17 anos

17 anos. Quase com 18 anos. Um pé está praticamente em cima da palavra liberdade e o outro tenta se fixar permanentemente na palavra infância. Nunca tive aquele sonho maluco de “Quando fizer 18 anos, vou cair fora de casa, me encher de piercings e tatuagens, vou poder beber, dirigir...” e mais um monte de coisas que para mim não fazem o menor sentido. Sério, se eu pudesse escolher, teria ficado criança para sempre e acho que ainda sou criança, porque nunca entrei realmente na fase adolescente. A única coisa mais adolescente que faço (além de reclamar um bocadinho e querer ficar no computador o dia inteiro) é gostar de bandas como se fosse a coisa mais importante do mundo.
A verdade é que eu não quero crescer. Não tenho medo de rugas, de pagar as contas, de trabalhar ou de fazer faculdade. Tenho medo de não dar tempo de fazer todas as coisas que planejo, ainda mais agora, que um dia eu estava com quatorze anos e agora... estou com dezessete. Quando eu comecei a crescer e não percebi? Mas não é por isso que vou desvalorizar meus dezessete anos, na verdade, estou até gostando mais dele do que gostei dos meus quinze (não acho nada demais e mágico essa idade) e dos meus dezesseis.
Quando você tem dezessete anos (que é desprezado em comparação aos dezoito) é como receber um presente, você não sabe o que tem dentro, mas sabe que ao abrir, fará toda a diferença. É a idade da caixa mágica, porque só vamos descobrir o que vai acontecer com nossos dezoitos anos depois das nossas escolhas de agora. Que faculdade? O que cursar? Que trabalho escolher? Para que cidade eu vou? O que fazer da vida? Essa é só uma das questões temerosas que temos que responder. Claro que isso pode acontecer em qualquer idade, mas com dezessete anos, isso é uma baita pressão.
Acho que talvez, também seja o ano mais doce e amargo, estamos dando adeus para aquele aluno, que passou sufoco no fim do ano, que estudou com garra ou simplesmente não deu a mínima. Não importa se a escola seja uma tortura, ela foi a nossa segunda casa e onde passamos boa parte da nossa vida. Pensei que não sentiria saudades dela, mas agora, que ela começou esses dias, percebi o quanto gosto da minha escola, onde estudo nada menos e nada mais que doze anos da minha vida. DOZE ANOS.
No fim desse ano, vou ter que dizer adeus a aluna aplicada que gosta de dar uma de Hermione Granger com sua mãozinha esvoaçante, lutando para dizer a resposta ao professor. Vou ter que dar adeus às risadas em grupo, às intrigas, às brincadeiras e também a matérias que eu adoro e outras que vou ficar bem feliz de me livrar. Então é nessa hora que eu paro e penso: “Calma, você só tem dezessete anos” e percebo que nem comecei a vivê-lo direito e que tenho ainda um ano todo para aproveitá-lo.
Pouca me importa os dezoitos anos. Dezessete, talvez você seja o melhor de todos.

*Era para eu ter postado isso no dia do meu aniversário (dia 31 de Janeiro, ou seja, duas semanas atrás), só que fiquei com preguiça. Particularmente, não acho aniversários grande coisa e prefiro passar os meus emm branco do que fazer festas de arromba. Mas 17 anos é 17 anos, então.


4 Comentários:

  1. aahh! eu lembro dos meus 17 anos, bons tempos .;D
    acho que você nem é tão criança quando você pensa ser, sempre te achei bem madura, considerando que você é mais nova do que eu xD
    mas entendo o que você quer dizer, se eu pudesse, voltava no tempo e continuava a ser criança pra sempre.

    ResponderExcluir
  2. Nossa senhora, acho que nem dá pra dizer o quanto me identifiquei com esse texto. Ainda tenho 16, vou fazer 17 em dezembro, e eu queo muito ter 17 anos. Também nunca vi grandes coisas nos 15 anos muito menos nos 18. Sinto saudades imensas da minha infância, e queria reviver aquilo tudo novamente, não ter preocupações com grandes coisas nem maiores responsabilidades, mas a gente cresce e assim é a vida. Só tenho medo de fazer sumir minha criança interna, acho que isso seria io pior.

    ResponderExcluir
  3. Dasty, indiquei você à um Meme literário que fiz. Se puder, você responde? http://migre.me/3RLfI
    Beijo! (:

    ResponderExcluir
  4. Aah Dasty, porque você deixa passar em branco? Acho que todo aniversário é legal de se comemorar, com os amigos, família... Pode ser simplesmente um dia como outro qualquer, mas pode ser especial!
    Que, aliás, feliz aniversário atrasado! Tudo de bom e do melhor, que você realize muuitos sonhos, e seu blog cresça bastante ok? Eu adoooro aqui, sério, muito mesmo! *-* Você merece <3
    Ps: SEVENTEEN FOREEVER, METRO STAATION *--*

    xx carol

    ResponderExcluir