A Metamorfose

          Sempre tive vontade de ler A Metamorfose de Kafka. Mas antes de me deparar com o livro, imaginava que ele fosse grosso e bem difícil de ler. Talvez por já ter lido algumas coisas sobre, achei que se tratava de alguma história meio filosófica, apesar de saber do principal. Então, fiquei surpresa ao ver que o livro é fininho e super simples de ser lido, nada de palavras difíceis.


Na história, nos deparamos por Gregor Samsa, um rapaz que trabalha arduamente para sustentar sua família. Em um dia qualquer, ele acaba acordando e percebendo que havia se transformado em um inseto gigante. Simples assim, sem mais explicações ou questionamentos. 

          Gregor de repente se vê em um dilema, afinal, daquela forma não poderia sair de casa e trabalhar. Então ele decide ficar escondido em seu próprio quarto. Sua família, constituída pelos pais e uma irmã, não aceitam bem o fato já que ele que os sustentava. A metamorfose é o estopim para mudar o estilo de vida daquela família. Tanto o pai e a irmã vão procurar emprego, a mãe passa a costurar e começam a usar o lugar onde moram como hospedaria.
          Em contrapartida, Gregor é tratado ruim pela família após a transformação. Ele, que tanto havia se dedicado para sustentá-los, agora, ao ser sustentado por eles, é tratado de forma repugnante. Ninguém gosta de entrar no quarto e ver sua aparência asquerosa, sem falar que tentam escondê-lo o máximo possível. Chega um momento que eles pensam em se livrar dele, já que sua existência tornara-se um estorvo.
          Kafka descreve tão bem como é ser um inseto que isso quase se torna plausível. Gregor, apesar de saber que sua família não o tratava tão bem como antes, não se importou. Continuou em seu isolamento onde preferia que ninguém entrasse em seu quarto. Ele praticamente quase se esquecera de como era ser humano.
          No final, não espere uma explicação científica ou fantasiosa sobre a transformação dele, porque a explicação é mais uma metáfora. O livro é uma crítica ao capitalismo, onde nós só damos valor as pessoas se ganharmos algo com isso. Gregor se dedicou tanto ao trabalho, que foi se tornando medíocre através do tempo.
          Decididamente é uma história para se pensar. E é tão rápida de se ler que você termina em poucas horas.

Novo Layout

Segundo uma tradição milenar, o Spleen Juice sempre coloca a foto de um hamster quando muda de layout. Ainda não há explicações lógicas sobre isso.  
          Finalmente consegui me organizar para fazer um post sobre o novo layout. Eu tinha que ter feito no mesmo dia que coloquei, mas como foi tudo às pressas, nem deu tempo. Eu gostava bastante do outro layout, só que eu me canso muito rápido das coisas, então decidi que iria mudar mesmo.
          O negócio é que eu estava planejando trocar o layout desde Junho, quando comecei a bolar ideias para que nas férias eu pudesse por em prática. Já tinha feito até uns desenhos para o banner principal e só faltava decidir as cores. No começo, eu decidi que continuaria tudo laranja. Porém, achei que seria legal mudar para outra cor, mas qual? Logo veio a combinação de azul e vermelho na minha cabeça. Algo simples. Só faltava a ideia para o banner.
          Tratei de mudar as cores do blog e fiz a ilustração. Ficou podre. Odiei a ilustração e achei que estava muito fraco. Pus novamente as ideias para trabalhar e decidi fazer um layout mais sombrio. Fiz o background e odiei. Peguei um na internet mesmo e achei aceitável. Só faltava o maldito banner novamente. Eu não fazia ideia do que desenhar para colocar lá! A minha última ilustração não tinha atendido minhas expectativas.


          Foi, então, que um novo estilo de desenhos de repente caiu na minha cabeça. Comecei a fazer desenhos nesse mesmo estilo em meu Sketchbook e comecei a amar fazer menininhas com olhos gigantes e tristonhos e com caras de boneca. Estou quase afirmando que “encontrei” meu estilo de desenho, mas acho que preciso trabalhar mais nisso. De qualquer forma, surgiu a ilustração abaixo.

Let's drink something

          Eu amei-a, de verdade. Ficou muito melhor do que eu imaginava. Só que ela sozinha no banner ia ficar muito vazio, aí tratei de fazer uma segunda ilustração que se encontra na página Sobre o Blog. Era um vidro bonitinho contendo o Spleen Juice.

