Meu amigo blogueiro secreto é...

Eu não conhecia o blog Hannets antes dessa brincadeira de amigo secreto. Então foi uma surpresa para mim e também um desafio: ler todo o blog dela e descobrir o máximo que pudesse para decidir sobre seus presentes. Apesar de ter fuçado em tudo, ainda, um tanto insegura, decidi perguntar a ela um pouco mais sobre si (no site do Amigo Secreto, dá para falar secretamente com quem tirou, sem que ele saiba).
Pronto, agora eu só tinha que colocar minhas cabeça para pensar. Os meus presentes são...

Uma ilustração da Khézia! (Basta clicar para todas as imagens maiores :D)

Um marca página!

Um calendário!


Como percebi que a Khézia gostava muito de ballet, decidi fazer uma mixtape com várias músicas de apresentações de ballet! Agradeço a minha amiga Jaque porque ela me ajudou na escolha das músicas já que ela é pessoa que eu conheço que mais entende de ballet. Para baixá-la, basta clicar nesse link! (Khézia, veja se está tudo ok e se dá para baixar!).

Khézia, espero de coração que você tenha gostado dos presentes. São simples, mas me empenhei muito em fazê-los ♥ Gostei muito de te conhecer e de ter a oportunidade de conhecer seu blog. Assim, como eu, você também quer ser escritora e espero que realize esse sonho. Que esse Natal seja mágico e que o ano de 2013 seja cheio de oportunidades para você!

Então é Natal...

Ela havia perdido seu espírito de Natal. Já fazia um tempo. Pensou que nunca conseguiria achá-lo, apesar de todas as tentativas. Ela colocou até cartazes nos postes, nas lojas, e parecia que nada nem ninguém conseguiria achá-lo. Então, simplesmente parou de tentar. Se ele quisesse voltar, voltaria. Se não, continuaria perdido pelo mundo.

O Espírito de Natal havia se perdido por mais de dois anos. Mesmo assim ela nunca havia o esquecido. Sempre se lembrava dele quando aquela época chegava. Quando as luzes começavam a piscar, quando a música de sinos começava a tocar e quando os filmes infantis americanos começavam a passar na televisão e forçavam a nostalgia.

Ela se lembrava de tê-lo ao seu lado quando pegava seus binóculos e ficava na sacada vendo os prédios e casas com seus pisca-piscas. Quando escrevia sua carta de Natal mesmo quando já estava grande para isso, mesmo quando já sabia que Papai Noel não existia. Escrevia puramente por escrever.
O espírito foi embora e levou tudo isso consigo.

Porém, quem diria que ele voltaria de fininho. Sentaria ao seu lado sem ser notado. Cutucaria ela, faria cócegas, até finalmente perceber sua existência. Foi em uma noite quente de Dezembro. Estavam todos no carro: seus pais, seu irmão, ela e até a cachorrinha. Eles foram levar seu irmão em algum lugar que não tinha tanta importância. O rádio tocava músicas antigas e emocionantes. Passaram por uma praça com árvores enfeitadas de pisca-piscas. Mesmo tarde da noite, as pessoas estavam aos montes na rua.

Ela sentiu uma sensação de conforto. Como se tudo estivesse bem. Como se o Natal não fosse tão ruim assim quanto imaginava. Ela estava com sua família e não havia nada melhor do que isso. O Espírito de Natal abraçou-a. Não havia binóculo, não havia pisca-pisca. Mas aquela sensação boa e quente voltou. Pequena e deliciosa epifania. Estava em casa.

Desejo a todos vocês, leitores, leitores invisíveis, stalkers um ótimo Natal e um 2013 cheio de alegria, oportunidades e riqueza haha ♥ Que vocês realizem os seus sonhos ou que fiquem mais próximos a isso. E desejo muita inspiração e criatividade, porque, para mim, os dois são as coisas mais importantes.
Ah, achei meu Espírito de Natal. Ele estava escondido debaixo do banco do carro dos meus pais. Nunca pensei em procurá-lo lá.

Obs: Estarei viajando durante o período de festas. Então, quem estiver no Amigo Secreto Blogueiro, não se esqueça de postar o "presente" do seu amigo do dia 25 até o dia 31 de Dezembro. Quando eu voltar de viagem, irei postar quem tirou quem.

