Novos Selinhos

blog Seis Milênios está completando seis meses de existência e me mandou dois memes super legais para eu responder :B Se você gosta de blogs literários conheça, comente e siga também!

Quem indicou ?
A Ana do Seis Milênios.

Você gosta do estilo do blog que lhe enviou o selo ?
Sim, adoro! *-*

1- Qual seu estilo musical?
Rock, metal melódico, screamo, indie.

2- Qual sua banda favorita?
Tokio Hotel

3- Que música marcou sua vida?
Snuff do Slipknot.

4- Indique o selo a 9 blogs.
Depois da Escola
Faz Parte
Eutophia
Apartamento 707
A Lua na minha Janela
Ei Sarita!
Luna Nacht
Seenhorita Inconstante
Hey Evellyn

1- Qual era o seu sonho de criança?
Ir para Hogwarts ):

-E hoje qual é o seu maior sonho?
Publicar um livro que vire sucesso :B

-O que você gosta de fazer no seu tempo livre?
Ler, escrever, desenhar, assistir séries, filmes e animes.

Indicados:
Enchantime
This Adorable Thing
House of Taisho
Hangover at 16

Outfits

Eu sempre quis fazer um post sobre Outfits (para quem não sabe o que é, é basicamente fotos dos looks que você costuma usar no seu dia-a-dia), principalmente porque sou viciada em blogs nesse estilo e fico horas a fio só vendo fotos de garotas do lookbook. Essa meta também estava na minha listinha de 101 coisas para fazer em 1001 dias (que milagrosamente está sendo cumprida aos pouquinhos!), então decidi realmente fazê-la.
Não sou nenhuma pessoa estilosa, muito menos ligada a moda, de qualquer forma, adoro me vestir bem e se tivesse um pouco mais de dinheiro, trabalharia melhor nisso, principalmente mais no meu próprio estilo (que é rocker, boho chic e grunge). Mas como nem tudo é como nós queremos, visto-me de maneira mais comum mesmo .-.
Para enfrentar esse frio, decidi usar uma blusa de gola rolê, um casaco muuuuito quentinho, botas e calça skinny.

Essa Outfit eu usei para ir na Feira do Estudante do CIEE que teve no Ibirapuera, que foi MUITO fraco comparado a Feira do Estudante promovida pelo Guia do Estudante. Os stands das faculdades que haviam lá só tinha pessoas querendo que você se inscrevesse para o vestibular, não havia nenhum profissional ou professor de cada área para tirar suas dúvidas. Além disso, havia poucas faculdades, as que eu mais queria conhecer, não tinham stands ): Sem falar que não encontrei nada sobre o curso do meu interesse, que é Design. De qualquer forma, consegui várias canetas, jornais e revistas. Mas o passeio não foi totalmente perdido porque minhas amigas e eu andamos (e nos perdemos também) pelo grande Ibirapuera e depois fomos em uma lanchonete muito boa! :3
Esse outro Outfit eu usei para ir à Etec (não liguem para a montagem fail)! Nós tínhamos que tirar fotos de uma propaganda de celular, por isso escolhi uma roupa que tem mais o meu estilo. Eu simplesmente adoro vestidos e esse tinha um estilo "Eu quero ser artista", por causa dos bolsinhos que tinha dos lados! Também adoro meias-calça e essa eu achei fantástica. As marcas não importam muito desde que você se vista do jeito que gosta.
Sei que os looks não são grande coisas, mas espero ir melhorando com o tempo e também postando mais sobre isso. Eu gosto muito de fotografia e blogs de outfits, gostaria muito de um dia ter um, com fotos e roupas bem melhores :D
E o que vocês acham de Outfits? Gostam também?

Ore no Imouto ga Konna ni Kawaii wake ga nai

Ore no Imouto ga Konna ni Kawaii wake ga nai não é só o anime com o nome mais longo que já assisti, como também é o anime com o tema mais estranho que já assisti. A história é sobre Kyōusuke Kosaka, que tem 17 anos e que nunca foi muito próximo de sua irmã mais nova, Kirino, de 14 anos. Enquanto Kosaka é pacato, meio isolado e sem nenhum dote, Kirino é bonita, modelo, inteligente, faz esportes e é popular, mas esconde um grande segredo. Um dia ela acaba esquecendo um DVD de animes em casa e Kosaka acaba achando-o e descobrindo que na verdade Kirino não é só otaku, como ama e coleciona animes hentai (pervertidos, isso mesmo, coisa de maiores de 18 anos, eróticos), com o tema de irmãzinhas.
Mesmo o tema sendo estranho, já que pensei que conteria incesto e hentai, não tem nada disso (apesar de subentender-se e ter algumas cenas ecchis, nada realmente assustador para quem já está acostumado a assistir animes) e o anime é muito legal, engraçado e divertido!

