Momento Nostalgia #4

Decidi voltar com o Momento Nostalgia porque ando lembrando de um bocado de filmes que assisti em minha infância. Também estou com vontade de assisti-los novamente, mas não sei se faço-o, tenho medo de assistir agora e perceber que os efeitos não eram tão bons quanto eu imaginava, que os personagens não eram tão incríveis como eu pensava ou que a história não era tão boa. Tenho medo de perder a magia que eu guardo em minha memória se assisti-los novamente, mas não é por isso que vou deixar de apresentá-los para vocês.

6) A Princesinha: Um dos filmes da Sessão da Tarde que eu mais assistia e um dos que tem a história mais cativante. A história é sobre Sara, que morava com seu pai na Índia. Quando ele foi convocado para uma guerra, ele manda-a para um rígido colégio interno em Nova York, no qual ela conhece uma realidade diferente, onde pessoas pobres são tratadas mal e pessoas ricas são esnobes. Com o sumiço do seu pai na guerra e sem mais pagamentos ao colégio, Sara vira a empregada do lugar, aguentando firmemente os problemas com sua criatividade. Lembro que sempre que assistia esse filme, ficava com vontade de conhcer a Índia, porque tem várias referências a ela e sua cultura.



5) O Jardim Secreto: Eu não só tive o prazer de assistir o filme (em preto e branco, em desenho e o de 1993) como também li o livro, que é tão lindo quanto. A história é sobre Mary Lennox, uma garotinha que vivia na Índia, com pais que nunca deram muita atenção a ela, mas por outro lado, era mimada por sua Ayah (uma espécie de empregada). Depois de um terremoto, no qual seus pais e a Ayah morreram, ela é enviada para a casa de seu tio em Yorkshire, Inglaterra. Tendo que viver em uma mansão tediosa onde seus únicos amigos é Martha (a empregada) e Dick (irmãozinho da empregada) ela se interessa por um Jardim Secreto da casa, que está fechado há dez anos. Mas esse não é um dos únicos segredos que a mansão guarda. Além da história ser cativante, ela ensina muito sobre a magia, a imaginação e a persistência, tudo no ponto de vista de crianças. Vocês vão encontrar um bocado de semelhanças entre esse filme e a A Princesinha, porque ambas as histórias são da mesma escritora.



4) Matilda: Acho que esse é o filme da infância de muita gente, porque passava direto na Sessão da Tarde. Matilda era outra personagem que eu queria ser, pois além de ela amar livros igual a mim, ela também tinha poderes psíquicos, fazendo objetos voarem. O que pouca gente sabe é que o filme é baseado em um livro (que eu gostaria de ler muito) e conta a história de uma garotinha superdotada que tem pais ruins, que a obrigam a assistir programas idiotas na televisão em vez de ler livros. Ela também é mandada a uma escola onde a diretora é uma ditadora que trata todos os alunos de forma rude. Acho que é nessa raiva que Matilda vai guardando que nasce um poder e ela começa a usá-lo para não só ajudar a si mesma e os outros como também fazer travessuras.



3) O Último Unicórnio: Quem acompanhava o Cartoon Network lá por 1996-1999 pode já ter assistido esse filme, ele passava direto e já cheguei a gravá-lo em uma fita de vídeo. Essa época da minha vida foi a de unicórnios onde me apaixonei pela história desse filme! A história é sobre um unicórnio fêmea que descobre ser a última, não acreditando em tal fato, ela decide viajar e descobrir o que aconteceu com os outros unicórnios. Nessa aventura, vai aparecendo pessoas que vão ajudá-la a chegar até o castelo do Rei Haggard, que aprisionou todos os unicórnios no mar com um touro de fogo. Parece um filme feminino, mas não é, a história não é bobinha e a animação e a trilha sonora são perfeitas! Lembro que havia algumas cenas (a do circo dos horrores) que eu ficava com medo quando era criança (hihi). Até agora quando ouço a música principal, me arrepio de tão linda. Vou deixar o vídeo da música, indico dar uma olhada em outros vídeos no youtube, tem um bocado.