Wishlist de Natal

Natal chegando e novamente mais uma lista. Ano passado também fiz uma e para minha surpresa, ao longo do ano, consegui ganhar todas as coisas que queria (só faltou o corset e a circle lenses). Essa lista não é bem de Natal, porque eu meio que já ganhei meus presentes e duvido que vou ganhar algo mais além disso, é algo mais como algo que pretendo ganhar durante o ano de 2013 (se o mundo não acabar).

1) Filtros macro: Como lentes são caras, talvez seja mais barato comprar esses filtros macros para minha câmera (para quem não sabe, macro é quando você tira foto de coisas pequenininhas com bastante detalhe, um exemplo é fotos de insetos). Sou louca por macro e não consigo tirar fotos nesse estilo com minha lente. Filtros são mais baratos e já ajudam um pouco.

2) Sapatilha de gatinho da Petite Jolie: Amo gatos e estou absolutamente louca por essa sapatilha. Já liguei em vários lugares perguntando se tem para vender e todas já se esgotaram ):

3) Intax Mini Fujifilm: Câmeras que revelam fotos instantaneamente são um amor. Tenho uma polaroid e quero muito usá-la, só falta achar o filme. O bom da Intax é que ela é digital, então ela só imprimi a foto depois de você dar uma olhadinha e ver se está ok. Com a polaroid, isso fica na surpresa, você não sabe se ela ficará boa até a foto sair.

4) Circo da Noite e A Culpa é das Estrelas: Esses dois livros são os que mais estou querendo ler e ter na minha estante. Adoro a capa de ambos e já li tantas resenhas deles que tenho certeza que não vou me arrepender de comprá-los.

5) Vans: Estou louca por esse vans vermelhinho. Vermelho é minha cor favorita e esse tênis aparenta ser confortável e também bastante usável.

6) Juicy Couture: Decididamente uma das minhas marcas favoritas. Adoro a identidade visual da loja e meu sonho é ter uma bolsa dela. O problema é que são caras!

7) Colar de âncora: Estou em um momento muito navy da vida. Queria muito um colar de âncora para combinar com umas roupas que comprei recentemente. Eu até tinha um chaveiro que dava para usar como colar, mas perdi.

8) Óculos redondos: Vejo muitas meninas no lookbook e até alguns rockeiros usando esse óculos. Um exemplo é o Ozzy Osbourne, é praticamente uma marca dele. Queria muito um desses, não sei se combina com meu tipo de rosto, mas depois eu descubro haha

E vocês? O que vão ganhar de Natal? O que querem ganhar?

O Hobbit - Uma Jornada Inesperada

No dia que eu descobri que iam fazer o filme do Hobbit, simplesmente fiquei super ansiosa para assistir mais um filme baseado nos livros do Tolkien. Sou apaixonada por Senhor dos Anéis desde pequeninha e depois de ter lido os livros, simplesmente me encantei mais ainda.

O Hobbit, para quem não sabe, é uma história anterior ao Senhor dos Anéis que não faz parte da trilogia e que conta como Bilbo Bolseiro conseguiu o anel que posteriormente daria a seu sobrinho Frodo. Mas a história não é só isso.

Os Hobbits são conhecidos pelo seu conforto e por serem caseiros, ou seja, Bilbo nunca sonhou que um dia participaria de uma aventura. Após conversar com Gandalf, o mago cinzento, ele recebe em casa a visita de treze anões e descobre que foi convidado para participar de uma aventura que consistia em ajudá-los a recuperar sua morada que fora invadida por um dragão chamado Smaug. Apesar de repudiar esse tipo de coisa, Bilbo acaba aceitando e embarcando numa perigosa jornada pela Terra Média.


Basicamente é isso. Não precisa ter lido os livros para entender, nem ter assistido Senhor dos Anéis. O legal do filme é que explicaram MUITA coisa. Acho que isso deve ter ajudado mais ainda as pessoas a compreenderem a história.

Gente, achei o filme divertidíssimo! Super engraçado, com cenas de ação muito boas e com uma história que te prende por três horas. Duvido muito que quem não gosta de Senhor dos Anéis não vai gostar desse filme. Enquanto um era mais sério, esse realmente usou o artifício do humor e da diversão para prender a atenção das pessoas.

