Hyouka


Novamente um achado do Tumblr. Só de olhar para alguns gifs do anime, já dava para saber que eram dos mesmos criados de K-ON, por causa dos traços delicados e bonitos. Eu não sabia nada da história, mesmo assim, fiquei louca para descobrir o nome e poder curtir algum novo anime, já que o último que vi foi Another.
Hyouka conta a história de um personagem bastante peculiar, chamado Oreki Houtarou, que acaba de entrar no ensino médio e tem um lema de vida: “Se eu não preciso fazer algo, não farei. Se eu tiver que fazer algo, que seja feito da forma mais rápida possível”. Ou seja, para os leigos, ele leva a vida com a barriga, não dá a mínima para nada e evita se expor. Por isso, ele estava decidido a não entrar em nenhum daqueles clubes da escola (de matemática, de esoterismo, de basquete, etc) até que recebe uma carta de sua irmã, dizendo que ele deve entrar para o Clube de Literatura Clássica. O clube irá sumir caso não tenha ninguém inscrito nele. Então, como não haverá mais ninguém e não haverá compromissos, Houtarou decide se inscrever.


O problema é que quando ele pega a chave da porta do clube e entra no local, ele descobre ali uma misteriosa e bonita garota chamada Chitanda Eru. Ela também se inscreveu para o Clube de Literatura Clássica o que já resolvia o problema dele de que ninguém havia se inscrito. Mas, de repente, surge uma dúvida: como Eru conseguiu entrar no clube sendo que a porta estava fechada e a chave estava com Houtarou? Apesar de ela alegar que quando entrara, estava aberta, a porta definitivamente estava fechada depois. Esse mistério desperta um enorme interesse em Eru, que quer descobrir o motivo desse acontecimento. E apesar de isso ir contra o lema de vida e ideologia de Houtarou, ele decidi ajudá-la. O motivo é bastante óbvio, ele se apaixona por ela.


Com essa sinopse você pode pensar duas coisas: o anime se trata de mais um daqueles romances bobinhos e tem alguns toques sobrenaturais. Eu pensei nisso quando li a sinopse, porém, não julgue o livro pela capa, o anime não tem nada disso. Fica claro que Houtarou gosta de Eru, mas o foco do anime não é romance. Ele realmente começa a ver a vida de outro modo a partir desse acontecimento, mas duvido muito que o romance vai evoluir. Dá para contar nos dedos os animes que acontece isso. Se acontecer, não será ruim de qualquer forma.
Mas qual o enfoque do anime, então? Definitivamente mistério. Pode parecer que tenha algum assunto sobrenatural, mas não tem. Todos os mistérios até então apresentados no anime possuem uma explicação real, que exige muita perspicácia e lógica. Houtarou, apesar de aparentar ser um personagem apagado por causa do seu estilo de vida, na verdade, ele tem uma personalidade incrível. Ele é observador e calculista, percebe muita coisa por pequenos detalhes, algo tão digno de Sherlock Holmes. Portas fechando sozinhas, sala de música assombrada, coleção de livros desaparecidos, sociedades secretas, tudo isso é resolvido por Houtarou.
Já Eru, ela ganha você pela personagem fofa que é. Ela também é uma garota inteligente e bastante animada, qualquer mistério que surge, fica com imensa vontade de descobrir a resolução. Sua frase mais famosa é “Watashi, Kininarimasu!”, que significa algo como “Eu não consigo parar de pensar nisso!”. Por mais que Houtarou odeie participar dessas empreitadas, ele acaba cedendo.