Kirino (a personagem loira), ama totalmente animes e no começo escondia isso com medo de que as pessoas não entendessem, ainda mais por gostar de temas fora do comum. Ela vai enfrentando esse preconceito aos poucos e mostrando que ela pode ser ela mesma, apesar dos seus hobbies. Eu, particularmente, a acho um bocado chata e insuportável, por tratar seu irmão de maneira tão má e grosseira. Quando se trata de Kosaka, eu o acho fantástico, apesar de ser meio bobo. Mesmo odiando sua irmã, ele faz tudo por ela, passando por maus bocados e quase nunca recebe algo em troca por isso.

Uma personagem que eu simplesmente amei é a Kuroneko (a de cabelo preto, com orelhinhas de gato)! Enquanto a Kirino prefere animes hentai e fofos, Kuroneko prefere animes macabros e de lutas (um bom exemplo é Code Geass) e elas vivem brigando por serem totalmente opostas. Ela também gosta de fazer cosplay de sua personagem favorita, e esconde seu lado fraco dessa maneira. Sem falar, que a acho um bocado madura para sua idade, por cuidar de sua irmãzinha mais nova e também por ser inteligente.
Quanto a Saori (a de cabelo verde e óculos), ela é bem misteriosa. Típica otaku, sempre viajando na maionese e sempre feliz, ela esconde sua outra vida através dessa personagem que criou para si mesma. Penso, às vezes, que ela pode ser igual a Kirino no quesito de esconder seus hobbies.

Apesar de tudo, identifiquei-me um bocado com Kirino, principalmente no quesito de se gostar de animes e geralmente as pessoas terem um tanto de preconceito. Sonho em fazer cosplay, comprar vários mangás e animes, pintar meu cabelo colorido e viver em eventos e quando conto isso para as pessoas, a maioria acha no mínimo estranho. Mesmo assim, continuo com esse meu hobbie por mais estranho que pareça! :3
O anime é bem light, não é daqueles cheio de lutas e obstáculos. Apenas conta a vida de uma otaku e tem alguns episódios um tanto parados, mas vale super a pena assistir, eu gostei muito.
Aqui vai a abertura do anime, para quem tem interesse em conhecer um pouco mais:



E vocês? Já assistiram algum anime? Assistiriam esse?

Projeto Tsunami

O Projeto Tsunami surgiu em redes sociais e comunidades, por iniciativa de Jean-David Morvan, Runberg Sylvain, Neyret Aurélie, feitos Kness & CFSL.nete. Também contam com a ajuda de Remi Maynègre, o primeiro a ilustrar o acontecimento no Japão e que agora trabalha ativamente ajudando as vítimas e a evacuarem áreas atingidas.
A ideia principal do projeto é a implementação de um conhecimento comum para ajudar de forma eficaz às vítimas do desastre, através de três formas principais:
1) Um leilão, organizado com a colaboração de Arludik Gallery, em Paris, obras de arte originais criados para o evento e cujos lucros serão doados a uma instituição de caridade no apoio às vítimas do desastre.
2) A criação de um trabalho coletivo, cujos benefícios também serão doados para Give2Asia - Lançado em setembro de 2011, disponível para pré-venda.
3) A realização de uma exposição itinerante para popularizar essa ação.

Tudo bem que eu traduzi no Google Tradutor, mas é que o site é em francês e eu não sei quase nada sobre esse idioma. A verdade é que eu quero compartilhar com vocês esse site incrível, cheio de ilustrações lindas inspiradas em uma das piores tragédias da atualidade. Eu realmente amo o Japão, sempre quis conhecer esse lugar e quase tive um treco quando vi aquelas notícias que chocaram-me totalmente.
Se você gosta de design e ilustração, manja bem do assunto, pode enviar uma imagem sua (em formato JPG e com largura mínima de 1000 pixels) e ajudar as vítimas do tsunami. A imagem seria vendida em benefício ao Japão se já não tivesse encerrado as inscrições para o tal livro que será leiloado, mas sua arte vai ser postada no blog junto com as outras mesmo você não participando. Quem tiver alguma dúvida, é só clicar no site que coloquei no início do post, mesmo estando em francês, o Google até que traduz bem esse idioma. Quem puder, ajude o Japão!