Outra coisa importante: eles mudaram bastante coisa do livro. Algumas coisas que eles mudaram, se não me engano, eles tiraram algumas informações dos apêndices que aparecem no final do último livro do Senhor dos Anéis. Mesmo assim, as mudanças me agradaram bastante. Eu não fiquei com aquela mania chata de: “Nossa, por que eles mudaram isso? Não é assim no livro”.

A qualidade das cenas também me impressionou muito. Os cenários, caracterização dos personagens, o visual, cada detalhe deixou-me de boca aberta. Bato palmas para a parte dos orcs que vivem no subsolo, achei que eles fizeram um trabalho muito bom. A trilha sonora – algumas músicas já foram utilizadas nos filmes do Senhor dos Anéis – continua incrível e adorei terem colocado algumas músicas que os personagens cantam no livro (colocaram três! Fiquei felicíssima porque adoro as musiquinhas que tem nos livros do Tolkien).

Quanto aos personagens, pela primeira vez senti uma enorme simpatia pelos anões. Era a raça que menos chamava minha atenção e agora tem todo o meu respeito. Divertidos, engraçados, atrapalhados e corajosos, adorei muito a personalidade deles e toda sua história. Fiquei feliz também de alguns personagens de Senhor doa Anéis aparecerem (porque não deveriam) como Galadriel, Elrond e Saruman. E achei legal eles terem feito uma conexão entre os problemas acontecidos no Hobbit com o que vão acontecer posteriormente em Senhor dos Anéis, mesmo que no livro isso não exista (além da existência do anel, obviamente).

Gollum, então, é praticamente a estrela do filme. Não tem como não amar aquela criaturinha asquerosa! Ele foi o que mais arrancou risadas das pessoas e de mim arrancam “awns” por conta dos seus olhos grandes e esbugalhados.

O único ponto negativo que meu cérebro pouco crítico conseguiu captar foram as lutas. Achei algumas rápidas demais, só apareciam vultos e eu ficava: “Nossa, o que está acontecendo agora? Não vejo nada”.

Se vale a pena? Vale muito. Juro, saí do cinema querendo assistir mais umas mil vezes. Quando sair todos os filmes (parece que será uma trilogia), vou ficar feliz em fazer uma “maratona Tolkien” aqui em casa. Quero companhia para os meus DVDs do Senhor dos Anéis.

Obs: Adoooorei o Radagast no filme! Eles fizeram um ótimo trabalho, tanto na caracterização do personagem quanto em sua personalidade (apesar dele não aparecer no livro).

Livros versus E-books

Nunca tive muito preconceito com e-books. Ler na internet nunca foi um problema para mim já que, como sempre fui muito sedenta por leitura, me aventurava por PDFs quando não tinha livros físicos para ler. Mesmo assim, ainda prefiro o bom e velho livro que além da história, vem com um cheirinho viciante e um barulhinho de páginas agradável.
Muitas editoras estão tentando tirar o medo do consumidor quanto a comprar e-books. Acho válido, apesar de ainda não ter muito pique para ler em tablets ou no celular, prefiro no computador mesmo. O único problema que vejo nisso, por enquanto, é o preço. Vejo e-books com o mesmo preço que livros. E se eles tem valores próximos, para que vou comprar e-books se posso comprar livros? Acho que já que não existe o gasto com impressão e árvores não são mortas, no mínimo, um e-book devia ser mais em conta.
Pensando um pouco nisso, a Editora Intrínseca fez um vídeo divertido e bem humorado mostrando as vantagens de se ler e-book e de se ler livros. Achei sensacional e muito bem feito! Segue o vídeo.

As 22 Regras da Pixar


Vi esse post no blog do escritor Fabio Yabu (também criador do Combo Rangers que fez minha infância mais feliz e das Princesas do Mar, que eu assisti mesmo já sendo maiorzinha) e achei muito interessante. As 22 Regras foram baseadas em tweets da Emma Coats que trabalha na Pixar e serve tanto para roteiristas quanto para escritores. Quem traduziu foi o próprio Fabio Yabu.

1. Você admira um personagem mais pelas tentativas dele do que pelos seus sucessos.

2. Você precisa ter em mente aquilo que é interessante para você como público, não aquilo que o diverte como escritor. São coisas BEM diferentes.

