Capitães da Areia

Voltei com as resenhas de livros! É que finalmente tudo anda mais calmo, principalmente com a aproximação das férias, então deu para acabar de ler Capitães da Areia, que além de ser um clássico da literatura brasileira também é um dos livros da Fuvest. Eu já tinha plena certeza que iria gostar do livro, por ter uma leitura mais fácil e falar de um tema bastante polêmico que são os meninos de ruas. E não me enganei quando cheguei ao final.
A história é sobre um grupo chamado Capitães da Areia, um bando de garotos abandonados, sem família, que fazem de tudo para sobreviver pelas ruas da Bahia. O livro destaca vários personagens como o líder Pedro Bala, um garoto loiro, com um corte no rosto que é muito esperto e perdeu seu pai quando este foi morto em uma greve. Também há João Grande, um negro enorme e não muito esperto, mas com grande coração. Sem-pernas, um garoto coxo que guarda um grande ódio no coração por nunca ter tido carinho nem família. Professor, um garoto que gosta muito de ler e tem o grande dom de desenhar. Pirulito, um rapaz que se tornou totalmente devoto a Deus por causa da intervenção do Padre José Pedro. Volta-Seca, afilhado do cangaceiro Lampião que sonha em lutar ao lado do seu padrinho. Gato, um rapaz bonito e bem arrumado que tem um caso com uma prostituta. E por fim, a única garota do grupo, que chega um tempinho depois: Dora.
O estilo que Jorge Amado escreve é bem diferente do que eu estava acostumada, mesmo assim eu gostei muito. Ele repete um bocado de informações, como se fosse pensamentos confusos dos personagens e dando mais ênfase em certas partes. Tudo é descrito de forma tão realista, que realmente parece que você está dentro do livro e convive com isso todos os dias. É realmente uma viagem a Bahia. Há também cenas um bocado tensas e mostrando realmente a realidade como tal é, por mais que seja um livro antigo, relata o sexo, estupro, jogos e toda a vida cruel e malandra dos meninos de rua.
Acho que o personagem, que ao meu ver, mais chamou minha atenção foi o Sem-pernas. Acho que Jorge Amado deu um aprofundamento maior nele, mostrando como ele agia por fora e como de fato era por dentro. Por mais que Sem-pernas fosse um garoto bravo e que gostava de zoar os outros, ele camuflava seu ódio, a insatisfação, a solidão e suas fraquezas. Certa vez, ele foi pego por policiais que ficaram o torturando por causa do seu defeito na perna e isso acarretou uma raiva e uma vontade de vingança enorme nele.
Outro personagem que gostei muito foi Dora, acho que por ser uma das únicas personagens femininas e também por mostrar que isso não a difere dos outros Capitães da Areia. Ela mostrou sua coragem e ainda cuidava de todos os garotos, como uma mãe e uma irmã. Achei também lindo o seu romance com Pedro Bala e a parte que ele fala sobre as estrelas , procurando Dora nelas.
Sei que muitas pessoas tem relutância em ler clássicos da literatura, mas Capitães da Areia decididamente não vai ser um problema. A história agrada, os personagens agradam e você não vai ter dificuldade nenhuma com palavras difíceis, já que há um bocado de linguagem coloquial. Simplesmente adorei ler o livro e fico inconformada por não ter conseguido terminar antes!

2 Comentários:

  1. jah tinha ouvido flar do livro mas não fazia idéia de como era a história, gostei da resenha!^^

    --
    hangover at 16

    ResponderExcluir
  2. Pois eu amo clássicos!
    Quem não ler p/ mim não é leitor de verdade ¬¬

    Eu gosto de Jorge Amado!o/

    bjs

    ResponderExcluir