Spleen Juice Glass

          Pronto! Achei que o banner estava bom e coloquei no blog teste para ver como estava. Achei agradável, mas faltava alguma coisa. Mostrei para o meu irmão, se existe alguém nesse mundo que sabe criticar é ele. Você pode achar que tudo está perfeito, mas ele sempre vai achar algo para criticar.
          “Está muito vazio”. Foi o que ele disse. Fiquei pê da vida, mas era verdade. E sei lá, sempre quis ter um layout sombrio, mas acho que no momento, não faz mais jus a minha personalidade. Talvez no futuro. Então, recomecei novamente a pensar no que diabos eu poderia fazer. E as férias já estavam acabando.
          Comecei a lembrar de todos os layouts que tinha pensando antes e novamente veio a minha cabeça o de cor azul e vermelho. Decidi trabalhar nele. O problema era o maldito banner, eu não sabia o que fazer! Praticamente, nos meus últimos dias de férias saiu a menina do layout acima, mas só no meu sketchbook. Ilustrei-a o mais rápido possível. A fonte usada no banner é minha própria letra. Decidi fazer também um menu mais bonitinho do que aquele simples que o blogger faz por conta própria quando você cria páginas.
          Ainda há mais coisas para arrumar, mas aos pouquinhos vou fazendo. Arrumei o Sobre Mim, só que ainda vou achar uma foto melhor para colocar lá. No Sobre o blog coloquei o vidrinho de Spleen Juice que falei acima. Vou arrumar também todas as páginas e outras coisas que ainda me incomodam.
          Talvez, nas próximas férias, eu mude totalmente de novo. Sou assim, não aguento as mesmas coisas por muito tempo, porém, acho que esse layout talvez fique por mais tempo. Simplesmente o adorei.
Essas foram outras ilustrações que fiz durante esse tempo. Espero que gostem também!

Nothing like a box
Fiz essa ilustração quando vi meu gato se divertindo dentro daquelas caixas grandes de leite.

Marceline
Marceline de Adventure Time

Obs: Gente, agradeço mesmo por todos que responderam o formulário. Foram muitas respostas! Fiquei surpresa, porque esperava umas dez. Adorei o que colocaram desde as críticas até aos elogios. Fiquei sabendo de muita coisa que antes não fazia ideia. Mas, sobre isso, falarei em outro post.

Obs2: Outra coisa que queria contar para vocês há tempos, mas sempre me esqueço, é que agora estou também fazendo posts em outro blog, o Sou mais Nihon. É um blog sobre cultura japonesa. Para quem gosta, acho que é um prato cheio. Estamos começando, ainda vou dar uma arrumada no layout de lá também e estamos procurando colunistas. Se você gosta de qualquer coisa relacionada ao Japão, pode se inscrever aqui.

Avaliação do Blog

           Chega uma hora na nossa vida de blogueiro que a gente precisa fazer um desses formulários do Google Docs e saber a opinião das pessoas em relação ao que fazemos aqui. O objetivo sempre é dar uma melhorada no blog a partir das respostas enviadas. Então decidi fazer o meu.
           Tudo bem, vocês me pegaram, na verdade eu SEMPRE quis fazer um desses. Acho tão legal e adoro ficar respondendo de outros blogs. Mas eu também quero saber a opinião de vocês. Devo ser meio stalker, pois sempre quis saber onde diabos vocês acabaram encontrando meu blog. Então, só para disfarçar minha curiosidade mórbida, criei esse formulário bonitinho para vocês responderem e me fazerem feliz.
           Então, não precisa responde tudo não. Respondam o que quiserem. As únicas coisas que são obrigatórias é o sexo e a idade. Mas adoraria que respondessem tudo. Se quiserem xingar o blog e minha pessoa, também pode. E olha só, você ficará anônimo! Não perca sua chance! Ah, sabe aquela coisa que sempre te incomoda no Spleen Juice e você tem vergonha de dizer nos comentários? É aqui que você pode dizer. Também acho que é a oportunidade dos leitores que não comentam, deixar um pouco da sua marquinha.
           Resumindo: Respondam.