Fim do Mundo Feelings

Hoje o dia inteiro, a coisa mais comentada no twitter foi nada menos que o Fim do Mundo. Segundo um bando de religiosos estranhos que ficam decodificando a bíblia, eles descobriram que o mundo acabaria hoje por volta das seis ou oito horas (cada site diz uma coisa). Como podem ver o mundo não acabou. Ou simplesmente acabou, renasceu de novo e como estávamos no Twitter e no Facebook não percebemos. Também recebi um panfleto dizendo que hoje é apenas o dia do Arrebatamento (não do fim do mundo), que é quando as pessoas vão para o paraíso e as ruins ficam na Terra para sofrer. Como podem ver, se for verdade, vou ficar na Terra para sofrer já que nesse exato momento estou aqui postando. Com essa vibe toda de Fim do Mundo, decidi comemorá-lo de alguma forma e eis que me surge duas coisas para passar o meu tempo e vou apresentar para vocês, assim curtiremos junto o Fim do Mundo, o Arrebatamento, o que seja.

O Inferno de Dante

Eu nunca li A Divina Comédia (está na minha lista), mesmo assim meu irmão já leu e me contou a maior parte da história. Como sou meio estranha a adoro esses negócios de mitologia, ocultismo e até religião por mais que eu seja agnóstica, fiquei super animada ao descobrir que saiu uma animação japonesa baseada no livro e no jogo, chamada O Inferno de Dante. Misturando um pouco de cristianimos com mitologia grega, a história é sobre Dante, um guerreiro de Cruzadas, que está lutando na famosa Guerra Santa. Antes dele ingressar na guerra, ele faz uma promessa (que aos poucos vai sendo explicada ao decorrer do filme) a sua amada Beatrice. Quando ele volta para casa, Dante encontra sua família morta e Beatrice ainda viva, com quem ele consegue dizer poucas palavras antes dela morrer. No mesmo instante que a alma dela abandona seu corpo, Lucífer aparece e diz que a alma de Beatrice pertence a ele já que Dante quebrou sua promessa.

É agora que a história realmente começa a ficar legal! Dante vai para o Inferno em busca de Beatrice e precisa passar por seus nove círculos como o Limbo, a Luxúria, a Raiva, a Avareza, a Gula, entre outros. Há muito sangue e massacre, coisa que eu não esperava e deixou-me realmente tensa, mesmo assim, adorei demais o filme! Uma dica que dou é prestar muita atenção na história e nos personagens, porque cada parte do inferno, o design do filme é feito por um desenhista diferente, ou seja, uma hora Dante está de cabelo comprido, outra hora curto, outra hora mais forte, outra hora mais magro. O mesmo vale para Virgílio, o guia dele nessa travessia que a cada parte do filme está de um jeito diferente.
Só achei que as cenas de lutas poderiam ser um pouco mais compridas, Dante derrotava muito rápido e facilmente os "chefões" de cada círculo do Inferno. Mas, pelo menos, as cenas eram bem chocantes e cheias de tripas e pedaços voando. Quem quiser, pode dar uma olhada no trailer do filme, abaixo:



Feel Afraid


Lá estava eu no Tumblr (para vocês verem como eu fico em tudo que é site) e deparei-me com a tirinha acima e descobri que na verdade é um site cheio dessas histórias legais e um tanto estranhas! Essas tirinhas são feitas por Christopher Reineman, que vem desenhando desde a terceira série. Atualmente ele está na universidade e nunca tem comida o suficiente em casa (não que isso seja importante, mas está no site dele). Não consegui mais informações sobre o criador do Feel Afraid, mas tem uns vídeos deles e outros sites de relacionamentos que dá para dar olhada. De qualquer forma, geralmente as tirinhas dele são sombrias e tem um humor negro que eu adoro, vale super a pena ler, mesmo sendo me inglês, é bem fácil de entender.

Quem quiser ler as tirinhas, é só clicar nesse link. Se não estiver funcionando, é só atualizar a página, porque o servidor do site cai (não sei se é por causa de muitos acessos). Essas são as dicas de hoje, espero que vocês possam comemorar o Fim do Mundo de forma tão divertida quanto eu!