3. Tentar escrever sobre um tema é importante, mas você só vai saber do que a história realmente trata quando chegar ao final dela. Agora, reescreva.

4. Era uma vez ___. Todo dia, ___. Um dia, ___. Por causa disso, ___. Por causa daquilo, ___. Até que, finalmente ___.

5. Simplifique. Foque. Junte personagens. Pule os desvios. Vai parecer que você está perdendo algo valioso, mas isso vai te libertar.

6. No que seus personagens são bons? Jogue-os na direção oposta. Desafie-os. Como eles reagem?

7. Crie o final antes de escrever o meio. Sério. Finais são difíceis, deixe o seu funcionando desde já.

8. Quando terminar sua história, entregue-a ainda que não esteja perfeita. Num mundo ideal ela estaria, mas siga em frente. Faça melhor da próxima vez.

9. Quando você estiver bloqueado, faça uma lista do que NÃO aconteceria a seguir. Muitas vezes o material para te desbloquear vai aparecer.

10. Lembre das histórias que você gosta. O que gosta nelas é parte do que você é; e você precisa reconhecer isso antes de usar.

11. Colocar no papel te ajuda a executar. Se a ideia perfeita ficar só na sua cabeça, você nunca vai poder compartilhá-la com ninguém.

12. Descarte a primeira coisa que te vier à mente. E a segunda, a terceira, a quarta, a quinta… tire o óbvio do caminho. Surpreenda-se.

13. Dê opiniões aos seus personagens. Passível e maleável pode parecer agradável conforme você escreve, mas é veneno para o público.

14. Por que você precisa contar ESTA história? Qual a crença queimando dentro de você que mantém a história acesa? Esse é o coração dela.

15. Se você fosse seu personagem, nessa situação, como você se sentiria? Honestidade empresta credibilidade a situações inacreditáveis.

16. O que está em jogo? Dê-nos uma razão para torcer pelos personagens. O que acontece se ele não conseguirem? Dificulte a vida deles.

17. Nenhum trabalho é desperdiçado. Se não está funcionando, desencane e siga em frente, até que ele volte e seja útil mais tarde.

18. Você precisa se conhecer, saber a diferença entre dar o seu melhor e encher linguiça. Uma história é feita de tentativas, não refinamentos.

19. Coincidências que colocam os personagens em apuros são ótimas, coincidências que os tiram delas são trapaça.

20. Exercite-se: pegue os blocos que constróem filmes que você odeia. Como você os montaria de forma que você AMASSE?

21. Você precisa se identificar com as suas situações/personagens, não apenas escrever coisas legais. O que faria você agir da mesma maneira que eles?

22. Qual é a essência da sua história? A maneira mais econômica de contá-la? Se você souber isso, pode partir daí em diante.

Sinceramente, achei as dicas espetaculares. Muito diferente das que a maioria dos escritores e roteiristas dão (a maioria já se tornaram clichês, convenhamos e algumas nem funcionam comigo, principalmente quando se trata de inspiração). Vou começar a pô-las em prática.

12/12/12 - Show do Nightwish


A primeira coisa que precisam saber é que não sou realmente uma fã da banda, quando se trata de metal melódico e derivados, prefiro Within Temptation. Porém, Nightwish é a banda favorita do meu irmão, então fui acompanhá-lo ao show.

Exatamente no dia que meu irmão foi comprar o ingresso ele teve a notícia de que a cantora, Anette Olzon, foi demitida. Odiada por muitos fãs de Nightwish que preferiam a cantora anterior a ela (a famosa Tarja Turunen), muitos compraram o ingresso só porque quem entrou para substituí-la, foi a Floor Jansen (ex-cantora do After Forever e atual cantora do Revamp). Confuso? É, um pouco.

O show foi no Credicard Hall. Como moro no fim do mundo, logo a casa de shows fica onde Judas perdeu as botas. Quase duas horas de viagem. Não posso reclamar tanto porque teve fãs que vieram de outros estados e cidades. Quanto à fila: praticamente vazia. Chegamos três horas da tarde e tinha poucas pessoas na Pista Premium. O motivo é simples, o show foi em uma quarta-feira, muitas pessoas trabalham e estudam. Só começou a chegar bastantes pessoas por volta das sete horas, algum tempo antes do portão abrir.

