A Grande Gargalhada do Universo


Se há algo que nós fazemos em relação a praticamente tudo nessa vida é ter expectativas. Às vezes é em relação a algo totalmente desinteressante ou algo que pode mudar a nossa vida como uma viagem ou um novo emprego. Eu sou basicamente um pote transbordando de expectativas. Não sei se é o fato de eu passar a maior parte do tempo imersa em livros, mas tenho a tendência de achar que cada passo que dou, algo inesperado e incrível vai aparecer. São coisas desde o nível Amelie Poulain da vida (reparando nas pequenas coisas) até uma nave alienígena espetacular.

Estou devorando lendo um livro chamado Jogador Número 1, que se passa em um mundo futurista e distópico em que as pessoas passam a vida mais dentro dos vídeos games do que no mundo real. Até dá para entender porque todos da história fazem isso, afinal viver em um mundo poluído, pobre e faminto não é tão bom assim. A realidade virtual em que eles vivem é muito mais agradável.

Como nós não temos vídeo games ultrarrealistas (no quesito gráficos, design e sensações), tentamos da nossa humilde forma transformar esse mundo cinzento e tedioso em uma aquarela multicolorida, seja lendo livros, assistindo filmes, desenhando, escrevendo ou, é claro, tendo expectativas. Só que a última é bem chata em relação a qualquer outra forma de “escape”, afinal, em algum momento a realidade vai bater na sua porta para dizer o quão estúpido você tem agido com toda essa sua imaginação. E vai mostrar para você como as coisas realmente funcionam.

E a sensação que eu tenho toda vez que planto e rego umas expectativas, é que em algum lugar desse mundo, há uma risada ecoando dentro da minha cabeça. Olho para os lados tentando descobrir de onde vem e percebo que é A Grande Gargalhada do Universo. E ela consegue ser bem sarcástica quando quer.

6 Comentários:

  1. "O mundo não é um mar de rosas; é um lugar sujo, um lugar cruel, que não quer saber o quanto você é durão. Vai botar você de joelhos e você vai ficar de joelhos para sempre se você deixar. Você, eu, ninguém vai bater tão forte como a vida, mas não se trata de bater forte. Se trata de quanto você aguenta apanhar e seguir em frente, o quanto você é capaz de aguentar e continuar tentando. É assim que se consegue vencer.

    Agora se você sabe do teu valor, então vá atrás do que você merece, mas tem que estar preparado para apanhar. E nada de apontar dedos, dizer que você não consegue por causa dele ou dela, ou de quem quer que seja. Só covardes fazem isso e você não é covarde, você é melhor que isso."

    (Discurso do filme Rocky Balboa para o seu filho)

    ResponderExcluir
  2. Você realmente escreve muito bem, estou cada vez mais encantada com seus textos. :3

    E eu sei bem como é. As vezes demora muito até a realidade bater, mas as vezes você mal terminou de criar a expectativa e já quebra a cara. Só que é quase certeza que ela sempre irá aparecer, debochando das suas tentativas infantis de se livrar dela... Por que é que a gente simplesmente não consegue parar de ter expectativas, né? Parece tão fácil, na teoria...

    E quanto a esse livro, acabei me auto-comprando para mim mesma de aniversário, li várias coisas positivas sobre ele. Pretende resenhar?

    Nayh's Wonderland

    ResponderExcluir
  3. Engraçado, que essa semana meu namorado terminou de ler Jogador Número 1 e ele comentou algo parecido com o seu texto. Eu sou a pessoa que ama criar expectativas e no final das contas elas não acontecem e no fundo eu sabia disso, mas mesmo assim eu quis criar aquilo. ):

    ResponderExcluir
  4. Hahahahaha todos tentam não criar expectativas, e todos falham nisso. Mas acho que tudo bem ter expectativas moderadas, as vezes você vai quebrar a cara e as vezes vai descobrir que a realidade é melhor ainda. Mas se você criar expectativas muito altas (como ver ets) a queda é inevitavel >.<

    ResponderExcluir
  5. Adorei o texto.
    Criar expectativas é uma faca de dois gume torna a derrota pior, porém torna a vitória infinitamente mais godtosa.
    E quebrar a cara Às vezes pe bom, faz ficar mais forte, e a ria junto com o universo rs.
    Angel Sakura @www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  6. Primeiro: Já tinha ouvido falar desse livro. Só fiquei mais curiosa lendo o seu comentário. Eu ia compará-lo com SAO (espero não ter errado a sigla do animê). Mas iria falhar porque não o li...

    Enfim, a problématica das expectativas: eu acredito que a gente sofre menos quando não tem expectativas. Mas, em compensação, não consigo imaginar alguém sem isso como uma pessoa feliz, ou realizada (apenas alienada, no sentido "noiado", sei lá).

    ResponderExcluir