O Sapateiro – A Anatomia de um Psicótico

         Quando me deparei com o livro, pensei que por um momento fosse uma obra de ficção no estilo Sweeney Todd. Na verdade, trata-se de uma história verdadeira, escrita por uma psicóloga que analisou a vida inteira de um assassino chamado Joseph Kallinger e o que o fez cometer tais crimes.
         O livro, acho que para algumas pessoas, deve ser maçante, porque além de ser uma biografia, há um bocado de análises. Porém, eu não achei cansativo. Na verdade, eu devorei o livro, achei a história extremamente interessante. Gosto muito de psicologia e adoro ler sobre psicopatas/psicóticos/serial killers, tanto que minha seção favorita da revista Mundo Estranho é o Retrato Falado. Então, só posso concluir que foi um prato cheio.

         A história começa com a infância de Joe, contando alguns pontos significativos. Sua mãe engravidara muito nova dele e colocou-o na adoção depois de três semanas juntos. Joe foi adotado pelos Kallinger, uma família que veio do Império Austro-Húngaro e se instalou nos Estados Unidos. Extremamente religiosos e insensíveis, ele teve uma infância difícil, na qual era maltratado, sofria castigos e não podia brincar nem sair de casa. O objetivo dos Kallinger ao adotar Joe era que ele cuidasse dos seus pais quando ficassem velhos e continuasse com os negócios da família que era ser sapateiro. Esses primeiros acontecimentos foi o estopim para que ele futuramente cometesse seus crimes.
         Uma coisa digna de nota é que Psicopata e Psicótico são coisas diferentes. Psicopata possui falhas de caráter, ele já nasce com essa disfunção e é indiferente aos outros. Geralmente ele só mata alguém se tiver algum lucro com isso, por exemplo, por dinheiro ou poder. O psicótico vai se tornando um através de suas experiências vividas. Maus tratos, estupros, traumas, são algumas das coisas que podem transformar uma pessoa em psicótica. Eles geralmente matam alguma pessoa não por dinheiro ou poder e sim porque acaba misturando realidade com delírios. Eles perdem a noção do que é certo ou errado.
         Joe não só passou por traumas na infância, como ao longo da vida foi passando por diversos problemas até que chegou a gota d’água. O que eu achei impressionante foi os seus delírios, que pareciam extremamente reais conforme eram descritos no livro. Realmente é uma coisa de louco. Os pensamentos que ele tinha também eram um bocado chocantes e impressionantes.

Joseph Kallinger
         Um ponto que foi abordado no livro e acho que é o principal motivo de muitas pessoas surtarem é a repressão sexual. Os pais de Joe eram muito religiosos e tentaram colocar na cabeça do garotinho que o “passarinho” dele nunca iria crescer. O temor do garoto se intensificou quando ele fez uma cirurgia de hérnia e os pais alegaram que o médico havia tirado um “demônio” dele. Esse foi o principal trauma dele que o perseguiu pela vida toda.
         Outra coisa digna de nota é a arma que ele usou em sua vítima: uma faca. Parece algo comum, mas ela aparece em vários momentos de sua vida. Primeiro, na cirurgia e segundo, porque o pai dele tinha uma faca para cortar os sapatos e Joe tinha muito medo dela.
         A história é muito forte e às vezes revira seu estômago. Você acompanha a vida de um menino doce e criativo até ele se tornar um homem perverso e sedento por sangue. E acompanhá-la faz pensar quanto desses assassinos por aí não são fruto da mesma semente ruim que foi plantada na infância? Quantos são julgados como assassinos quando deveriam ter acompanhamento psiquiátrico? Quantas pessoas são assassinadas sem que ninguém tome providência?
         Esse é um dos objetivos de Flora Rheta Schreiber quando decidiu entrevistar Joe Kallinger e coletar informações sobre sua vida. Ela é psicóloga e já escreveu outro livro (que não li) chamado Sybil, que conta a história de uma mulher que tem múltipla personalidade. Flora tenta mostrar o ponto de vista de pessoas que possuem problemas psicológicos, mostrando também suas análises sobre a vida dessas pessoas.
Sinceramente, eu adorei esse livro porque ele mostrou uma realidade que eu desconhecia. Vou ver se encontro Sybil e leio, se for na mesma linha que O Sapateiro, deve ser sensacional.

16 Comentários:

  1. Que livro bacana e fora do comum! Não sabia dessa diferença entre psicopata e psicótico. Bem interessante! Ahh, e adoro essa coisa de análise psicológica/antropológica/sentimental. Gosto muito! E isso da faca é algo bem relevante mesmo nessa análise! Curti mesmo...
    Ahn, gostei do ambiente do seu blog, guria! Muito bom mesmo. Nunca tinha lhe visitado mas você acaba de ganhar um leitor! *-* Já te segui aí.
    Abraços,
    C'est Captivant blog

    ResponderExcluir
  2. Também adoro a parte do Retrato Falado! ahah Sabia que existia uma diferença entre psicopata e psicótico, mas não sabia qual era. Psicóticos, apesar de mais deprimentes, parecem ser mais interessantes (do ponto de vista de estudo ou literário, claro!)...

