Luto #2


Eu perdi meu celular. Faz exatamente um mês que eu perdi meu estojo (que foi achado) e eu perdi meu celular! Não acredito até agora que isso aconteceu, parece que vou simplesmente acordar de um pesadelo e vou encontrá-lo do meu lado. Que ele irá me despertar todas as manhãs com aquela musiquinha insuportável, que ele ficará piscando sem nenhum motivo aparente enquanto penso que são fantasmas tentando se comunicar comigo (não), que ele irá tocar minhas 200 músicas que me alegram todas as manhãs no caminho da faculdade.


Daqui a pouco esse blog ficará sendo um achados e perdidos, de tanta coisa que perco nesse mundo e que são extremamente importantes. Apesar de que tudo que eu tenho é importante. É incrível como consigo me apegar até coisas sem tanto significado como uma borracha.


O negócio é que lá estava eu saindo do metrô para pegar outro ônibus. Eu deixo meu celular no bolso de trás (tamanha burrice, podem concordar) junto com meu bilhete único. Então, antes de subir no ônibus, eu peguei meu bilhete único do bolso e o celular estava lá. Subi no ônibus, paguei a passagem e quando fui me sentar, notei que ele não estava mais. Simples assim. Sumiu igual a fumaça. Comecei a verificar todos meus bolsos, minha mochila e comecei até a procurar no chão. Um homem ao meu lado emprestou o celular dele para eu ligar e vê se não tinha caído próximo, mas não havia sinal do maldito. Nada.


Eu não sabia que expressão ficar. Apenas olhei para o cobrador e para aquele homem com cara de tacho, petrificada. Não conseguia acreditar que há três minutos atrás meu celular estava comigo e agora sumira. Talvez, ao subir o ônibus, ele tenha caído do meu bolso. Mas, sinceramente, eu acho que alguém roubou e fui muito estúpida para perceber. Acho que o cara que me deu passagem para subir no ônibus o surrupiou de mim!
Pensei em parar ônibus, pensei em voltar para o metrô quando chegasse na faculdade só para ver se ele estava no chão ainda. O negócio é que faltavam vinte minutos para começar as aulas e ontem começaram as provas finais. Eu não podia perder a prova. Se há um grau de importância nessa vida, a prova estava em primeiro lugar no momento.
Então, acabei indo para a aula. Sempre achei engraçado pessoas chorando na sala de aula da faculdade, já vi várias e não entendia porque elas não conseguiam segurar ou fazer isso no banheiro. Geralmente eram problemas de relacionamento ou familiares. O negócio é que quando cheguei na sala de aula, comecei a chorar igual a todo mundo enquanto contava para minhas amigas o que aconteceu. Posso parecer fria e insensível, mas sei chorar facilmente que é uma beleza.


Elas me aconselharam a ligar para minha mãe, o que eu achei uma ideia ruim, afinal minha mãe iria arrancar minha alma. Mesmo assim, eu devia avisá-la, caso ela tentasse me ligar e não conseguisse. E, para minha surpresa, ela não brigou e disse realmente o que eu deveria fazer: me acalmar para não me prejudicar a prova.
Eu suspirei fundo e tentei deixar meus problemas de lado. Sentei naquela mesa, olhei para aquela prova e fiz. E quer saber? Não me lembrei em nenhum momento daquele celular e fui fazendo facilmente. O professor corrigiu as provas em sala de aula e soube que fui muito bem! Pelo menos alguma coisa para alegrar meu dia!
É claro que quando cheguei em casa meu pai deu-me um sermão de como sou desligada e devo prestar mais atenção as coisas que acontecem ao meu redor. E é claro que perder o celular não significa que vou ganhar um Iphone ou qualquer coisa do tipo. Na verdade, vou voltar ao velhos tempos. Meu novo celular será meu antigo V3 roxo, sem espaço para músicas e que só sabe fazer o básico da vida eletrônica: ligar e mandar mensagens.
E o pior nem foi perder o celular. Foi associar isso a vida, como ela é efêmera! Alguns minutos eu estava ouvindo Welcome Home do Radical Face, achando-a uma das músicas mais legais que já ouvi e logo em seguida, tchau 200 músicas! Quem roubou meu celular, saiba que saiu ganhando não por ter roubado, mas por ter 200 músicas super legais que vão de screamo a kpop e ainda tem indie-folk! E espere até ele ouvir minhas músicas russas, há!
Então, se por acaso vocês encontrarem um celular na rua igual a esse da foto acima, peço encarecidamente para me devolver, porque ainda tenho esperanças de encontrá-lo (o que é praticamente impossível já que perdi em plena São Paulo). Agora, se o celular foi roubado, espero sinceramente que a pessoa sofra todas as consequências possíveis. Não vou ter piedade.


