Fanny Hill


A primeira coisa que você precisa saber sobre Fanny Hill é que é um livro erótico do século XVIII. Ou seja, muitas pessoas não vão gostar pelo tema e, por mais que já tenha passado muito tempo, sexo ainda é visto como tabu nos dias de hoje.
A história é sobre Fanny, uma garota de quinze anos que vive no interior da Inglaterra, bastante inocente e pura. Após perder seus pais, ela parte para Londres em busca de uma nova vida, ela só não sabia que seria tão corrompida no processo. Ela acaba encontrando emprego na casa de Mrs. Brown, uma cafetina, que acaba aliciando Fanny por causa da sua inocência. É assim que começa seu primeiro contato com a prostituição. Porém, ela não fica muito tempo com essa mulher, porque se apaixona por Charles, um belo rapaz, com quem ela foge. Mas nem por isso ela acaba evitando o destino que lhe foi traçado.
A narração é em primeira pessoa e é como se ela estivesse escrevendo uma carta para alguém, contando toda a sua vida. O engraçado é que o livro foi escrito por um homem, achei que algumas vezes ele retratou muito bem os pensamentos e ações femininas, porém, algumas vezes dava para ver que de fato o livro foi escrito por um indivíduo masculino que fala mais do prazer do que amor. Porque, convenhamos, acho que seria mais chocante do que foi se fosse escrito por uma mulher.
Mesmo assim, eu gostei bastante do livro. Até as cenas mais pesadas, foram escritas de forma tão rebuscadas e cheias de metáforas e comparações que não chegavam a ficar tão vulgar. E eram realmente bastantes cenas de sexo. Gostei também da personagem Fanny, dá para ver como no começo ela era realmente inocente e aos poucos foi aprendendo a ser mais esperta e astuta até não sobrar quase nada da menina do começo do livro. Também gostei muito do final, apesar de parecer meio irreal e coincidente.
O mais interessante era ver como eram as casas das cafetinas no século XVIII. De dia, pareciam realmente casas que pertenciam a alguém de boa índole e até as “moças” trabalhavam como boas jovens de família. Alguns bordéis escondiam tão bem sua natureza que só poucas pessoas o conheciam. O que me incomodou é que John Cleland faz a prostituição naquela época parecer algo bonito, como se a vida fosse um mar de rosas, o que de fato, não foi, não é e nem vai ser.
Particularmente, eu gostei da leitura. Não sou preconceituosa e realmente leio qualquer livro que parar em minha mão, até bula de remédio. E em questão de erotismo, já li livros até piores (livros que não possuíam esse enfoque, mas que tinham cenas um tanto chocantes). Para quem adora livros de época, eu indico. Acho que é um ponto de vista diferente que vale a pena ser lido.

6 Comentários:

  1. HAHAHAHA, que coincidência! Meu post também é sobre uma prostituta. o_o
    Esse livro deve ser muito bom, vou adicionar à lista de desejos e assim que tiver um dinheirinho vou comprar!
    Aliás, você comprou pela internet, se sim, passa o link?
    Há, Ryusei no Kizuna é muito bom! Assista, você vai se surpreender! :)

    ResponderExcluir
  2. Oi Dasty, já li um livro com trama semelhante, mas não consigo lembrar do título! Que resenha legal, eu não entendo porque leio resenhas de livros que provavelmente não lerei hahaha #vício-em-blogs-literários.
    Eu não consigo ler qualquer livro! Quem me dera ser assim, eu acho que leria muito mais...

    ResponderExcluir
  3. "faz a prostituição naquela época parecer algo bonito" Acho que se a autora fosse mulher não seria assim xD Mas parece ser um livro interessante... adoro esse período histórico.

    ResponderExcluir
  4. Já li um livro nesse estilo, mas ele foi bem mais ligado à comédia mesmo com as cenas picantes. Gosto mais de quando falaram sobre o período histórico e de como as mulheres eram tratadas, é tão diferente ^^
    Gostei da resenha :D

    Beijos
    aritmeticadasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Livro erótico? agora eu quero ler Rs brincadeira, a história realmente pareceu legal, nao sei se foi a sua resenha ou se o livro é realmente bom. Enfim, só pra não dizer que eu não falei nada sobre isso... O livro é erótico, não é? Então é obvio que é mais focado no prazer, independente da história ter sido escrita por um homem. Porque vocês mulheres insistem em nos tachar como "seres tarados desprovidos de qualquer sentimento que se assemelhe ao romantismo"? Haha

    ResponderExcluir
  6. parece ser interessante :) gosto quando os personagens mudam bastante durante o livro... é mais real, sabe? ngm permanece o mesmo de um ano pra outro.

    ResponderExcluir