Fila com poucas pessoas

Quando finalmente todos estavam devidamente instalados deu para perceber que realmente vieram muitas pessoas. Quem abriu o show foi uma banda brasileira chamada Tierramystica. Eles são muito bons! Adorei o fato de usarem bastantes flautas nas músicas, isso realmente trás um ar mais místico a melodia. Só achei que o som dos instrumentos mais alto que do vocalista, demorou para eu perceber que ele estava cantando em inglês.



Achei os fãs de Nightwish beeem desanimados nessa parte. Mas, eu entendo, ninguém sabia a letra, por mais que a banda fosse boa. Saber cantar uma música faz toda diferença na gente. Tierramystica apresentou cinco músicas e depois ficamos esperando ansiosamente pela entrada do Nightwish. Juro, demorou muito. Acho que foram uns vinte minutos, mas pareceu uma eternidade. Eu já estava acabada e minha vontade de sentar no chão e ficar ali era enorme. Porém, estava tão lotado de gente que se eu sentasse, provavelmente seria pisoteada.

Nesse momento eu ainda não estava na grade, mas estava muito próxima, esperando alguma brecha para conseguir chegar lá. Foi quando meu irmão me cutucou: “Olha! Aquela menina está passando mal, se ela sair, nós pegamos o lugar dela!”.

Mal ele falou isso e a menina vomitou. Como ela estava na grade, poderia fazer o favor de vomitar fora, mas como era pedir demais, vomitou nos fãs mesmo. Graças aos céus ela não vomitou em mim nem no meu irmão, mas o menino do lado da gente recebeu vômito na cara! Deu muito dó dele. Outro fã até deu papel para ele se limpar. Confesso que não consegui parar de rir. Sou daquelas malvadas que riem de desgraça alheia (juro que é impossível impedir). O acontecimento até me animou um pouco mais.

Quando o Nightwish entrou, todo mundo esqueceu vômito e finalmente os fãs mostraram para que vieram. Sim, eles são animados. Todos sabiam cantar (menos eu, porque não sou fã e só sabia umas partezinhas das músicas mais famosas tipo Amaranth, Over the Hills and far away) e a Floor Jansen ficou surpresa de ver o quanto gritávamos e cantávamos. Falando nela, ela estava absolutamente linda! O vestido que ela usava também, preciso de um desses no meu guarda-roupa. Achei os integrantes super simpáticos, principalmente o guitarrista Emppu. Toda vez que ele ia beber água (ou bebida alcoólica, sei lá), ele fazia movimentos caricatos e caretas. Também gostei bastante do Marco (baixista e vocal). Quanto ao Tuomas (guitarrista) e Jukka (baterista) não deu para “ter muito contato” já que estavam longe de onde eu estava.






Agora, imagine que no meio do show, na maior loucura, me surge uma menina do meu lado e fala para a amiga: “Eu tomei remédio! Agora estou melhor!”. Eu olho para ela. Ela olha para mim.


Aí percebo que era a menina que tinha vomitado. JESUS, MARIA, JOSÉ, quase morri do coração. E se ela vomitasse em mim? E se ela vomitasse no meu coturno? Sei que ela tomou remédio, mas vai saber.


Graças aos céus, meu irmão conseguiu me colocar na grade e longe da menina. Aí eu consegui enxergar bem melhor. E eu que pensava que ter 1,68m de altura bastava. Para assistir um show decentemente você precisa ter mais 1,70m. E todos ao meu redor pareciam ter isso. Senti-me tão baixinha.

Muitas meninas passaram mal. Vi vários seguranças carregando-as para fora da Pista Premium. Eu tenho pressão baixa, mas ela nunca me deixou na mão a ponto de eu desmaiar. E meu estômago sempre foi muito forte, então, nunca tive muitos problemas.

De qualquer forma, o show foi muito bom! Realmente a banda mereceu todos os gritos e palmas. Todos mandaram muito bem, inclusive a Floor que nem é da banda. E eles sabem bater cabelo que é uma beleza. Invejinha desses metaleiros/as.

