A Garota dos Pés de Vidro

Se eu pudesse classificar esse livro, eu o classificaria como um livro perigoso. Isso mesmo. Ao lê-lo, você corre o risco de se envolver demais com uma história fantástica e fantasiosa que parece tão próxima da realidade quanto as coisas simples do nosso cotidiano. Só de começar a ler a sinopse na contracapa, você já fica um tanto abismado, sem entender de fato do que se trata o livro.
“Você acreditaria que há uma criatura que transforma tudo o que olha em branco? Que há corpos de vidros afundados na água do pântano? E vacas do tamanho de insetos, com asas de borboletas? Então ainda não pode enfrentar o que está acontecendo com você”.
Na história, Ida Maclaird também se depara com esse questionamento. Ela é uma exploradora que com pouca idade já viajou o mundo e vivenciou altas aventuras até descobrir que seus pés estavam se tornando vidro. Ela se lembrava de já ter ouvido isso antes de um senhor chamado Henry Fuwa, que morava em uma ilha a qual visitou fazia tempo. Desesperada para encontrar uma cura, ela volta para a ilha e tenta encontrá-lo. Mas ela acaba se deparando com Midas Crook, um fotógrafo melancólico, que adora tirar fotos monocromáticas e sofre com traumas do passado. Junto, os dois tentarão descobrir uma forma de curar Ida e impedir que ela se torne completamente em vidro.
A melhor coisa que tenho a dizer sobre a história é que ela é FANTÁSTICA, SIMPLESMENTE MÁGICA! Por mais que pareça algo bizarro como vacas pequeninas voando ou pessoas virando vidro, Ali Shaw escreve de uma maneira tão bonita e gostosa de ler que parece que tudo é real, que pode acontecer com você. Juro que depois de terminar o livro, dei uma olhada em mim para ver se eu também não estava virando vidro (eu devo ter problemas sério, relevem isso).
Mas, como nem tudo são flores, a história é um bocado triste, só que do jeito que eu gosto. Talvez esse seja o livro que tenha mais personagens complexos e deprimidos que eu já vi. E como meus gostos não são dos mais normais, sempre tenho preferência por personagens nesse estilo. Não preciso nem dizer que Midas tornou-se meu personagem favorito, simplesmente o personagem mais complexo da trama (mas acho que ele não supera o pai na complexidade). Identifiquei-me com ele em diversas partes, era como se eu estivesse lendo, muitas vezes, a descrição da minha personalidade.
Ida, ao meu ver, foi a personagem mais simples e previsível. Eu era capaz de adivinhar toda a personalidade dela, enquanto não acontecia o mesmo com Midas. Mesmo os dois sendo opostos, um completou o outro. A garota aventureira, o garoto anti-social. E desde o começo, você vai desejar que os dois acabem juntos e anseia pelas páginas que mostrem esse desfecho.
Acabei o livro aos prantos. Pensativa com toda a situação mostrada. Talvez, o livro por mais fantasioso que seja, mostre uma metáfora da vida. De como temos pouco tempo e como temos que aproveitar o máximo dos nossos dias, porque pode ser o último. Os personagens são dos mais diversos e você acaba se identificando com o drama de pelo menos um deles.
Juro, que se de fato Hauda’s Land (o lugar onde se passa a história) existisse, eu gostaria muito de visitar e conhecer as vaquinhas voadoras, a criatura que transforma tudo em branco e as perigosas águas-vivas que brilham e mudam de cor.

8 Comentários:

  1. que capa mais linda! uma amiga ja me falou sobre esse livro, tenho vontade de ler, quando acabar os que eu tenho aqui vou inclui-lo na lista :}

    ResponderExcluir
  2. Olha o milagre, nunca tinha ouvido falar desse livro. Deve ser um tanto tenso ter uma doença rara que transforma você em vidro... quer dizer, isso é sequer possível?
    xx Juh Annye
    Hangover at 16.

    ResponderExcluir
  3. parece um livro magico mesmo, pena que não to lendo nada até o vestibular passsar, mas ja add no skoob para me lembrar dele ;D

    ResponderExcluir
  4. Já tinha visto esse livro, mas nunca me interessei pelo mesmo. Mas antes mesmo de ler a sua resenha, pude perceber através da capa - que é linda - o quanto de magia que o livro iria nos proporcionar. Eu gostei muito da sua resenha, inclusive, fiquei com muita vontade de lê-lo pelo mesmo. Muito boa resenha, continue assim :*
    Pãm
    http://jovemleitora.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Não conhecia este título, mas realmente, pela resenha que você escreveu, parece ser maravilhoso. Um mundo fantasioso (pés de vidro, alguém já descobriu a cura caso seja real?), mas, aparentemente, bem escrito.

    Se achá-lo para comprar, assim o farei! (:

    Adorei o blog e quero saber todas as novidades! Já estou seguindo. Espero que curta o meu!
    http://www.pronomeinterrogativo.com

    ResponderExcluir
  6. Olha só, bem que dizem que não se pode julgar um livro pela capa.

    Um tempinho atrás, quando fui na Saraiva, cheguei a pegá-lo na mão, pensando seriamente em levá-lo. Mas não confiei muito na sinopse da contracapa, talvez com medo de ser uma historia ruim. Até porque meu pai me enche o saco quanto a livros de ficção, dizendo que devo ler livros que ensinam algo realmente e não essas 'historinhas que não levam a nada'(tanto que lá em casa o que reinam são os livros de parapsicologia XP). Bem, acabei (me fodendo) levando para casa nesse dia o Assassin's Creed, que ao meu ver tinha tudo para me agradar pelo enredo da historia, a 'capa legal' e o estilo de historia que eu gostava. Éhhh, para ser um ótimo livro só faltou o autor saber escrever kkk Sério, até eu que não sou tão perita assim tive vontade de começar a reescrevê-lo e deixá-lo um livro decente u.u

    Isso tudo só me deixa uma lição, que já me cansei de ouvir, mas nunca levei realmente a sério: Não julgue o livro pela capa.

    Desculpe pelo mega texto kk

    ResponderExcluir
  7. Olá tudo bem?
    Esse livro parece ser perfeito. É triste? Isso não importa, isso na verdade me da a sensação de realidade. Geralmente tudo que é fictício é lindo e feliz. Gostei da dia.
    Beijos

    http://plick-plock.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. olá dasty,
    passei aqui para ler suas impressões sobre "a garota dos pés de vidro"... eu achei o livro um pouco estranho, mas lendo o seu texto percebi que é necessário um certo frescor, uma certa credulidade para lê-lo... realmente o fator encantamento é importante!
    bem, coloquei o link do seu post no meu post... se quiser passar no meu blog para ver:
    http://clubedaluluzinhabyzandali.blogspot.com

    abraços e boas leituras!

    ResponderExcluir