O Guia dos Mochileiros da Galáxia – Não entre em pânico!

Lembro que entre meus oito e onze anos eu era simplesmente apaixonada pelo universo. Se você perguntasse o que eu gostaria de ser, responderia astrônoma ou astronauta. Eu devorava livros sobre o universo e meu sonho era decorar o nome de todas estrelas e constelações. Sem falar que sempre quis ter um telescópio. O negócio é que o tempo foi passando e minha fixação pelo universo foi sendo tomado por outras. Mesmo assim, ainda me via fisgada pelo assunto quando assistia Star Wars e alguns documentários no Discovery Chanel.

Já tinha ouvido falar várias vezes do famoso livro O Guia dos Mochileiros da Galáxia, mas meu interesse por ele não era grande até que um amigo me emprestou. No começo, achava a leitura meio sem graça e sem noção, mas aos poucos tudo foi fazendo o maior sentido e fui fisgada por uma das histórias mais legais que tive o prazer de conhecer.


A história começa com o mundano Arthur Dent, um homem que descobre em uma bela manhã que sua casa irá ser destruída. Algo que parecia tão chocante acaba se transformando em algo sem importância quando descobre que a Terra também irá ser destruída pelos Vogons. Quem o avisou foi seu amigo Ford Prefect, que na verdade é veio de um planeta chamado Betelgeuse. Então, quando pensavam que estava tudo acabada, os dois foram teletransportados para a nave dos Vogons. É aí que a aventura começa!
Na história, há um livro eletrônico também chamado O Guia dos Mochileiros da Galáxia, que tem várias dicas para viajante do espaço e fala sobre diversas raças, formas de vida, planetas e até comidas. Por isso, durante a leitura, você irá encontrar diversos trechos informativos. 

Apesar de no começo a história parecer uma confusão, aos poucos tudo vai sendo explicado da maneira mais louca possível. No espaço tudo pode acontecer, então, não fiquem chocados com algumas bizarrices. Sem falar no humor que faz você dar altas risadas.

Outros personagens muito interessantes são Zaphod Beeblerox e Trillian. Arthur e Ford acabam encontrando os dois no caminho. Zaphod é parente de Ford e uma personagem bastante marcante e cheia de trejeitos. Meio orgulhoso e egocêntrico, ele acaba roubando a nave Coração de Ouro (com um objetivo que ninguém sabe ao certo) e levando com ele a terráquea Trillian, uma bonita e inteligente moça. Ah, e claro! Não podemos esquecer-nos de Marvin, o robô depressivo e pessimista! Ele vai ter uma ótima participação no livro também.

Sério, quando terminei de ler o primeiro volume só conseguia lembrar-me do meu antigo sonho de conhecer o universo. Se eu pudesse seguir Ford e Arthur pelas suas aventuras, eu não pensaria duas vezes.


Que venham os próximos volumes!

5 Comentários:

  1. Nossa Marvin é um dos melhores personagens já criados.
    Acabei faz uns 5 dias o terceiro livro da série.
    Só uma palavra descreve: fantástico

    ResponderExcluir
  2. Sou LOUCA pra ler essa série, já quase comprei os livros um bocado de vezes pelo submarino, sempre rolam umas promoções bem bacanas e tal, mas ainda não chegou a hora. Adoro esse tipo de coisa, sou completamente apaixonada pelo céu, estrelas, universo e coisas do tipo, embora eu saiba muito pouco sobre, a beleza de tudo isso me cativa muito. Também sonhava com um telescópio pra chamar de meu, e ainda sonho, mais do que nunca, pra falar a verdade. Enfim, fiquei mais doida ainda pra ler. ♥

    ResponderExcluir
  3. Sou completamente apaixonada por esse livro, mesmo que eu tenha lido há pouco tempo. Eu PRECISO ler os outros livros da série, mas ainda não tenho :( Se forem tão loucos e bons quanto o primeiro eu vou amar.

    ResponderExcluir
  4. Eu quero muito ler esse livro, mas ainda não o encontrei para comprar, amo esse tipo de história doida.
    Eu não era tão fascinado pelo universo, quando criança meu assunto eram dinossauros, eu sonhava em ser um paleontólogo XD
    Abç

    ResponderExcluir
  5. a graça da série do Guia do Mochileiro está justamente na sua confusão caótica e no fato de ele não fazer o menor sentido, e mesmo assim ser coeso em si mesmo. É impossível ler sem dar risada aos montes e sem ficar completamente fã. Douglas Adams era O CARA, e eu queria muito que ele tivesse escrito mais livros. :(
    Beijões!

    ResponderExcluir