2) Coração de Dragão: Desde pequena sempre amei dragões e dinossauros, e acho que uma das causas é esse filme. Meu primeiro amor platônico não foi algum ator e sim o dragão Draco (e depois o Godzilla, é). Até agora, quando o filme passa na Sessão da Tarde eu paro tudo para assistir e SEMPRE choro no final, a história é simplesmente maravilhosa! A história começa com Einon, um prícipe que é gravemente ferido e levado até uma caverna de um dragão que o curou, compartilhando metade de seu coração. Só havia um juramento: de que Einon devia ser bom e justo. O problema que Einon vira um rei cruel e Bowen, um dos seus mestres, achando que é culpa do coração que o dragão compartilhara decide se vingar matando todos os dragões até chegar ao último.



1) História Sem Fim: decididamente é o filme que mais quero assistir no momento e que marcou totalmente a minha infância. História Sem Fim é baseado em um livro (que eu nunca li e que é meu sonho de vida ler, é) de um escritor alemão (♥) Michael Ende. São três filmes e já assisti todos, mas NADA se compara ao primeiro filme da série, sem falar nos atores que são muito bons. A história é sobre Bastian (nome que eu guardei a vida inteira, diga-se de passagem. É que eu sempre quis ser ele) que rouba um livro de uma livraria chamado (tananam tananam...) História Sem Fim! Ele começa a ler o livro e se vê em uma história fantástica, mas algo estranho acontece: personagens começam a comentar sobre ele, como se soubessem de sua presença. Uma das cenas que mais marcaram foi quando Bastian começou a ler o livro, lembro que ele se escondeu no sótão da escola (se não me engano), com um cobertor velho e uma pêra (ou maçã?) e desde que eu vi aquilo, já fiz várias vezes a mesma coisa enquanto lia livros. Só que é sempre com maçã porque nunca tem pêra aqui em casa. De qualquer forma, vale muito a pena ver esse filme, relevem que é antigo e os efeitos devem ser considerados péssimos agora, mas a magia que tem nessa história é fantástica. Foi o Harry Potter dos meus cinco anos.



Esses só são alguns filmes que lembro, ainda há muitos filmes antigos dos anos 90 que valem muito a pena assistir. E você? Já assistiram algum desses?

Dia do Blogueiro

Hoje, dia 20 de Março é o dia do Blogueiro! Claro que não é algo totalmente oficial, é mais algo que está sendo espalhado pela internet e acho muito digno de virar um dia oficial como tantas outras profissões que tem seu próprio dia. Nos dias de hoje, a blogosfera vem crescendo muito, de tal maneira que as pessoas procuram mais informações em blogs do que em outros tipos de site. Para muitos, isso é realmente uma profissão, para outros, diversão.
Eu tenho blog desde os meus doze anos, mas eles nunca foram para frente. Eu gostava muito de escolher os layouts e customizá-los, porém, quando chegava a hora de postar, eu nunca tinha ideias. Foi nessa de criar e depois abandonar blogs que eu criei esse, confesso que o Spleen Juice ficou um bocado de tempo parado e se não fosse minha mãe (que insistiu para que eu posta-se uns textos, já que sonho em ser escritora), nunca teria continuado.
Atualmente eu amo blogs! Se não é para postar, é para pesquisar e conhecer coisas novas como moda, livros, fotografia e filmes. Por isso, PARABÉNS, não só ao Spleen juice e a mim, como também a todos os blogs e blogueiro por tirar o tédio de milhões de internautas :D

PS: Ando sem tempo para postar e até parei com as resenhas (porque não estou conseguindo terminar os livros que estou lendo), mas em breve voltarei.

Blogs de Moda #2

Eu simplesmente amo blogs de Outfits, ou seja, aquelas garotas que tiram fotos de suas roupas bonitas e estilosas sempre que vão sair. Passo a maior parte do tempo fuçando neles e adoro ver as fotos, sem falar, que ajuda você a ter ideia de combinações e estilos, acho muito melhor aprender sobre moda desse jeito do que ficar lendo a teoria (apesar de que um dia, pretendo entendê-la também). Novamente, vou dar dicas de blogs de Outfits que eu AMO! Já fiz um post relacionado a isso faz muito tempo, logo que o blog estava começando.