Sobre Etec e afins

Sempre comento no meu twitter (e aqui também) sobre a minha etec e isso acaba gerando uma série de perguntas no meu formspring e outros sites de relacionamentos. Decidi escrever um pouco sobre isso que tanto cria dúvida e muitas pessoas desconhecem ou não sabem direito o que é. Sei que estou fazendo isso meio em cima da hora, porque as inscrições para etec terminaram hoje, mas no final do ano tem novamente.

1) O que é curso técnico?
Talvez eu não seja a melhor pessoa para explicar, por isso o Google está aí, mas é basicamente um curso de um ano e meio (está rolando boatos de que vai aumentar para dois anos) que capacita as pessoas para o mercado de trabalho através de teorias e prática (mais prática). Existem dezenas de cursos de tudo que você possa imaginar, só que a maioria pode ser longe da sua casa, mas se você quer mesmo, vale a pena se dedicar a isso.

2) Você acha válido fazer etec?
Acho muito válido, independente da idade que você tiver (no caso, só quem tem 16 anos ou está no segundo ano do ensino médio para cima, pode entrar. Você pode ter 70 anos, que se quiser, pode tentar também, só tem mínimo, no caso), principalmente se você ainda não tem muita certeza do que vai fazer na faculdade. Por exemplo, se você quer medicina, vale a pena tentar o curso de enfermagem ou farmácia para ter uma ideia de como vai ser a sua profissão na área de saúde.

3) Como faz para entrar?
Você precisa se inscrever pelo site, como eu disse, as inscrições já acabaram, mas tem no final do ano. Fique atento quanto a isso. Depois de fazer a inscrição, você irá fazer uma prova de 50 questões (se não me engano). Ela não é difícil, sério, o único problema é que algumas pessoas não são aprovadas porque tem muita concorrência em determinado curso. Efetuada a prova, é só esperar pelo resultado, se você foi aprovado é só fazer a matrícula e pronto! :D

4) Quais cursos têm?
Muitos. Informática, Moda, Administração, Contabilidade, Comunicação Visual, Edificações, Mecatrônica, Química, Multimídia etc. É só você ir nesse site e dar uma olhadinha. Dá também para olhar as etecs que tem por perto de onde você mora e que cursos oferece.

5) Qual técnico você está fazendo? Como são as aulas?
Estou fazendo Comunicação Visual, ou mais comumente conhecido como Design Gráfico (é que a maioria dos nomes que tem algo de inglês foram modificados, menos Marketing que não tem uma tradução que realmente o define) e estou adorando! No primeiro semestre, eu tive aulas de desenho, aplicativos (Photoshop e Illustrator), história da arte, colagem (parece coisa de criança, mas é super importante), meios de impressão e outras matérias teóricas. No segundo semestre, que é o meu atual, estou tendo aulas, além daquelas (tirando colagem e meios de impressão), fotografia, marketing, identidade visual e produção gráfica. Você tem duas aulas por dia, duas horas com de uma matéria e duas horas de outra, parece cansativo, mas passa super rápido.

6) Tem muitos trabalhos? É cansativo?
Tem trabalhos, mas nãããão são "muitos". Se você se organizar, dá para dar conta facilmente, só evite deixar acumular. Como eu disse na outra pergunta, por mais que tenha duas horas de cada matéria, não é algo muito cansativo. O ruim é mesmo é tentar conciliar escola e etec, mas vale super a pena, porque na etec que eu faço realmente o que eu gosto. Sem falar que você faz novas amizades, faz visitar técnicas (no meu caso, a museus, eventos, gráficas, etc) e ainda pode ser escolhido no último semestre para fazer intercâmbio de graça, de acordo com suas notas e presença nas aulas (espero realmente que eu consiga :x).

7) Paga alguma coisa?
Além da taxa de inscrição (não sei se pessoas da rede pública não pagam nada, mas as de particular sim), é bom você ter um dinheiro para investir na etec, pois você vai precisar comprar vários materiais, principalmente nas aulas mais práticas. Mas isso não é ruim porque você estará investindo em si mesmo, não é? Além de que você pode comprar e conhecer coisas bem legais.

