Luxo

Preciso confessar uma coisa: adoro livros fúteis. Adoro livros que contam a história de pessoas podre de ricas e malvadas, que não medem esforços para ferrar os outros desde que se mantenha em sua posição social de sempre. Luxo é um livro que lembra muito Gossip Girl e It Girl, mas com uma diferença: a história se passa no final do século XIX, o que torna tudo um tanto mais interessante.

A história gira em torno de Elizabeth Holland, a garota mais influente de Nova York, que vem de uma das famílias mais ricas e antigas. Após a morte de seu pai e uma temporada na França, os Holland acabam se vendo endividados, então Elizabeth é obrigada a casar com Henry Schoonmake – um rapaz que é tanto bonito e rico quanto canalha e mulherengo. Ele por sua vez está tendo um caso com Penelope Hayes, melhor amiga traiçoeira e falsa de Elizabeth, uma nova rica. Além disso, Elizabeth sente-se dividida, porque, quem ela ama verdadeiramente é o seu cocheiro Will, um amor impossível.

O livro é em terceira pessoa, porém cada capítulo é escrito do ponto de vista de determinado personagem. Os principais são Elizabeth Holland, Diana Holland, Henry Schoonmaker, Penelope Hayes e Lina Bround.

Charles Edward Perugini
Elizabeth Holland é a linda e perfeita garota da alta sociedade de Nova York. Ela foi ensinada portar-se como uma dama a tal ponto de parecer um robô sem vida. Apesar de nutrir uma enorme paixão por seu cocheiro (que quer fugir com ela), ela sabe que precisa cumprir seu papel e salvar o nome de sua família antes que todos descubram que estão falidos. Eu gostei dessa personagem, porém, achei-a sem graça como todos do livro acham.

Diana Holland é a irmã de Elizabeth. Ela é totalmente o contrário da irmã: rebelde, sonhadora, determinada, não tem medo do que os outros vão pensar dela. Quando descobre que está falida, fica até feliz e começa a imaginar um mundo diferente, onde ela pode viver aventuras e romances como os dos livros que lê. Eu simplesmente adorei essa personagem, foi a minha favorita e me conquistou desde as primeiras linhas. É outra que vai ter bastante destaque no livro e deixou-me pensando quem era a principal, ela ou a irmã.

Penelope Hayes é a filha de uma família de novos ricos que estão em ascensão. Inauguraram sua mansão com uma enorme festa para finalmente serem aceitos pela sociedade e pelas famílias mais tradicionais. Ela tem um caso com Henry Schoonmaker e acreditava fielmente que eles se casariam. Possuí uma inveja tremenda de Elizabeth e seu sonho é o ocupar o lugar dela.

Henry Schoonmaker viveu a vida toda apenas aproveitando o máximo dela. Mulheres, bebidas, viagens são as coisas que ele mais preza. Vive sendo notícia dos jornais pelas coisas que faz. Recentemente abandonou Harvard para o desgosto de seu pai que pretende se candidatar a prefeitura. Entre a cruz e a espada, seu pai apresenta uma proposta: ou ele se casa com Elizabeth e se endireita ou vai ser deserdado.

E finalmente, Lina Bround. Ela tem a mesma idade de Elizabeth e é sua criada. As duas eram amigas quando pequenas e brincavam com Will, o cocheiro. Lina começou a ficar com raiva de Elizabeth quando esta cresceu e começou a esquecer da amizade das duas. Totalmente apaixonada por Will, ela decide se vingar de Elizabeth quando descobre que ela tem um caso com o cocheiro. Lina é outra que morrer de inveja de Elizabeth e sonha em tomar seu lugar.

Sinceramente, eu achei a história muito boa! Ela mostra como era o relacionamento das pessoas da alta sociedade daquela época. Todos eram mais ligados por laços de inveja e vingança do que por amizade ou carinho. Manter as aparências eram crucial naquela época, assim como diz um texto que inicia o livro:

Essa era a maneira de agir da velha Nova York... as pessoas tinham mais medo de escândalos do que de doenças, valorizavam mais a decência do que a coragem e achavam que nada era pior do que “cenas”, com exceção do comportamento daqueles que as causavam.
Trecho de A era da inocência, de Edith Wharton.

Outra coisa legal é que cada início de capítulo possui um pequeno trecho: ou é um artigo fictício de algum jornal se referindo a algum dos personagens, ou é um trecho de algum livro sobre como se comportar. Muitos deles mostram ironia comparado ao capítulo que vai se seguir.