14 Comentários:

  1. caramba, sinto muito pelo seu celular. Eu acho que ele foi roubado mesmo, deve ser horrivel. Eu estou só esperando para quando chegar a minha vez disso acontecer.

    ResponderExcluir
  2. Se serve de consolo, já perdi 3 celulares das maneiras mais estúpidas possíveis. Um deles sequer era meu. É horrível perder alguma coisa que se usa sempre, mas acontece. Mais celulares virão.

    ResponderExcluir
  3. Trágico :/ Já perdi um celular, e até hoje sinto dor no coração quando lembro :/ Tinha várias músicas, sms de estimação, fotos de estimação...E depois disso, nunca mais tive um celular muderno, o meu de agora é pobrinho :(
    O que restou foi o medo de perder de novo, fiquei extremamente paranoica com celular e bilhete unico depois disso.
    Espero que o prejuizo possa ser amenizado da melhor forma possível, caso o celular nunca mais seja encontrado :/
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Não fique assim =/ Eu já perdi 3 celulares u_u Um me roubaram, os outros dois eu perdi mesmo. O último era um sony ericson w100, lindo lindo, o melhor celular que ja tive, e o coloquei no bolso e logo que entrei no onibus me dei falta dele, exatamente como vc. Mas ele não foi roubado, ele caiu. Uns funcionários da faculdade acharam e me devolveram, mas tem um detalhe, um carro passou por cima dele :'D ele funcionou por mais uns meses mas depois nao teve mais jeito =/ agora estou com um samsung muito parecido com o seu ^^

    ResponderExcluir
  5. ano passado passei por quase isso!
    deixei meu celular cair no onibus e nunca mais o vi. :(
    foi muito triste, mas agora eu tenho outro! embora eu gostasse bem mais daquele. enfim...
    vc supera! beijos

    ResponderExcluir
  6. eu nunca perdi um celular, mas já cheguei a perder o dinheiro do onibus, subindo me faltava, acaando tendo que descer pela frente.

    ResponderExcluir
  7. Perder já é ruim, imagine então se for roubado! Não consigo me apegar tanto às coisas. Ou não. Não sei como funcionaria comigo. Um dia, soube que minha irmã, adulta e casada, perdera o celular. Na mesma hora, comentei: "é muita falta de responsabilidade perder um CELULAR". Na mesma semana, perdi o meu. Minha cara foi no chão. Como você bem disse, expandindo o acontecimento pro macrocosmo, a vida é efêmera, como o teatro (postei sobre isso AGORINHA, no Alienrique). Todos os dias morrem, todos os dias morremos mais um pouco e somos MUITO sortudos por podermos ter a chance de acordar para ver amanhã e poder reclamar de tudo. Soa feliz demais, mas nem é. A parada é real, menina. Dificilmente perco as coisas. Não por ser apegado, mas por ser precavido com tudo que tenho. Às vezes, acontece. Quando perdi o meu, fiquei mal também. Depois fiquei feliz. Toda vez que ele tocava, eu reclamava, pois odeio falar ao celular. E músicas, bem, eu deixo no meu GoGear. Foi um momento de pausa e reflexão: "não cuspa pro alto. Nunca se ache precavido o suficiente". No fim, minha cara tava toda cuspida.

    Sobre seu comentário no meu post "Porra, Bruce!", também não vejo final melhor. Tem uma menina, a Isabel, que comentou que tem um namorado que não é físico nesse plano e que não consegue se relacionar com mais ninguém porque NINGUÉM chega aos pés desse namorado. Comigo é a mesma coisa. Se for pra ter algo meia-boca, só pra tapar o buraco da solidão - que consigo lidar muito bem, obrigado - prefiro estar só. E faça tirinhas! E ouça Electra Heart, o segundo e novo CD da Marina and The Diamonds! Vale a pena. Ela trabalha os arquétipos femininos, é genial e gruda na cabeça.

    ResponderExcluir
  8. poxa :/ desde que perdi dez reais (o que, para os meus oito anos na época, era uma fortuna) nunca mais guardei nada no bolso de trás. detesto perder as coisas, porque sempre levo uma bronca homérica quando perco...