Falando nos fãs, fiquei surpresa com a quantidade de adolescentes. Imaginava que teria fãs mais velhos já que a banda é antiga. E também tinha muito gay! Sério, nada contra, só fiquei surpresa, porque esperava aqueles metaleiros barbudos, sabe? Só encontrei fãs mais velhos (os papais mostrando bandas de metal aos filhinhos) dentro da Pista Premium mesmo. Tinha bastantes fãs diversificados.

Quando acabou o show, fui atrás de água e cometi o sacrilégio de pagar cinco reais por uma. Eu estava tão sedenta que nem me importei (em Marketing isso se chama bem de conveniência! São produtos que são comprados em momento de urgência não importando o valor). Meus pés estavam super doloridos e agradeci quando vi que meu pai já estava esperando meu irmão e eu para irmos embora.

Hoje, basicamente acordei com a sensação de ter levados socos e chutes a noite inteira. Meu corpo está dolorido, mas valeu a pena.

Obs: O show só não supera o do Tokio Hotel, porque sou fã deles e eu fiquei tão ansiosa, mas tão ansiosa que eu nem consegui comer e fiquei com depressão pós-show.

Obs2: As fotos não estão muito boas porque foi meu irmão que tirou. Eu não conseguia tirar por causa do meu tamanho :3 não que fossem sair boas, porque estava lotado de gente e todos estavam pulando. Sabe como é que é.

O Amor nos Tempos do Cólera


Conheci esse livro por intermédio de uma amiga da minha mãe. Professora de português, ela me indicara por causa do meu sonho de ser escritora. Lembro-me que não li nem vinte páginas e achei o livro maçante. Os capítulos eram muito longos e havia tanto detalhes que eu me perdia na leitura, então desisti. Com o tempo eu fui perdendo o medo de abandonar livros. Sempre acho que quando não consigo ler algum é porque não é a hora certa. Em outro momento o livro vai me encontrar e estarei preparada.

Para minha surpresa, cerca de um ano depois, o livro parou novamente em minhas mãos. Dessa vez veio de uma biblioteca, mas quem escolhera não fora minha pessoa e sim outro professor, amigo de minha mãe. Ele estava junto com uma pilha de livros que precisavam ser lidos e só agora decidi dar uma nova chance. Dessa vez eu estava mais do que preparada.

O livro é simplesmente maravilhoso. É essa a resposta que dou a todos aqueles que perguntaram para mim o que eu estava achando do livro nesse post. Gabriel García Marquez recebeu mais do que merecido um Prêmio Nobel, porque é um escritor fantástico. Com uma história riquíssima que se passa no Caribe, no fim do século XIX.

Florentino Ariza, um garoto que trabalha em um telégrafo e toca violino se apaixona perdidamente por Fermina Daza, a garota com a trança que sempre vai à escola acompanhada por sua tia. Aos poucos o interesse que parecia apenas vir dele começa a ser correspondido e os dois passam a falar um com o outro por cartas. Quando o pai de Fermina descobre seu romance pueril e distante, leva-a para longe para que se esqueça de seu amor. Por causa de muitas desventuras amorosas, Fermina acaba crescendo e se casando com um homem bem apessoado chamado Juvenal Urbino. Florentino, então, jura amor eterno a ela e decidi que quando seu marido morrer, tê-la-á novamente para si.

Talvez isso seja falta de sensibilidade minha, mas, juro que um amor desses é quase impossível. Florentino teve diversas mulheres em sua vida, porém, nunca se esqueceu de Fermina e realmente esperou, com tamanha credibilidade, que após a morte do esposo, ele conseguiria conquistá-la novamente. O destino podia ser cruel ou não, porque havia diversas possibilidades: ele podia morrer antes disso acontecer, ou ela também.

Vemos-nos envolvido na história da vida dos dois. No começo, eu não tinha muita simpatia por ele e mesmo se terminasse o livro não tendo, eu ainda sentiria falta de saber da vida de ambos. Você se apega a cada acontecimento, desde o mais significante até o mais simples, não importando se terá relevância posteriormente. Gabriel García Marquez faz você entender a história através de todos os sentidos, ele descreve o cheiro, o gosto, a sensação, tudo. Não tem como não ser tragado para o livro.

