O Verde Violentou o Muro

Depois de muito tempo sem escrever uma resenha e de falta de tempo para ler, consegui terminar esse livro. O principal motivo de eu ter escolhido O Verde Violentou o Muro dentre os milhares de livros pendentes é porque a história se passa na Alemanha, que é meu segundo país favorito (depois do Japão, o Brasil não conta, porque é minha pátria e de qualquer forma é meu país favorito e não tenho nada a reclamar quanto a isso) e o segundo motivo é que se passa na época do Muro de Berlim, uma das épocas que eu mais tenho interesse, depois da Segunda Guerra Mundial.
O livro não possui uma trama nem uma história ficcional porque é nada menos que um diário do escritor brasileiro Ignácio de Loyola Brandão durante a época que ele viveu na Berlim Oriental ou também conhecida como socialista. O sortudo foi pago para viver lá durante um tempo só para escrever um livro e entre outras coisas legais que ele vai fazendo ao longo de sua narração.
Por mais que pareça chato, eu achei o livro totalmente incrível, eu não tinha ideia de como era a Berlim socialista, pensava que era algo ruim, mas ela é tão normal quanto a capitalista tirando algumas características marcantes. Mesmo eu nunca tendo ido para a Alemanha (infelizmente), adorei acompanhar Ignácio pelas ruas, museus, livrarias, jardins, por todo aquele lugar que atrai tanto a minha atenção. Sem falar que ele cita um bocado de escritores alemães que eu adoraria muito ler e também dá para aprender umas palavrinhas alemãs.
A leitura é bem fácil, algumas muito bem humoradas e outras explicando tudo que se passa na Berlim socialista e também fatos históricos como a Segunda Guerra Mundial, Hitler e como tudo isso influenciou a situação da Alemanha naquela época. Para quem gosta de viajar com os livros para diversos países como eu, de História e também ler diários cotidianos sem muita ação, vão se deliciar com esse livro fantástico. Acho que preciso ler mais livros desse escritor, principalmente Zero.

2 Comentários:

  1. nossa eu precisava ler este livro!

    ResponderExcluir
  2. Uma dica. Leia O Beijo Não Vem da Boca, também do Loyola. Esse é o livro que ele escreveu em Berlim. As duas histórias se fundem de maneira fantástica.

    ResponderExcluir