na sua arqui-inimiga Mercedes Turner (a garota Barbie popular, que odeia todos os esquisitos e está concorrendo a presidente do corpo estudantil). As duas são mandadas, através de uma nova tecnologia, para um mundo virtual onde o normal é ser gótico e o errado é ser patricinha ou mauricinho. Jade assume o lugar de Mercedes e se torna a garota mais popular da escola, enquanto a outra vira a aberração e excluída. As duas terão que aprender a conviver nesse novo mundo, onde seus melhores amigos viram seus inimigos.

Sério, ultimamente ando achando chick-lit (literatura para garotas) uma chatice. Todos os livros que tem algo fora do comum ou sobrenatural são a mesma coisa e nada muda. Oh My Goth não é mais um livro de chick-lit sem-graça, ele é totalmente perfeito! Me arrependo completamente por não ter lido antes e me aventurado nessa história que foi muito bem escrita. Gena Showalter foi para minha lista de escritores favoritos!

Jade é incrível, uma personagem forte, que sabe o que é e não muda só porque os outros querem que ela faça. Ela mostra um pouco o que eu gostaria de ser e também um pouco do que sou. Até Mercedes (que me lembrou um bocado Marcie Miller de Hush Hush/Sussurro) virou uma personagem fantástica e amadureceu ao longo do livro. O romance também, é totalmente perfeito, natural e envolvente.

O livro também trás ensinamentos, o que acho muito importante quando se escreve, abordando bullying e a diferença das pessoas. Também sempre achei a escola um lugar mais de tortura do que de diversão e não é por causa de lições, trabalhos e provas, e sim, por causa das pessoas. Depois que li Oh My Goth, acho que vou voltar às aulas com novos pensamentos. Às vezes odiamos certas pessoas por coisas horríveis que elas fizeram a nós, mas não sabemos direito o ponto de vista delas. Sei que é impossível gostar das “Mercedes” que nos atormentam, mas podíamos pelo menos tentar entendê-las.

Cada um já foi Jade alguma vez, quando você é diferente ou tem gostos estranhos, as pessoas geralmente zoam de você por causa disso. Quantas vezes não enfrentamos zoações? Quantas vezes tivemos que engolir palavras e apenas ouvir? Acho que também todo mundo já foi uma Mercedes e zoou alguém, por não gostar do jeito da pessoa. O livro mostra que deveríamos no colocar no lugar dos outros, vivenciar o que eles vivenciam para aprender de verdade. Claro que um programa de computador que faça isso, não existe, mas podemos fazer por nós mesmos.

Do mesmo jeito que Os 13 Porquês foi um choque para mim, esse livro também foi, apesar de o assunto não ser tão forte quanto o outro. Os dois falam praticamente dos mesmos assuntos, da mesma procura por sermos aceitos pelos outros. Com certeza, esse livro não é mais um que só serve para divertir, também serve para instruir.

Acho que o grande Capitão Kirk disse uma vez, "Por que todos nós não podemos nos dar bem?" Espera. Talvez esse fosse o Tiny Tim. De qualquer modo, parece com um sonho impossível.

(Oh My Goth – Gena Showalter)



4 Comentários:

  1. Jura que você gosta desse 'mundo' de gótico? Tenho bastante amigas que sonham com essas coisas de metais, e enfim, sobre tudo que você comentou. Como você disse, gosto é gosto, eu não gosto muito tipo.. pra mim, mas admiro, pois acho que até fica legal em determinadas pessoas =D
    Concordo, os livros sobrenaturais estão ficando meio chatinhos, porque a gente pode até prever o que vai acontecer, haha.
    Adorei sua resenha, nunca tinha ouvido falar nesse livro antes, é bom saber que mais um vai pra minha listinha dos que vou ler *-*

    xx carol

    ResponderExcluir
  2. Acho que se eu ler esse livro vou acabar amando, até por que lembrei de mim mesma quando você comentou sobre ser uma jade ou uma mercedes da vida, já fui muito zuada nessa vida, mas depois de um tempo aprendi a não ligar para esse tipo de coisa e a zuar os outros também :P Mas acho que isso é parte do nosso próprio desenvolvimento e auto afirmação... bem como você mesmo disse cada um tem seu próprio gosto.

    ResponderExcluir
  3. Ahh também adoro uns acessórios góticos *-* Eu fiquei SUPER interessada em ler o livro, nunca tinha parado pra ler uma resenha dele e essa me chmou muito atenção.

    ResponderExcluir
  4. Oi Dasty, AH, ADOREI A INDICAÇÃO DE LIVRO! Nunca tinha lido um livro desse jeito, logo corri e adicionei no skoob, você sabe se já tem em português?! Beijocas :*

    http://myevery-thing.blogspot.com/

    ResponderExcluir