1)Breanne: Ela é simplesmente uma das blogueiras de outfits mais fofas recém descobertas por mim. Amo seu estilo que varia entre o vintage e o girly, apesar de achar que às vezes ela exagera um pouco nas meias-calças ou em cores muitos fortes, mas não tem como não se encantar com seu estilo. Breanne é de Winnipeg, Canadá, e muitas das suas fotos são na neve. Sem falar que ela fala sobre moda e inspirações em seu blog.
Blog
Lookbook

2) Kate: Nem preciso falar do cabelo dela, que é um tom de vermelho lindo! Ao contrário de Breanne, Kate segue o estilo pós-punk e rocker e é bem mais ousada (principalmente por ter feito overcut, que é raspar a parte de baixo do cabelo. Você vai entender quando dar uma olhada em certas fotos do seu blog). A coisa que mais gosto no seu estilo são seus acessórios que variam de chapéus a anéis bem interessantes. A única coisa ruim é que ela é da Polônia, ou seja, seu blog não é inglês.
Blog
Lookbook

3) Kerti: Outra que sou fã do seu cabelo. Kerti tem o cabelo loiro platinado, muito lindo onde varia sempre de liso, enrolado ou frisado. Ela também tem um estilo bem girly e usa e abusa de efeitos do photoshop que deixam suas fotos muito mais femininas e lindas. Ela não tira só fotos dela como também de cenários e objetos. Infelizmente também seu blog é em outro idioma, já que ela é de Tartu, Estônia.
Blog
Lookbook

4) Shelley: Para os conhecedores de plantão do Lookbook, com certeza, já devem ter se deparado com Shelley porque ela é uma das mais famosas de lá. Ela tem 19 anos, é de Estocolmo e é super estilosa, sem falar no cabelo (sim, sempre cabelos) que já foi pintado de ruivo e loiro platinado. Em seu blog, tem mais fotos de seus passeios com seus amigos do que fotos de outfits, por isso, vale a pena dar uma olhada mais no Lookbook. Seu estilo é bem variado, eu classifico-o como um despojado e indie, algo que me lembra vagamente Inglaterra e Skins.
Blog
Lookbook

Espero que tenham gostado, em breve, falo de mais blogs de Outfits! :D

Ilustração à parte

Nunce pensei em ser design. Nunca pensei em seguir essa carreira já que sempre quis ser escritora. Mas desde que eu era criança, da mesma forma que eu adorava escrever, também adorava desenhar, ou seja, acabei me desenvolvendo bem em ambos. Então, cheguei a cogitar a ideia de que poderia escrever e ilustrar meus próprios livros.
Quando entrei no curso de Design Gráfico, não fazia ideia do que realmente era e de repente me vi nesse tal mundo do design e tenho que concordar que amei. Tanto que mudei minha ideia de faculdade de Jornalismo para Publicidade e agora para Design. Como podem ver acima, essa foi minha primeira tentativa de ilustração com o Illustrator e o Photoshop. Creio que fiz tudo errado, não entendo nada de sombreado e aqueles efeitos bonitos que fazem a ilustração parecer mais viva, mas até que não ficou tão ruim, não é? O desenho também é meu e é da Raven do livro Vampire Kisses em estilo anime (O ÚNICO ESTILO QUE SEI DESENHAR, DESCULPA PROFESSORES DA ETEC).


Aí está o desenho original, como deu um trabalho do cão só para fazer a Raven (sem falar que o meu desenho do Alexander é horrível já que não sei desenhar homens direito), desisti de fazer o resto e talvez eu faça em outro dia bem remoto. Mesmo assim, um dia eu acabei cometendo o erro de falar que sei desenhar anime muito bem (uma mentira muito feia) e pediram para eu postar os meus desenhos. Vou tentar escanear a maior parte deles, esse, por exemplo, é o único que tenho em meu computador e foi feito há dois anos. Confesso que não desenho muito, não como antes e só quando é EXTREMAMENTE necessário. Aí me pergunto, que diabos de ilustradora vou ser? Estou vendo que meu livro vai ser uma vergonha. Ainda bem que escrever eu sei.