Luxo é o primeiro volume de uma série de quatros livros constituído por Luxe (Luxo), Romurs (Intriga), Envy (Inveja) e Splendor. Só os três primeiros livros estão publicados no Brasil. Indico para quem gosta de romances históricos.

15 Comentários:

  1. Incrível como mesmo sendo sem graça sempre tem umas que invejam a mocinha G_G

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha, fiquei com vontade de ler o livro, me pareceu interessante!
    Beijos

    Am
    http://www.vinteepoucos.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Só de você dizer que se passa no final do século XIX já me interessa!!
    Amo livros com enredos que se desenrolam no passado :)

    http://4demarco.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Não vou mentir e dizer que esse é meu estilo favorito de leitura, na verdade pessoas ricas (e lindas) demais me enjoam facilmente e isso faz eu desistir de certos livros. Por isso não fiquei empolgada para ler Luxo, mas não é um livro que eu dispensaria se ganhasse de presente... ficaria esperando mas em algum momento sairia da estante. Afinal de contas se passa na NY do século XIX... hahahaha

    Gih,
    atualizado, comenta?
    Jeito Inédito

    ResponderExcluir
  5. Luxo é esta capa!
    Eu não gosto muito de livros neste estilo gossip girl...
    Protagonista sem graça é tenso. É esta personagem que carrega o livro, se o leitor não tem simpatia pela mocinha e não torce, a coisa fica meio devagar ou chata. Mas geralmente tem "a outra" personagem - que pode ser irmã ou amiga da mocinha - e que salva a história ou deixa a impressão de que ela deveria ser a principal. Fez sentido? Acho que sim:)
    Boa semana Dasty!

    ResponderExcluir
  6. Sou doida por esse livro, pois admito acho a capa LINDAAAAAAA!!!
    bJS
    http://eternamente-princesa.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Não sou muito fan desses livros de ricas e malvadas, mas adoro os romances antigos, sou uma grande fan da jane austen por isso e é uma pena que não tenha mais romances da época realmente famosos, o henry parece ser um personagem super exagerado, não sei o quanto se conseguiria ter mulheres na época e aposto que eu gostaria da Diana.

    ResponderExcluir
  8. Eu gosto de biografias históricas, que costumam ter muito luxo, intriga, inveja.... rs... Quem precisa de ficção quando as histórias reais já são tão incríveis, né? Mas o livro parece ser bem legal!

    http://naomemandeflores.com

    ResponderExcluir
  9. Cara, também curto muito histórias fúteis - histórias fúteis bem escritas. Adoro Gossip Girl pela " dose cavalar de ironia" da autora, mas não consegui passar das primeiras páginas dos Diários de Carrie. Becky Bloom também é fútil, mas legal pq é engraçadinho.
    Gostei bastante do resumo desse livro - mais um para comprar qnd meu jejum de oito meses terminar...

    ResponderExcluir
  10. antes ler esse livro que Gossip Girl/It Girl, não curto muito livros meio de fofoca com cara de hj em dia, sei lá..
    já desse LUXO* só por ter o 'artigo fictício' desse livro que vc indicou parece beeeem bacana! *-*

    ResponderExcluir
  11. Já ouvi falar muito desse livro, mas nunca tinha me interessado, apesar de o seu post ser incrível. Comecei a ler os livros da Gossip Girl e não gostei, mas talvez no futuro eu dê uma chance a essa série Luxo :)
    Você já leu o livro Perdida da Carina Rissi? (a preguiça de olhar no seu skoob me consome hehe)
    O livro não é tanto sobre fofocas, mas também passa no passado e é muito envolvente. Recomendo.

    ResponderExcluir
  12. Não é meu gênero literário, não gosto de livros assim, mas gostei do estilo dos personagens, cada um com seus defeitos. Adorei também a historia, por ser antiga, provavelmente mais plausível que os gossip girl da vida.

    ResponderExcluir
  13. te indiquei para um meme :3
    http://reinodemorango.blogspot.com.br/2013/01/campanha-de-incentivo-leitura.html

    ResponderExcluir
  14. Gostei da ideia de aplicar as futilidades em uma historia do passado. Conheço uma garota que é fa de livros assim também, vou indicar pra ela.

    ResponderExcluir
  15. Legal gostei da historia é bem no estilo que eu curto assim como vc. Vou procurara para ler.

    adorei o blog

    bj

    Leandra - www.cherryboomshop.com

    ResponderExcluir