    ResponderExcluir
  9. UAL! Quanta dor!
    Nunca perdi um celular, até porque só tive um, que minha irmã quebrou, e o que eu estou usando até hoje. Mas já o esqueci em vários lugares da escola e teve uma vez que ele caiu na porta do hospital e eu não notei. Quando eu sai do hospital e entrei no carro pra vir pra casa foi que me dei conta de que ele não estava comigo. Voltei ao hospital e lá estava ele, no meio dos matinhos na porta do hospital me esperando. Fiquei, ao mesmo tempo, feliz, nervosa e muito chocada.
    Enfim, depois de milhares de brincadeirinhas bestas dos meus amigos de pegar qualquer coisa que esteja no meu bolso de trás sem que eu perceba (me fazendo pirar pensando que perdi), eu não ando mais com nada no bolso de trás, a não ser dinheiro, isso se eu estiver sem bolsa. A melhor maneira de evitar essas coisas é colocar o celular ou dentro da bolsa ou na parte da frente da calça (recomendo muito caso você esteja andando sozinha na rua, principalmente a noite) e sempre no modo vibrador.

    ResponderExcluir
  10. Nossa, você gosta de perder as coisas haha Como se eu fosse muito diferente. Seu pai faz esse discurso de "se ligar nas coisas ao seu redor"? Todos devem fazer.
    Só que eu não perco o meu celular, porque eu cuido dele como se fosse minha esposa rs
    Então quer dizer que você encontrou o estojo? Pelo menos isso. Não acredito que você vá encontrar o celular, e não é só porque eu seja pessimista, mas pelo modo como você perdeu, fica difícil. De qualquer forma, boa sorte.

    ResponderExcluir
  11. Jeová. Dasty, acho que alguém deve ter roubado mesmo, sempre fico angustiada quando vejo pessoas com seus celulares no bolso, principalmente no centro da cidade, onde fica muito mais fácil pra qualquer "espertinho" roubar, coloco o meu no fundo da bolsa e ainda ando com a bolsa pra frente, ali às vezes te tiram a roupa do corpo e você nem nota. Ano passado eu tava com a bolsa nas costas e senti um cara futucando atrás de mim, quando vi, ele estava com o meu espelho na mão, ele deve ter pensado que era um celular, porque era cinza e meio que abria, é desses que de um lado tem o espelho, do outro uma escova, daí você o fecha e tudo lindo. Quando eu olhei pra cara daquela criatura, só Deus sabe a raiva que eu senti, depois ele o colocou de volta na bolsa, bem rápido e quando eu dei por mim, ele já estava futucando na bolsa de outra mulher. Foi a primeira vez que eu quase fui assaltada, e eu nunca senti tanta raiva de alguém como daquele homem, e olha, ainda sinto, fico me perguntando o que eu sentiria pelo maldito se ele chegasse a roubar algo meu.
    Vivo esquecendo as coisas pelos cantos, toda vez que apalpo meu bolso e não sinto meu celular lá, eu gelo, começo a pensar nas possibilidades e vou morrendo por dentro. Desde o dia do quase assalto, ando muito atenta, não posso sentir nada encostando em mim, que já fico em posição de ataque. Enfim.
    Também não acho que você vá encontrar o celular, primeiro porque é um celular, quem não gosta de achar um celular perdido por aí? Segundo porque foi em São Paulo, e isso dispensa maiores comentários. Mas sempre há esperança, né. Sou especialista em perder guarda-chuva, minha mãe arranca meu cérebro toda vez que perco um, magina se eu perco um celular. Quero nem imaginar.
    Beijo. :3

    ResponderExcluir
  12. Já passei por isso. Já perdi três celulares AIUHAIUSHIUSDHIUAHS Não posso dizer que não me apeguei com nenhum deles. Eu gostava deles.
    Mas pior do que ser roubado, ou perder ainda, é quando a culpa pela 'morte' do aparelho é sua.
    Digo isso porque meu ultimo celular (um Nokia N95 - o segundo melhor que já tive na minha vida) simplesmente resolveu dar um mergulho básico num balde com água. Fiquei muito mal pelas minhas tralhas que estavam TODAS nos 8 gb do meu celular... É muito ruim recuperar tuuuudo de novo, fora que você nunca lembra todas as exatas musicas e videos que ele tinha. Sempre fiquei com aquela impressão 'mas tinha mais alguma coisa' e ficava com muita raiva quando percebia que tinha esquecido de reaver talvez algumas das musicas que eu mais ouvia.
    Mas não fique triste, bom, ter um V3 ainda é melhor do que nada. Eu estou bem contente com meu N8 (Nokia) que ganhei depois de perder o meu ultimo celular. Nele disponho de 32 gb pra amontoar minhas coisas, e já estou quase chegando nas 600 musicas que tinha no outro.
    De qualquer forma, boa sorte!

    ResponderExcluir
  13. poxa Dasty, que bad D:. não fica assim, perder celular faz parte.. ;/
    ah e se realmente roubaram seu celular um recado pra pessoa: tomara que o canudo seu toddynho afunde u_u

    ResponderExcluir