Okinawa Karatê-do


Sempre fui daquelas pessoas que fugia das aulas de Educação Física como o diabo foge da cruz. Achava totalmente desnecessário ficar correndo atrás de uma bola e preferia passar meu tempo lendo ou estudando. E sempre que eu pensava: “Puxa, preciso fazer algum esporte, sou tão sedentária”, me dava arrepios só de pensar em fazer qualquer coisa que incluísse correr de um lado para o outro e fazer gols. Mas, se há algo que sempre atraiu minha atenção, principalmente em filmes antigos da sessão da tarde, são as artes marciais.

Karatê, Jiu Jitsu, Kung Fu, Muay Thai, Tai Chi Chuan, qualquer um deles me soava como um esporte incrível. Só de pensar que eu podia ter disciplina e força igual ao dos personagens que eu acompanhava na televisão, já me dava vontade de levantar a bunda do sofá e ir fazer algo. Sem falar minha loucura pelo outro lado do mundo onde as pessoas têm olhos puxadinhos. Foi aí que eu descobri um lugar que dava aulas de graça de Karatê. O único problema é que era no horário da minha faculdade.

Como se não bastasse minha falta de tempo, meu irmão começou a fazer aulas e tive que aguentar vê-lo andando por aí de kimono branco e fazendo movimentos que me lembravam de Avatar – A lenda de Aang. Então, apareceu uma oportunidade, mesmo que pequenininha, de eu sentir o gostinho de como é lutar karatê. Dois Senseis (professor em japonês) de Okinawa estavam vindo para o Brasil para uma apresentação e para dar um seminário, então, os treinamentos estavam sendo feito em horários alternativos. Foi aí que eu caí de balão, sem kimono (ou karatê gi), nos treinos.

Se não fosse o meu irmão para me ensinar alguns movimentos básicos antes dos treinos, eu estaria mais perdida do que já estava de fato. Tenho um problema sério de coordenação motora, na qual, além de confundir direita com esquerda e vice-versa, não consigo fazer meu cérebro fazer duas funções ao mesmo tempo, como: dobrar a perna e dar um soco. Ou eu coordeno o que está acontecendo nos membros inferiores ou nos superiores. Quando tenho que prestar atenção nos dois, só consigo ouvir meu cérebro apitando: PÉÉÉÉM, PROBLEMAS, PROBLEMAS! PANE NO SISTEMA, PANE NO SISTEMA!

Frequentei quatro treinos antes do seminário, sendo que três deles contavam com a presença dos Senseis (que são super simpáticos e conseguem se expressar muito bem, mesmo que em japonês). Nem preciso dizer que um dos Senseis, que são irmãos, ficava o tempo todo do meu lado corrigindo cada movimento que eu fazia. E o pior, que eu perdia todo o fio da meada, quando percebia que ele estava tentando me ajudar.

No último domingo (20/10) teve as apresentações de Karatê e de Kobudo (karatê usando armas, como remos, bastões, a espadinha da Electra, foices, entre outros). Eu participei da apresentação dos novatos e achei que até fui bem. As apresentações mais legais decididamente é do Kobudo, não tem como não se lembrar de animes, filmes e desenhos.

Achem-me, há!



Também teve apresentações de dança e dos leões de Shishimai, que já falei nesse post. O Seminário foi com os dois Senseis que nos ensinaram os movimentos de forma detalhadas e nos deram várias dicas da forma correta de se posicionar. Por ter participado, ganhei certificado, toalhinha e uma medalha.


Apesar das poucas aulas, da falta de habilidade da minha parte, adorei cada segundo que passei aprendendo os movimentos e conhecendo as pessoas que frequentavam as aulas. E fico muito triste de saber que de agora em diante, só terei tempo para treinar nas férias.

Obs: Algumas fotos não estão boas porque foram de vídeos. Quando tiver tempo livre (leia-se: vai demorar), eu vou editar os vídeos das apresentações e coloco aqui :D

7 Comentários:

  1. Agora sim hein! Adoro aprender artes marciais... Eu até prefiro do que exercício aeróbico e treino com pesos... (penso que pode ser apenas complementar a arte)

    Pane no sistema, pane no sistema! HAHAHAHAHAHA
    Coordenação é o que me falta também. Quando pergunto informações as pessoas falam "... ai vai para a esquerda..." ou algo do tipo, eu tenho que parar e raciocinar qual é qual a partir da minha mão predominante, dai eu tento prestar atenção no resto que disse, e já perco informação e normalmente para não parecer um retardado, nem pergunto de novo, o que transforma tudo em uma graaande futilidade. =P
    Isso acontece quando me perguntam as informações também, "Você conhece a rua X?" "Conheço, você pega aqui aaa....(pausa dramática)" xD

    ResponderExcluir
  2. eu fiz judô por dois meses, mas apanhava tanto que sai, eu não gosto desse estilo de esporte, meu sonho é vôlei e dança, quero muito fazer algum exercício, porque to acima do peso e a saúde gritando comigo ja.

    abraços,
    www.oquefaltou.com

    ResponderExcluir
  3. Ai que inveja, eu sempre quis praticar alguma arte marcial, feels like a ninja. Mas tenho baixa tolerância a dor, então seria provável que eu não durasse mais que duas aulas apanhando, haha. xD

    E ri litros do "pane no sistema", hahaha
    Eu sempre confundo esquerda com direita, preciso parar e raciocinar qual braço eu uso para escrever (sou destra) enquanto ficam me olhando como se eu fosse retardada, mas é a vida né...

    Nayh's Wonderland

    ResponderExcluir
  4. *o* que sonho de infância. Talvez, um pouco, ate hoje. Eu sei que em um lugar perto da minha casa ensina alguma arte marcial, sempre vejo umas pessoas vestidas kimono.
    Eu te entendo. Tenho esse problema de saber a diferencia entre o direito e esquerdo kkkkk mas acredito que seja normal isso :3

    ResponderExcluir
  5. Nossa que legal, eu adoro caratê. Meu sobrinho faz e fica sempre treinando os movimentos rs.
    Esperoo que você continue e pratique muito. eu pessoalmente prefiro esportes de correr rs, adoro voley e basquete.
    ^^
    Angel Sakura- www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  6. Ah, eu adoro Karate! Fazia até o ano passado, e parece que agora meu corpo voltou ao estado de sedentarismo. Seria legal voltar a fazer, mas só de pensar, sei lá, perco a vontade? Também tenho ótimas chances de fazer Jiu-Jitsu e acho que vou tentar ;-)

    ResponderExcluir
  7. Relaxa, você não é a única que confunde esquerda e direita ASUHASUH Eu viivo fazendo isso, e me sinto até mal por ainda não ter conseguido finalmente aprender e deixar de bobeira.
    E eu sempre pensei exatamente como você. Acredita que tô na faculdade, e exigem que eu faça educação física!? Te juro, aquilo é a morte pra mim. Eu até já pensei em fazer algum esporte, como natação, ou até mesmo correr na praia, mas me diz da onde tiro motivação pra isso? Hahahaha É muito bom que você tenha afinal gostado de algo, e treinou por pelo menos alguns dias! Sério, dizem que faz bem praticar essas coisas, então... Dizem, né, porque... Acho que no fundo ainda prefiro minha vida sedentária mesmo UHASHSU

    xx Carol
    http://hangoverat16.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir