O Amor nos Tempos do Cólera


Conheci esse livro por intermédio de uma amiga da minha mãe. Professora de português, ela me indicara por causa do meu sonho de ser escritora. Lembro-me que não li nem vinte páginas e achei o livro maçante. Os capítulos eram muito longos e havia tanto detalhes que eu me perdia na leitura, então desisti. Com o tempo eu fui perdendo o medo de abandonar livros. Sempre acho que quando não consigo ler algum é porque não é a hora certa. Em outro momento o livro vai me encontrar e estarei preparada.

Para minha surpresa, cerca de um ano depois, o livro parou novamente em minhas mãos. Dessa vez veio de uma biblioteca, mas quem escolhera não fora minha pessoa e sim outro professor, amigo de minha mãe. Ele estava junto com uma pilha de livros que precisavam ser lidos e só agora decidi dar uma nova chance. Dessa vez eu estava mais do que preparada.

O livro é simplesmente maravilhoso. É essa a resposta que dou a todos aqueles que perguntaram para mim o que eu estava achando do livro nesse post. Gabriel García Marquez recebeu mais do que merecido um Prêmio Nobel, porque é um escritor fantástico. Com uma história riquíssima que se passa no Caribe, no fim do século XIX.

Florentino Ariza, um garoto que trabalha em um telégrafo e toca violino se apaixona perdidamente por Fermina Daza, a garota com a trança que sempre vai à escola acompanhada por sua tia. Aos poucos o interesse que parecia apenas vir dele começa a ser correspondido e os dois passam a falar um com o outro por cartas. Quando o pai de Fermina descobre seu romance pueril e distante, leva-a para longe para que se esqueça de seu amor. Por causa de muitas desventuras amorosas, Fermina acaba crescendo e se casando com um homem bem apessoado chamado Juvenal Urbino. Florentino, então, jura amor eterno a ela e decidi que quando seu marido morrer, tê-la-á novamente para si.

Talvez isso seja falta de sensibilidade minha, mas, juro que um amor desses é quase impossível. Florentino teve diversas mulheres em sua vida, porém, nunca se esqueceu de Fermina e realmente esperou, com tamanha credibilidade, que após a morte do esposo, ele conseguiria conquistá-la novamente. O destino podia ser cruel ou não, porque havia diversas possibilidades: ele podia morrer antes disso acontecer, ou ela também.

Vemos-nos envolvido na história da vida dos dois. No começo, eu não tinha muita simpatia por ele e mesmo se terminasse o livro não tendo, eu ainda sentiria falta de saber da vida de ambos. Você se apega a cada acontecimento, desde o mais significante até o mais simples, não importando se terá relevância posteriormente. Gabriel García Marquez faz você entender a história através de todos os sentidos, ele descreve o cheiro, o gosto, a sensação, tudo. Não tem como não ser tragado para o livro.

Porém, eu não sei se realmente Florentino amou Fermina. Eu acho que ele amava a lembrança dela, aquela sensação de que um dia a teria em seus braços. Quando jovens, eles raramente se viam e só se comunicavam por cartas. Eles sequer se conheciam, sabiam poucos detalhes sobre o outro. É como se ele quisesse finalizar algo que sequer começou, e não conseguindo, continuou a vida toda.

Identifiquei-me também bastante com a personalidade de Fermina Daza. Querendo ou não, vi muito de mim nela, a forma racional e muitas vezes rude que ela lida com algumas coisas. E acabei adorando Florentino e seu amor exagerado.

O final é lindíssimo. E termina com uma frase simples e incrível que ficou ecoando na minha cabeça. Decididamente não é um livro que vale a pena ser lido. Ele deve ser lido.

O Amor nos tempos do Cólera

Obs: O livro tem esse título porque a história se passa na época que teve um surto de cólera (a doença) no Caribe.

Obs2: Existe o filme desse livro com a Fernanda Montenegro interpretando a mãe de Florentino Ariza e o filme não é brasileiro! O trailer é emocionante, estou louca para assisti-lo. Quem quiser conferir, basta clicar nesse link. Só achei algumas cenas exageradas. E a trilha sonora é lindíssima!

10 Comentários:

  1. Esse post me deixou com muita, mas muita vontade de ler esse livro. Você escreveu super bem e eu até identifiquei um pouco da minha história na história do Florentino. Já vou marcar como 'desejado' no Skoob.

    ResponderExcluir
  2. EU sinto a necessidade de ler algo do autor. O conheço de nome, não conheço a obra dele e a tua resenha, a forma como você expôs tudo, me deixou querendo ler. Não sou de gostar de capítulos longos e detalhes demais, mas às vezes me rendo a esse tipo de narrativa só para não perder uma boa história. ;)

    Gislaine,
    atualizado, comenta?
    Jeito Inédito
    {ah, eu tô seguindo. Se quiser retribuir ficarei muito agradecida :D}

    ResponderExcluir
  3. Nunca tinha ouvido falar desse livro, gostei muito da sua resenha e fiquei bem interessada em ler!
    Beijinhos!

    Am
    http://www.vinteepoucos.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Acho o filme liiiindo e sou louca pra ler o livro! Assim: demais! Até o próprio Gabriel Garcia Marques fala que foi um dos livros escritos com mais paixão mesmo... mais vicerais!

    Tá na minha lista de próximos! ^^
    ;*

    ResponderExcluir
  5. Você fez um trabalho incrível com o review desse livro, o post ficou muito interessante. Fico em dúvida sobre tentar ler ou não se é tão detalhado, com frequência acho detalhado meio maçante.

    ResponderExcluir
  6. Ouço muitos elogios ao livro e ao autor, mas acho que não estou no momento, sabe?
    Quanto a isso de abandonar livros, tenho opiniões diversas: muitas vezes insisti e deu certo. Acho que se NADA no livro te interessar, realmente abandonar é melhor, mas alguns (especialmente aqueles mais complicados) vale a pena dar uma insistida.

    ResponderExcluir
  7. Meu Deussssssss, eu deveria estar estudando, não era pra eu estar aqui, but, dei uma escorregada pra ver as novidades e vi esse título e eu tinha sido uma das pessoas que te perguntou se você tava gostando da leitura, de modo que não resisti. Já ouvi falarem TANTO desse livro que só Jesus, esse e 100 anos de solidão. Dizem que também é só amor. Os dois estão disponíveis na biblioteca e eu agora fiquei mais louca ainda pra conhecer a história, só Deus sabe quando terei tempo, não tá fácil a vida. .-.

    ResponderExcluir
  8. Estou tendo problemas em comentar nos blogs ultimamente, náo sei porque, mas não consigo... espero que agora dê certo! Enfim, minha mãe me falou muito sobre esse livro já,é bem famoso né? stou lendo Jorge Amado agora; morando aqui no Japão, muito do vocabulário que eu tenho, senti que estava começando a perder, por não usar a língua com tanta frequência. Ler é o melhor remédio pra isso né?

    ResponderExcluir
  9. Nunca tinha ouvido falar nesse livro, mas pelo pouco que li deu pra perceber que além de ser bom e como outras leitoras falaram que morrem de vontade de lê-lo deve ser pelo bom motivo de ser bem famoso.

    shelikesrockn-roll.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Nunca tinha visto esse livro, mas parece ser muito bom.
    Ótima resenha.

    ResponderExcluir