Porém, eu não sei se realmente Florentino amou Fermina. Eu acho que ele amava a lembrança dela, aquela sensação de que um dia a teria em seus braços. Quando jovens, eles raramente se viam e só se comunicavam por cartas. Eles sequer se conheciam, sabiam poucos detalhes sobre o outro. É como se ele quisesse finalizar algo que sequer começou, e não conseguindo, continuou a vida toda.

Identifiquei-me também bastante com a personalidade de Fermina Daza. Querendo ou não, vi muito de mim nela, a forma racional e muitas vezes rude que ela lida com algumas coisas. E acabei adorando Florentino e seu amor exagerado.

O final é lindíssimo. E termina com uma frase simples e incrível que ficou ecoando na minha cabeça. Decididamente não é um livro que vale a pena ser lido. Ele deve ser lido.

O Amor nos tempos do Cólera

Obs: O livro tem esse título porque a história se passa na época que teve um surto de cólera (a doença) no Caribe.

Obs2: Existe o filme desse livro com a Fernanda Montenegro interpretando a mãe de Florentino Ariza e o filme não é brasileiro! O trailer é emocionante, estou louca para assisti-lo. Quem quiser conferir, basta clicar nesse link. Só achei algumas cenas exageradas. E a trilha sonora é lindíssima!

Doppelgänger


Devo ser um rosto comum. Já ouvi diversas pessoas dizendo que sou parecida com alguém ou que me viram em tal lugar que nunca estive. Teve até um dia que o professor de Ética perguntou se tenho uma irmã que estuda Química na faculdade, porque eu era parecida com ela. Não, nada de irmãs na minha vida.

Algumas vezes fico pensando se aquela lenda alemã maneira dos Doppelgänger é verdade. Acredita-se que todo mundo tem uma cópia negativa de si mesmo andando por aí. Outros falam que só você é capaz de vê-lo e que na verdade ele não é algo ruim. Uns acham que é mau agouro, que se você ver sua cópia, você morre.. Não sei vocês, mas sempre quis ver essas meninas parecidas comigo que os meus amigos acham espalhadas por aí. Como a vez que um amigo disse que me viu na fila do shopping do Morumbi, ou a vez que minhas amigas disseram que me viram em uma feira de profissões. E eu estava em casa o tempo todo.


O negócio é que lá estava eu no ônibus, com a cabeça encostada no vidro, quando noto uma menina do outro lado da rua muito parecida comigo. Simplesmente tomei um susto. Era a coisa mais estranha que já tinha visto. Tudo bem, comecei a reparar e vi que nós não éramos tão parecidas assim, porém, de alguns ângulos, ela podia muito bem se passar por mim. Ver, alguém que lembrava vagamente a minha pessoa, andando por aí deixou-me realmente assustada. Não que eu fosse morrer, porque até agora não morri, mas você está tão acostumado a ver seu rosto em um espelho que faz exatamente o que você faz, que quando vê algo daquele tipo parece fora do comum. Bizarro.

Então o ônibus virou a esquina e eu perdi de vista minha Doppelgänger que deve morar pertinho de mim. Queria saber a reação dela caso me encontrasse pela rua. Ou melhor, talvez não.

Participantes do Amigo Secreto



Aqui vão o nome dos blogs que se inscreveram até agora. Estou fazendo isso, para, se deu algum erro de envio, a pessoa possa me avisar e eu incluir o nome do blog. Também fica mais fácil para quando eu fizer o sorteio, você poder identificar o blog do seu amigo secreto.
Já enviei os e-mails para vocês se cadastrarem no site do Amigo Secreto. Se você não estiver cadastrado até o dia do sorteio (12 de Dezembro), você não participará.