Bem, acho que é isso. Se tiver qualquer dúvida, é só perguntar nos comentários, ou se preferir, no meu Formspring :D

Promoção 200 Seguidores


O Spleen Juice, novamente em parceria com o Chic and Chick, a Winky Cosméticos (Praça Carlos de Castro, 25, Centro, Itapevi) e a Parfum Le Monde (Av. Aricanduva, 1899, Jardim Aricanduva, São Paulo) estará sorteando um kit para vocês, no qual você encontra:

Loção Hidratante para o corpo Erva Doce da Doce Magia
Creme Hidratante para as mãos Erva Doce da Doce Magia
Sabonete Hidratante de Manteiga de Karité e Manteiga de Cupuaçu da Ethicos Cosméticos
Sabonete Esfoliante de Damasco e Extrato de Camomila da Ethicos Cosméticos
Toalhinha de mão da Impala Cosméticos
3 adesivos para unhas artísticas (coração, estrela e brilho)
3 esmaltes (Picolé da Avon, Atitude Pink da Risqué e Doce Momento da Impala)
1 kit de mini lixas da Marco Boni

Regras

Ser seguidor(a) do blog Spleen Juice e do Chic and Chick
Ter um endereço de entrega no Brasil.
Preencher o formulário abaixo (a promoção terminará quando ambos os blogs conseguirem 200 seguidores).



Pontos Extras


Para preencher o formulário mais de uma vez:

Siga @dastysama e @chicandchick

Divulgue o link no twitter: Promoção 200 seguidores @dastysama e @chicandchick, participe e ganhe um super kit http://migre.me/4y5EN

Divulgar o banner no seu blog:


Tentativas Frustadas de ser Designer

Faz tempo que eu queria tentar pintar no photoshop novamente, já que minha primeira tentativa não foi lá grande coisa. Como gosto muito de desenhar anime e geralmente eles são cheio de detalhes, decidi fazer algo mais fácil no estilo chibi (personagem de anime em versão mini) de dois personagens da minha fanfic Humanoid Chronicles, a Wilhelmine e o Bill. Algo que eu pensei ser fácil levou mais de quatro horas para ser feito! Aí, eu me pergunto, se os designers mais profissionais também levam horas para pintar uma ilustração tão simples como essa.
Quem quiser dar uma olhada melhor no desenho acima, é só clicar nele. Não é grande coisa, mas estou aprendendo, pelo menos, eu acho. Só vou aprender ilustração no próximo semestre do técnico, e as coisas andam tão difíceis nesse semestre que até estou com medo do próximo e se vou chegar até lá (MALDITO TCC!).
Como prometido também, vou deixar alguns desenhos que fiz, como estão em A3 (o dobro do tamanho de uma folha sulfite), não dá para escanear, então tirei uma foto.



O primeiro desenho foi feito com giz pastel, o segundo com lápis mesmo e o terceiro com nanquim (sim, o nanquim dá essa impressão de torto mesmo, e olha que o professor queria algo com menos detalhes). Nesse segundo módulo, o professor está ensinando mais formas e digo que isso funciona! De tanto desenhar cubos, pirâmides, entre outros, estou conseguindo fazê-los sem régua :D


O desenho do lado esquerdo também foi feito com giz pastel, copiei de uma revista de cabelos. O desenho da direita copiei de um mangá que a professora trouxe no primeiro semestre sobre a bomba de Hiroshima para falar sobre rachura. O do meio foi um desenho livre que também fiz par ao técnico, é de uma personagem de anime (não lembro o nome e nem terminei de assistir o anime porque ele era muito confuso e viajado) que gostei e tenho umas fotos no computador. Tenho outros desenhos aqui, mas vou deixar para os próximos posts. Tenho que dizer que até que eu ando desenhando bastante esses dias, afinal eu não fazia isso muito tempo e como decidi que vou seguir o ramo de design (não pensem que desisti de ser escritora, é só outro ramo para não viver embaixo da ponte, sabe como que é), preciso treinar!