Há outros personagens legais, como Fukube Satoshi, melhor amigo de Houtarou, que é o contrário deste. Super animado, falante e sempre interessados em atividades extracurriculares, ele não hesita em participar do Clube de Literatura Clássica para ajudar Eru. Outra que adere a causa é Ibara Mayaka, uma garota briguenta que trabalha na biblioteca e que gosta de Fukube. Juntos, um dos principais mistérios que tentarão descobrir é o passado do Clube de Literatura Clássica e o passado do tio de Eru, Sekitani Jun, que participou desse clube também.
Sério, eu achei esse anime bem diferente. Não que seja criativo, porque ele segue a mesma linha de K-ON, um clube da escola que está para acabar e precisa de membros, sem falar que os estilos dos personagens podem ser achados em qualquer anime genérico. Porém achei que o enfoque se diferenciou. Também achei os personagens bastante profundos, com personalidades marcantes. Sem falar que possui toda daquela filosofia que gosto muito em animes e que sinto falta em filmes, séries, entre outros. Ele também me lembrou um pouco de outro anime, chamado Suzumiya Haruhi no Yuuutsu. Mas, estou gostando mais de Hyouka do que de Suzumiya, talvez porque este último era confuso demais e abordava mais o tema sobrenatural.

A Eru é tão fofa!
Ah, quanto ao que significa Hyouka, vou deixar para a curiosidade de vocês, já que o próprio anime explica no episódio cinco. Se eu contar, acaba a graça. O anime por enquanto tem seis episódios, mas, pelo que eu vi, vai ter vinte e um.

8 Comentários:

  1. Não assisto animes, sei lá porque. Eu quase nem tenho tempo pra séries. Não sou muito ligado em cultura oriental. Por mais que eu ache mistério foda e tal, sou mais os livros.

    ResponderExcluir
  2. Nhaaa, parece tão kawaii! Adoro essas histórias de romance sobrenatural quando tem algo a mais do que o que a gente sempre vê por ai. Vou tentar assistir! :3
    Há, Chakushin Ari é um dorama, tem filme também mas aquela história é do dorama. xD
    Então, se eu disser que já assisti umas 6 vezes responde sua pergunta? xD

    ResponderExcluir
  3. Parece ser muito bom mesmo, eu gosto muito de personagens nesse estilo, observadores e calculistas.

    ResponderExcluir
  4. Parei com animes tem um tempão e, quando comecei a ler, achei que não ia me interessar. Primeiro que a arte me encantou, pois é mais refinada, menos infantil. Segundo pela maturidade da história PELO QUE VOCÊ FALOU. Vai fechar numa temporada ou vai estender, sabe me dizer? E, sim, vou baixar pra assistir. Preciso de algo no celular, pelo menos, quando estiver nas ruas.

    Sobre seu comentário lá no meu post "Game Boy Color", Pokémon BW sim, é LINDO visualmente, mas perdeu a essência. A partir da terceira geração, Pokémon começou a se perder, isso é fato. Mas não adianta. Agora, nas férias, vou desenhar um fanzine virtual online de Pokémon, vivendo as aventuras de um Enrique e seu Typhlosion chamado Boom. Que lindo.

    ResponderExcluir
  5. Opa, já gostei, assisti K-ON! e amei, super fofo e divertido, esse, apesar de ter um começo bastante parecido, acho que tem um desenvolvimento totalmente diferente, me interessei, sem falar que coisas misteriosas costumam me prender, gosto mesmo. ♥

    ResponderExcluir
  6. É, se eu morrer agora nem sei o que poderiam publicar meu... Nada, provavelmente RS
    Alvares de Azevedo é FODA. Muito foda. Meu ídolo seria uma mistura dele com Nelson Rodrigues haha
    E você é escritora sim, gata, seus posta são muito bons.

    ResponderExcluir
  7. Parece divertido XD
    Por algum motivo, ao ler a parte em que o romance nem é o centro de tudo mas que o personagem acaba mudando aos poucos a maneira como ve o mundo, eu acabei lembrando de um anime muuito louco, talvez vc goste, talvez não, talvez vc ja conheça e tenha visto XD É Arakawa Under the Bridge, é bem psicodélico XD
    :*

    ResponderExcluir
  8. Não curto muito animes - ou qualquer coisa de cultura japonesa, aliás - mas admiro bastante os desenhos. A arte é tão mais atraentes do que a de outros países!

    ResponderExcluir