Marina Ribacki - Texto sem leitor
Dani Lima - My Little Corner of the World
Lola - Lola Excêntrica
Olive - Humming Meadow
Bia - Eutophia
Ichigo Hime - Reino do Morango
Paula Januzzi - Ugly Thoughts
Isabel - Distopicamente
Lua Morena - Mantenha a Calma e Escreva
Cadu - Espelho Digital
Nicole - Paranoia Aleatória
Bianca - Two bee
Andrea Mendes - Toffee Drops
Khézia Ribeiro - Hannets
Igor - 7 things
Kamilla Oliveira - Sonhos de Jabuticaba
Luna Nacht - Luna Nacht
Caroline - Yong Bird
Mar - Cielo de Color
Flávia - Donnaflaviaa


Outra coisa legal que eu gostaria de avisar a vocês é que no site do Amigo Secreto, no seu painel (que é um pouco diferente do meu porque sou administradora do grupo) deve ter um ícone escrito Quem eu tirei.
Nele você poderá falar com o seu amigo secreto, sem que ele saiba quem o tirou. Eu acho que é uma ótima forma de você perguntar algumas coisas a ele para ter ideia do presente. Só cuidado com a forma de escrita e o que você vai falar para não deixar suspeitas!
Se a pessoa que te tirou, decidir conversar com você, fale um pouco das coisas que gosta ou da sua personalidade. Quanto a pessoa que chamar, não conte absolutamente nada sobre você.

Projeto 21 - Parte 4

Semana mais difícil de todas. Como estou tendo minhas provas e trabalhos finais, foi uma correria e quase desisti de tirar as fotos porque estava impossível pensar no que fazer. Mas, já que fiz o desafio inteiro até agora, por que não se esforçar para terminar? Acho que as fotos não ficaram tão boas por conta disso. Porém, vamos lá!

I'm so retro
25) Retrô
Retrô é algo novo inspirado em algo antigo, o que é diferente de vintage que é algo realmente antigo. Não pensei duas vezes e peguei meu vestido xadrez, meu lenço do Mackenzie e meu wayfarer aposentado, pesquisei sobre alguns inspirações dos anos 50/60, como Brigitte Bardot e Jane Fonda e deu no que deu. O cigarro é de mentirinha, acho que dá para perceber haha

High tech me
26) Tech
O terma mais fácil de todos, não pensei em duas vezes em tirar uma foto no meu Ipad e colocar no lugar da minha cara. Acho que é minha foto favorita da semana.

Decorated box
27) Feito em casa
Sabe aqueles pessoas com blogs lindinhos cheios de DIY (do it yourself), com passo a passo de como você decorar coisas, transformar outras e deixar o mundo mais lindo e sua cara? Então, eu não sou essa pessoa. Adoraria ser, mas minha coordenação motora é meio limitada e nunca fui muito fã de recortar, colar, cozinhar e essas coisas todas. Gosto apenas de desenhar e nem sei colorir direito. Quando vi esse tema, entrei em pânico. Ainda bem que não era Feito por mim e sim Feito em casa, porque teria um colapso ou desistiria. Então, tirei fotos das caixinhas decoradas que uma amiga da minha mãe fez e ensinou ela aqui em casa. Obviamente eu não sei fazer esse tipo de coisa.

Make-up #3
28) Maquiagem
Me maquiei e tirei fotos. Não gostei do resultado e por falta de tempo e de inspiração acabei enviando essa foto que tirei faz tempo. É.

Christmas smile

29) Sorriso
Outro tema que deixou-me em pânico. Se minha priminha adorável morasse perto de mim, não pensaria duas vezes em tirar foto dela sorrindo. Só que ela mora longe. Tentei tirar fotos da minha pessoa sorrindo, mas eu odeio absolutamente tirar fotos mostrando os dentes porque parece aqueles sorrisos maníacos do tipo "Vou matar você enquanto dorme". Juro. Agradeçam por eu não ter mandado uma foto dessas. O que sobra é esse bonequinho de neve simpático com um sorriso meigo no maior espírito natalino.

Goodbye
30) Adeus
Queria fazer algo simples. Queria escrever alguma coisa relaciona a adeus e tirar foto. Então achei essa frase maravilhosa do Peter Pan: "Never say goodbye because goodbye means going away and going away means forgetting". Não pensei duas vezes e escrevi no meu sketchbook e fotografei.

Agora eu vou postar algumas fotos que tirei durante o projeto, mas que não enviei ou as que tirei por vontade mesmo.

I'm so retro

I'm so retro

Red Shoes

Strawberry Pie #4

Strawberry Pie #3

Strawberry Pie

Strawberry Pie #2

Novamente passei para a semifinal, duas fotos minhas foram escolhida, a 3ª que é do coração e a 6ª que é da careta, por favor, me ajudem a passar para a final! Segue o link