    ResponderExcluir
  3. Também adoro ler sobre psicopatas, serial killers, é muito empolgante! Esse livro parecer muito bom, fiquei muito afim de ler!

    ResponderExcluir
  4. Oiieee, te seguindo querida ^^

    É Djenifer do blog Dezesseis não é Criança que estava no encontro hoje.


    Super beeeijos
    E logo menos tem cobertura da bienal do livro + fotos do encontro lá no blog.
    http://dezesseisnaoecrianca.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Acho que nao gostaria de ler um livro desse pq ficofacilmente impressionada XD ainda mais historias reais. Mas parece ser um livro bem rico!
    ah o layout ficou otimo ^^

    ResponderExcluir
  6. ooi querida, eu estava ontem no encontro de blogueiros, estou seguindo o seu blog porque amei, é lindin demais *-* parabéns õ/

    http://adoravelrecomeco.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Não gosto muito de livros assim, mas gostei da sua resenha.
    Estava ontem no encontro de blogueiros da bienal e ganhei o cartãozinho do teu blog, estou seguindo viu, super fofo aqui *-*

    www.todomeldaflor.com

    ResponderExcluir
  8. Que massa! Adoro esse tipo de coisa e já pensei em fazer psicologia em algum momento da minha vida, nunca pretendi fazer disso o meu ganha pão, só queria fazer mesmo pra ter a oportunidade de estudar a mente e o comportamento alheios, acho super interessante mesmo. Não sabia que havia uma diferença entre psicótico/psicopata, realmente digníssimo de nota, adorei saber também sobre a faca, do caramba, e vamos combinar que com uns pais desses né... Talvez não fosse um livro que me atrairia numa biblioteca, mas a tua resenha ficou muito boa mesmo, tanto que fiquei interessada em saber mais sobre o tal psicótico.
    Preciso dizer que AMEI o novo lay do Spleen Juice? Ficou tudo muito fofo, Dasty, sério. <3

    ResponderExcluir
  9. Deixei esta resenha para ler por último. A capa não me interessou, o título, e enfim. Comecei a resenha achando que nada no mundo iria me convencer e termino ela com os dados do livro anotados num papel para eu poder comprar. Sua resenha ficou INCRÍVEL, muito boa mesmo. Está difícil achar textos como os seus, tão completos e ricos em argumentos.
    Eu me faço esta mesma pergunta, quantas pessoas condenamos que precisam não de um julgamento, mas de acompanhamento psicológico?
    Eis o mundo que vivemos. Creio que as patologias da mente só tendem a aumentar, os dias estão cada vez mais caóticos e pessoas (como os pais dele) cada vez mais neuradas.
    beijos!

    Chel Lima - http://corujando.org

    ResponderExcluir
  10. tá vendo, me enfiar num psicólogo só por que eu curto pornografia necrofila não vai ajudar, isso é repressão sexual e eu vou crescer querendo matar todo mundo! Haha
    O livro deve ser bem legal, vou procurar. E falando em mundo estranho e psicopatas, vc tem a edição hardcore com os maiores psicopatas?

    ResponderExcluir
  11. eu gosto muito desse tipo de livro e acho muito interessante entender os motivos por trás de um serial killer.
    eu já adicionei ele a minha lista.

    ResponderExcluir
  12. Livro barra pesada hein...
    biografia não faz meu estilo.
    Ah e seu blog ESTÁ MUITO LINDO!!!

    ResponderExcluir
  13. faz meu tipo de livro. rsrs vou procurar.
    adorei o blog.
    to seguindo.
    bjs

    http://www.amodernpinup.com/

    ResponderExcluir
  14. Adoro esses assuntos de serial killers e distúrbios psicológicos em geral. Imagine que seja uma leitura mais densa, mas deve ser muito interessante!

    ResponderExcluir
  15. Ok,definitivamente, quero ler esse livro. Que interessante. Esse é um lado das pessoas que eu não consigo compreender. Mas,sim,elas tem problemas psicológicos. Vou ver se encontro n'algum sebo. Se for um livro acadêmico (como penso que seja),deve ser um pouco caro.
    por Blog Abs ~

    ResponderExcluir
  16. Ansiosa para que a bienal aconteça aqui no RJ ( ano que vem, ainda )! Tenho tanta coisa que gostaria de comprar pra ontem... Adorei o novo layout.


    Ringo, mermaidbox

    ResponderExcluir