           Pronto! Você respondeu o formulário. Agradeço de coração por isso ♥ 

Bienal do Livro 2012

        A última vez que eu fui na Bienal do Livro de São Paulo foi em 2006, justamente o ano que eu havia decidido ser escritora. Lembro que me senti a pessoa mais feliz do mundo ao ver uma enorme quantidade de livros reunidos em apenas um local. Saí de lá com dois livros, um de contos de fadas modernos (super divertido esse livro, uma graça!) e um do Procurando Nemo com a arte do filme, que falava sobre os personagens e cenários.
        Nem lembro porque não fui nos outros anos, mas tive certeza que precisava ir nesse. Então, o único dia que havia me restado por causa da correria era justamente o último, dia 19. Como eu não fazia ideia de como chegar lá, peguei o metrô e fui até onde falaram que teria ônibus de graça. Pensei que fossem ônibus comuns, desses que pego todos os dias, mas eram aqueles de viagem com bancos acolchoados e super confortáveis. E não teve uma fila gigantesca! Foi super rápido, achei bem eficiente.
        Chegando lá só foi festa! Tinham vários stands, vários livros de encherem os olhos e muitas pessoas. Os preços não estavam tão agradáveis assim, mas haviam sebos e também lugares vendendo uns livros menos chamativos por três reais. Quem procurasse bem, acharia uns com preços legais. Por exemplo, no stand da Intrínseca  estavam vendendo "Orgulho e Preconceito e Zumbis" e "Linhas" por oito reais. Também achei que valeu a pena ir para Bienal quem precisava de livros acadêmicos, tinham muitos em conta.




Mackenzie marcando presença na Bienal!


Eu fazendo cosplay de Baratheon no trono
        Uma das partes mais legais da Bienal foi o Encontro de Blogueiros promovido pela Bianca, do blog Hello Star. Lá eu encontrei a Leeh e a Carol do Hangouver at 16, que é um blog parceiro do Spleen Juice. Faz muito tempo que eu queria conhecer a Leeh, além de eu acompanhar o blog, ela também beta minhas fanfics no Fanfic Obsession. Sem falar que ela divide o mesmo amor literário que eu.

Leeh e Carol ♥
        A Bianca do Hello Star fez até um vídeo de várias blogueiras falando sobre o encontro. Eu apareço no 3:11, ignorem meus tiques nervosos.


Thalita Rebouças!
Stands sobre o Jorge Amado

















Eu e meus velhos amigos Bilbo e Gandalf.

Stand sobre a história do livro. 




Ziraldo!
        Se há um lugar legal para se ganhar coisas legais é a Bienal! Saí com dezenas de marcadores de livros, revistas e outras coisas muito interessantes. Vou mostrar algumas.
        Esses foram as lembrancinhas que ganhei no encontro de blogueiros da Editora Biruta e Editora Gaivota. Veio uma sacolinha, dois catálogos da editora, um sketchbook (o amarelinho), uma caneta e uma latinha cheia de balinhas de coração. Achei uma fofura!

        Esse é um bloquinho de notas super bonitinho que estavam dando como brinde. O que eu achei mais interessante é que eles fizeram uma linha de livros sobre matemática, ciências e física todo em mangá! Muito boa a ideia, acho que fica mais fácil e divertido aprender, fiquei com vontade de adquirir um. Quem sabe, compro em breve.

        A primeira é uma revista e o segundo é o primeiro capítulo do livro Toda Sua, um livro erótico na mesma linha que 50 Tons de Cinza. Sinceramente, não boto muita fé nesses livros, parecem romances de bancas exagerados.

        Panfletinhos, um é sobre a China e ensina algumas palavras em chinês. Acho que peguei no stand que tem foto lá em cima que era sobre confucionismo. Soube que tinha stand do Japão lá, mas não achei. O caderninho sobre as Bibliotecas vem com dicas culturais em várias bibliotecas de São Paulo, como essa edição é de Agosto, muita coisa legal já foi. Vou ver se consigo a de setembro.

        Agora vem os marca páginas!  Ganhei de livros, de editoras e de blogueiras do encontro que fui.




Ganhei as revistas que mais gosto na Bienal! Quem coleciona alguma, na Bienal foi uma ótima forma de conseguir edições anteriores por um bom preço. 
Agora, vamos aos livros que comprei. Não foram muitos porque o preço não estava tão em conta e também porque tenho muitos para ler, ainda. Mesmo assim, seria um pecado sair de lá sem levar um, não é mesmo?



Comprei Marina que eu estava louca para ler. Sou super fã do Carlos Ruiz Záfon, principalmente depois de ler A Sombra do Vento e O Jogo do Anjo. Quanto A Maldição do Tigre, eu tinha lido algumas resenhas sobre ele, mas não me lembrava muito da história. Para falar a verdade, nem li a sinopse direito porque fiquei hipnotizada pela capa. Ela é muito linda e toda brilhante! Como a história se passa na Índia (outros livros muito bons se passam nela, vide A Princesinha, O Jardim Secreto, Belezas Perigosas, etc) tenho certeza que vai ter uma leitura exótica e mágica. Os dois foram R$19,90 e achei que valeu a pena, sem falar que são dois livros que eu realmente queria ler.

E vocês? Foram na Bienal? O que acharam?

Obs: Como já devem ter percebido, mudei o layout. Pelo que vi nos comentários, vocês aprovaram e gostaram. Fico muito feliz! Ainda estou arrumando algumas coisas, depois falo mais sobre isso.