Jack Farrell & A Serpente Emplumada

Jack Farrell é uma série brasileira, por enquanto, constituída por 3 livros (serão 7). E como o livro foi parar em minhas mãos, acabei começando pelo terceiro volume. Pelo incrível que pareça, não fiquei tão perdida, uma coisa ou outra decidi dar uma pesquisada, mas nada que me impedisse de continuar a ler.

Jack é um menino comum que ao saber da morte de seu pai, descobre que ele precisa seguir na busca do Santo Graal em seu lugar. Ele é mandado para uma espécie de escola chamada Ordem dos Cavaleiros Templários junto com seus dois melhores amigos Gwen e Will, que terão que enfrentar seres e deuses mitológicos (isso é o básico que eu descobri dos outros livros). Nesse terceiro volume, Gwen é sequestrada por um deus asteca chamado Quetzalcoatl, ou também conhecido como A Serpente Emplumada. Jack e Will descobre que ela foi levada ao passado, no México, em 1520, em pleno conflito entre os astecas e os conquistadores espanhóis.

A primeira impressão que tive do livro é que me lembrou um bocado Harry Potter, foi em uma pesquisa que descobri que o livro é chamado mesmo de Harry Potter Brasileiro. No começo, achei essa classificação viável, mas agora não concordo e vou explicar ao longo da resenha o porquê. Jack é o escolhido, assim como Harry Potter. Gwen é inteligente e é chamada de comum (sangue-ruim) como Hermione. Will é engraçado e o fiel companheiro de Jack assim como Rony. E até tem um Draco na história que pega no pé de Gwen. Há muito mais semelhanças também, mas acho que tirando os personagens, qualquer livro que fale sobre mitologia e magia lembrará automaticamente Harry Potter. Jack Farrell apesar de toda a semelhança, tem uma essência totalmente diferente e foca em outros assuntos, sem falar que o enredo também se difere.

A narração e descrição de Jean Angelles é muito boa, ele conseguiu unir mitologia e história (duas coisas que amo) de uma maneira que te prende até o final. Mesmo assim, ainda achei que faltou algo na história, achei que poderia ter desenrolado mais a trama e ação, porque não vi Jack, Will e Gwen lutarem, nem mostrarem o quão fortes são. Os diálogos foram o ponto mais fraco, muitos acheis desnecessários ou bobos. Sem falar que tem aquele "erro" que eu já cometi (por isso entendo-o bem), que chamo de "Inventei vários personagens, mas como não dá para colocar muita importância neles nesse momento, cada um diz uma fala e fica tudo bem". Ou seja, cada personagem diz uma fala seguida e parece que fica algo anti-natural.

Voltando as partes positivas, para quem ama mitologia, nesse volume irá aprender um bocado sobre mitologia asteca. A parte ruim é que os deuses tem nomes impossíveis de se pronunciar como Quetzalcoatl e Tezcatlipoca (tem uns bem piores, que eu não me lembro). Sem falar que a parte da Conquista Espanhola no México fica bem explicado e até cita nomes famosos como Hernán Cortez, unindo fatos que realmente aconteceram com ficção.

Depois de ler esse livro, estou louca para ler o volume 1 e 2, sem falar que também vou aguardar ansiosamente pelo volume 4 que será lançado e se chama Jack Farrell e O Tesouro de Gilgamesh (mitologia da Mesopotâmia dessa vez, se quiser saber).

Outro ponto forte que não tem a ver com a história e sim com o livro é a capa, a diagramação do livro e as ilustrações. O LIVRO É MÁGICO! A Capa (como pode ver acima, indico que amplie) é linda demais! E vocês não viram as ilustrações coloridas de cada capítulo, senti-me em um jogo de RPG de tão detalhada que as pessoas, suas roupas e objetos eram. Pesquisei e descobri que foram feitas por Gleidson A. Caetano (quando publicar meu livro, vou contratá-lo para ilustrá-lo hehe). Segue algumas imagens dos capítulos.