É, o futuro está aí

Fahrenheit 451

Eu amo livros em que o assunto principal é nada menos que livros. A capa de Fahrenheit 451 chamou-me bastante a atenção, juntamente com o nome, mas só tive vontade de ler, quando vi sua sinopse. A história é sobre Guy Montag, um bombeiro que queima livros. Isso mesmo, na época no qual se passa a história, livros são proibidos e quem os tem e os lê, tem a casa queimada juntamente com eles por nada mais e nada menos que bombeiros. Tal proibição surgiu porque livros fazem as pessoas pensarem e verem como de fato a vida é, sem os livros, você simplesmente aceita os fatos que a televisão lhe diz e torna-se mais “feliz”.
No caso de Guy, ele simplesmente amava queimar livros e não tinha interesse neles até conhecer Clarisse, uma adolescente que prefere ficar prestando atenção nos pequenos detalhes da vida a ficar na frente da televisão e ser manipulada. Outra pessoa que mudou a vida de Guy foi uma velha que preferiu ser queimada com seus livros a viver sem eles. Foi isso que fez o personagem principal acordar e se questionar o que tinha de tão importante nos livros e porque ele não se sentia tão feliz como deveria.
A ambientação do livro no futuro é incrível! Não tem carros voadores nem todos aqueles detalhes dignos de Star Wars, mas há um bocado de coisas realmente criativas. A mulher de Guy, Mildred, vivia conversando com seus familiares de mentira, ou seja, as paredes da casa simulavam pessoas que conversavam com ela, para ela não ficar tão sozinha. Há também a apresentação do Sabujo Mecânico, um cão robótico monstruoso que consegue perseguir qualquer coisa a partir do seu cheiro.
A narração do livro também é muito bonita, um tanto rebuscada e cheia de metáforas o que deixa tudo um tanto confuso, mas dá para ler sem muitos problemas. Há frases no livro tão incríveis e filosóficas que minha vontade era de anotar todas, principalmente sobre a importância dos livros e o amor que muitos sentiam por eles, assim como eu. Também fala sobre a importância das pessoas e como cada uma deixa sua marca no mundo, dependendo do que ela fazia.
Na versão que eu li no livro, no final, há uma mensagem do escritor Ray Bradbury muito boa! Sempre me senti um tanto insegura ao escrever, com medo de que as pessoas não gostassem e Ray mostra como cada um tem um jeito de escrever e que não deveria mudar nunca de acordo com o que as outras pessoas pensam. Não tenho nem críticas sobre o livro, sobre a forma que ele me chocou e como amei lê-lo! Fahrenheit 451 é realmente um livro perigoso, daqueles que muda seu jeito de pensar e faz analisar a vida de outra forma.

Sonhos

Siga seus sonhos. É isso que eu sempre vivo dizendo para as pessoas e para mim mesma. Sempre fui um bocado niilista e achava que a vida não tinha razão nenhuma (e não adianta dizer que todos temos um propósito e blablabla) até encontrar um significado para ela: sonhos. Eu simplesmente não seria nada se não fosse meus sonhos, minha vontade desesperada de alcançá-los e descobrir que eles não estão tão longes quanto eu imaginava. A única coisa ruim é que sonhos também se tornam um problema se você só vive deles e não tem coragem de realizá-los. Confesso que tenho medo de quando chegar a hora, não seja como eu imaginava e eu me decepcione com toda aquela magia que eu tinha criado para mim mesma. Mas se eu continuar a pensar nisso, provavelmente nunca vou saber o que vai acontecer se não tentar. Só que é complicado e difícil.
Ninguém nos ensina a alcançá-los, muito menos a sermos felizes com isso. Geralmente, as pessoas se interassam mais por coisas fúteis, como dinheiro. Não que eu seja hipócrita o suficiente para dizer que dinheiro não é importante, mas acho que a felicidade importa muito mais. Não quero ser mais uma pessoa em um milhão, que simplesmente almeja mais dinheiro e não almeja felicidade. Eu quero sorrir mais com minhas conquistas, receber reconhecimento, ouvir das pessoas que eu realmente sei fazer algo bem e não saber quanto há em minha conta bancária ou quanto vou receber no final do mês. Quero fazer as coisas porque gosto e não porque recebe mais. Porque seguir o ques os outros me mandam fazer ou ser, nunca foi o meu forte. Se for para eu me decepcionar, quero colocar a culpa em mim mesma, por ter tentado e não nos outros, porque me ordenaram. Quero fazer isso por mim mesma. E quero saber por mim mesma se meus sonhos são minha salvação ou minha perdição.

Bobby Chiu



Bobby Chiu é um artista bastante conhecido, mesmo você não sabendo o nome, com certeza vai conseguir identificar seus desenhos e suas artes. Sua carreira começou com nada menos que dezessete anos, fazendo design para a Disney, Warner Bros., criando o design dos bonecos do Star Wars e Thinkway em Toronto, Canadá. Ele ganhou muitos prêmios por causa dos seus trabalhos independentes. Ele prefere trabalhar como ilustrador de filmes e televisão e ensina pintura digital no site Schoolism. Para você ter uma ideia, ele participou da criação de arte conceitual do filme Alice no País das Maravilhas de Tim Burton, junto com Kei Acedera.