Para quem quiser ver mais imagens dos capítulos, é só clicar nesse link e para mais informações sobre o livro, conheça o fã-site e o site do autor.

Código do Link-me

Recebi a pergunta da Blanc no meu Chatbox de como se faz um link-me e não é a primeira vez que isso acontece. Para muitos, isso pode ser uma tremenda dor de cabeça, mas, na verdade, é bem fácil e nada como a ajuda do Google para direcionar você ao caminho certo. Link-me, para quem não sabe, é basicamente o código do seu banner, que outro blog pode pegar para colocar no seu e assim fazer propaganda. Basicamente, você cria a imagem do seu banner no Photoshop, Photofiltre e qualquer programa de edição de imagem. Por hoje, só vou ensinar como fazer o código, mas se tiverem interesse, ensino a fazer no Photoshop também. Então, vamos lá!

1) Hospedando a imagem:
Algumas pessoas preferem o Imageshack por ser mais conhecido e fácil, mas ele pode dar alguns problemas como aconteceu recentemente de várias imagens não abrirem. Eu prefiro o Free Image Hosting, ele nunca sequer me deu algum problema. Se não der para enxergar os prints, é só clicar neles que eles abrem maiores em outra página.






2) Fazendo o código:
Você não precisa ser expert em html! Nem precisa ter dor de cabeça porque é bem fácil. Vá até esse site, nele há um gerador de código de HTML. No primeiro espaço, você cola o endereço do seu site e no segundo espaço o endereço da imagem que você copiou no tutorial lá de cima. Agora, aperte o botão de gerar código e pronto! Basta copiar aquele código!



3) Colocando o Link-me no seu blog:
Você vai no Painel de Controle e clica em Design e depois em Adicionar um Gadget, vai abrir aquela janelinha de sempre, procure por HTML e clica naquele + que tem do lado. Cole lá o código que você pegou do gerador e salve!


E está feito! Vá até seu blog e vê se está tudo perfeito. Se quiser testar se o Link-me funciona, basta copiar o código dentro da caixinha e colar em outra janela do HTML, aí você irá visualizar como ela fica quando os outros colocam em seus blogs. Espero que tenha ajudado, qualquer dúvida, basta perguntar no Chatbox ou nos comentários ou em qualquer site de relacionamento meu.

Meme Literário

Este meme literário foi hospedado pelo blog Page reading onde compartilhamos informações sobre como é nossa leitura e assim os leitores poderão conhecer mais o blogueiro(a) e a sua leitura. Para mais informações...

Recebi esse Meme do Hangover at 16. Eu realmente adoro Memes, ficar respondendo perguntas como se fossem aqueles caderninhos da escola que sua amiga tem. É, os caderninhos não acabaram.

1- Quantas páginas você ler por dia?
Se for nas férias, em um dia que eu não tenho absolutamente nada para fazer, leio 300 páginas (e até mais) de boa. Quando se trata de livros que gosto, eu devoro mesmo. Mas em dias muito corridos ou eu leio bem pouco ou nem leio, realmente para não estragar a magia do livro e ficar parando o tempo todo ):

2- Se fosse um personagem de livro, qual seria?
Eu seria sem dúvida nenhuma a Suzannah Simon de Mediadora. Sempre quis ser uma menina durona, dessas que adoram chutar traseiros, independentes, que saem na calada da noite de casa para enfrentar fantamas ou qualquer situação mais viável. A droga é que sempre fui uma menina classificada como fofa e meiga .-.

3- Quantos livros você compra e lê por mês?
Comprar, confesso que não compro muito por mês, mas quando vou, compro de 3 a 4 livros. Eu leio mais pela internet, pego emprestado de pessoas e da biblioteca. Se eu fosse comprar todos os livros que quero, tinha que ser bilionária. Quanto a ler, se for nas férias, em um mês o máximo que consegui foi 9 livros, o que é bem pouco, eu devia ler mais. Se for em mês comum de aula, eu leio uns quatro por falta de tempo e pique.