Nem preciso dizer que o cara desenha e manja muito, não é? Quem dera eu poder um dia ser igual a ele e olha que tenho dezessete anos ):

Promoção: Concorra a 10 livros De Sérgio Pereira Couto

1 livro Help - A Lenda De Um Beatlemaniaco
1 livro Jogos Criminais - Contos Policiais
1 livro Decifrando o Símbolo Perdido
1 livro Dicionário da Maçonaria
1 livro Investigaçao Criminal
1 livro Manual Da Investigaçao Forense
1 livro Sociedades Secretas
1 livro Segredos E Lendas Do Rock
1 livro Segredos Do Nazismo, Os
1 livro Sociedades Secretas - O Submundo

Quer ganhar 10 livros incríveis? Basta ir até site Polígrafos, seguir o blog, cadastrar seu e-mail no feedburn e preencher o formulário corretamente. MAS NÃO SE ESQUEÇA, na pergunta Qual blog literário indicou você para esta promoção, procure por Spleen Juice e envie :D

O Santo Inquérito

Quando nasci, fui batizada no catolicismo e sempre estudei também em colégio católico, mas de fato, a religião pregada por ela nunca chamou muito minha atenção. Foi se passando os anos e cada vez me distanciei mais até decidir me tornar agnóstica, ou seja, não tenho religião, acredito em alguma força oculta que rege o mundo, mas não quero realmente saber o que é. Também não me interesso mais em saber o que há depois da morte, acho que devemos nos preocupar mais com a vida.
Mas, deixando meus pensamentos e crenças de lado, esse post, na verdade, é para falar sobre o livro O Santo Inquérito de Dias Gomes, que foi escrito em forma de teatro, apenas com falas, descrições de cenas, expressões dos personagens e alguns acontecimentos. A história é baseada em uma lenda ou uma história verdadeira – ninguém realmente sabe – de uma pobre jovem chamada Branca Dias, que acreditava que Deus estava em todas as pequenas coisas e sonhava em se casar com Augusto Coutinho, seu noivo. Sua história muda dramaticamente quando salva um padre que estava se afogando e ele decide, em troca, “salvá-la” – mas, na verdade, ele acaba se apaixonando por ela. Tudo que Branca acreditava começava a ser questionado e o Padre chega à conclusão de que ela estava sendo levada pelo Diabo – por ela ser descendente de judeus, por se banhar nua em uma sexta-feira e mais uma série de motivos absurdos. Então, da mesma forma que Joana D’arc foi para um inquérito, Branca também foi, e o fim dela foi algo bem próximo da heroína citada.
Sei que acabei falando spoiler, mas o livro é curto, na contracapa já conta o final e na introdução Dias Gomes conta um pouco da lenda em que ele baseou o livro, ou seja, não contei nada demais. Branca é uma personagem simples, realmente pode ser considerada pura e que vê Deus em tudo, no campo, no Sol, na natureza, mas que é descendente de novos-cristãos (antigos judeus) e nunca vai à igreja. Ela vive com seu pai Simão e com seu noivo Augusto e tem tudo para ter uma vida feliz até a chegada do padre.
Não tem como não ficar com raiva da igreja, ainda mais quando a história de fato, aconteceu – talvez não da forma sarcástica que o livro apresenta, mas houve algumas mulheres que morreram em uma época de Inquisição no Nordeste. Branca só morreu porque o Padre acreditava que era única forma de livrar a si mesmo da tentação. A história é realmente triste, principalmente ao ver que um livro pode estar falando a verdade e não é só sobre religião. Às vezes, nós, humanos, temos certa tendência a fazer “justiça” de forma errada e com violência, aniquilando inocentes como Branca, que não tem culpa de nada. Vemos o tempo todo na televisão diversas mortes que poderiam ser evitadas se as pessoas tivessem mais compaixão ou simplesmente entendessem que matar nunca vai levar em nada.
Como diz na contracapa do livro “O Santo Inquérito focaliza, fundamentalmente, o direito que o ser humano tem às suas ideias e à liberdade de expressá-las e vivê-las”. O caso de Branca aconteceu faz tempo, e porque, atualmente, muita coisa não mudou?