4- Como é a sua leitura, você lê em voz alta ou silenciosamente?
Eu leio silenciosamente, mas quando leio palavras estrangeiras, tenho que fazê-lo em voz alta para ter uma ideia de como se fala realmente para conseguir imaginar em minha cabeça.

5- Já pegou livro emprestado de alguém? Gosta de emprestar seus livros?
Sim, já peguei muitos livros emprestados, adoro que me emprestem! Também empresto de boa os livros, desde que devolva e não demore muuuuuito, odeio ficar cobrando, mas às vezes é necessário.

6- Onde você guarda seus livros, tem uma estante para isso?
Tem uma estante aqui em casa cheia, então eu também empilho eles em cima de uma cômoda. Também tem livros na mesa do meu quarto, a maioria está sempre espalhado e fora do lugar. No meu vô, tem dois armários cheios de livros infantis e juvenis que acumulei ao longo da minha infância e pré-adolescência. Muito livro mesmo, é. E quero mais ainda.

7- Cite no minimo três melhores livros que possui na sua estante:
Harry Potter, Mediadora e Beijo das Sombras.

8- Qual a sua leitura do momento e o que está achando?
Eu estou lendo dois livros. Um é A Cidade e as Serras, um dos livros da Fuvest, e estou achando-o um bocado chato, mas como estou no começo ainda não posso comentar. Além disso, eu já li O Crime do Padre Amaro do mesmo escritor e o começo também é chato, mas depois é espetacular, virou um dos meus livros favoritos! Vai que esse se torna também? O segundo livro é Jack Farrell e a Serpente Empluamada, tirando algumas partes meio bobas (que depois vou comentar melhor em uma futura resenha) o livro é muito bom e divertido, sem falar na parte de mitologia e história :D

9- Indique para 5 ou 10 blogs amigos
Faz parte...
Entrelinhas
Enchantime
My Everything
House of Taisho



1) Acho que Sombra do Vento ou o Jogo do Anjos, ambos são do Carlos Ruiz Zafón e amei demais o seu jeito de escrever. Acho que leria os livros dele sempre que pudesse.

2) Eu acho que a série Mediadora, ele me marcou de uma forma que nunca nenhum livro fez (tirando Harry Potter, claro, mas já são outros quinhentos).

3) O Crime do Padre Amaro, não se assustem com o tamanho do livro ou por ele ser um tanto difícil, o livro é incrível!

4) Dá preguiça de indicar, então, quem quiser pegar e falar que eu indiquei, a vontade :D

5) A Amanda do Primeiro Livro *-*

I ♥ NY


Com certeza, todo mundo conhece esse logo. Ele ficou famosíssimo faz uns dois anos, quando virou estampa de camiseta e todas as pessoas (a maioria denominada hipsters, indies, etc etc) começaram a comprar. Hoje em dia há diversas camisetas nesse mesmo estilo, mas que não amam só New York, como também Paris, Berlim, Cupcakes, Mustaches ou qualquer gosto diferente. Eu, particularmente, tenho uma camiseta Ich ♥Tokio Hotel (hehe).



Mas você sabe de onde surgiu essa ideia do I love New York? O logo foi criado por um famoso designer gráfico norte-americano chamado Milton Glaser para uma campanha de publicidade que vem sendo utilizada desde os meados de 1970 para promover o turismo em Nova York. A fonte utilizada (muita gente procura, principalmente para criar a sua versão do logo) é a American Typewriter.
A imagem se tornou muito mais popular depois do ataque do 11 de Setembro, criando um sentimento de união nos nova-iorquinos. Muitas pessoas que visitaram Nova York depois do atentado, começaram a comprar as camisetas estampadas com o logo em um sinal de apoio. Glaser até criou um novo logo chamado "I Love NY More Than Ever", com uma pequena mancha no coração, simbolizando o local do World Trade Center.



E aí? Você também aderiu esse movimento?