Jogador Número 1 - Ernest Cline


Nasci no começo dos anos 90, mesmo assim, assisti diversos filmes e tive influência dos anos 80 na minha vida. Meus filmes favoritos eram dessa época, como História sem Fim e The Dark Crystal. A mesma coisa digo da cultura japonesa, assisti Ultraman, Godzilla e conhecia alguns animes como Neon Genesis Evangelion e Cowboy Bebop. Os anos 80 era a época dos meus pais. Uma das épocas mais legais, onde as pessoas eram embaladas pelas músicas da Cindy Lauper e Culture Club. Sempre invejei essa época que nunca vivi, mas que vi pela tela da televisão.

O Jogador Número 1 é um prato cheio para qualquer pessoa que goste dos anos 80, de cultura pop, vídeo game e o mundo geek/nerd. A história se passa em 2045, um futuro apocalíptico onde todos passam por maus bocados por conta da fúria da natureza, da escassez de comida e da pobreza. Uma forma de escapar da realidade é “entrando” (literalmente) na realidade virtual chamada OASIS através de dispositivos (luvas, visores, roupas especiais, há uma infinidade de gadgets).

James Halliday, criador do OASIS, acaba morrendo e lança um desafio: quem descobrir as charadas, conseguir as três chaves e passar pelos três portais ficará com a herança dele. E para descobrir, as pessoas precisariam estudar com afinco toda a cultura pop dos anos 80 que está no diário de Halliday, um amante dessa época. Isso foi o estopim para uma caçada lunática atrás das chaves, porém, depois de anos, ninguém conseguira sequer achar a primeira.

“Três chaves escondidas abrem três portões guardados
E três boas qualidades deverão ser inerentes ao errante avaliado
Quem demonstrar ter os exigidos predicados
Chegará ao fim, onde o prêmio será alcançado”

Wade Watts, um rapaz pobre de 17 anos, passou todos esses anos estudando minuciosamente o diário de Halliday em busca de uma chance de vencer o jogo. Escondido através do avatar Parzival, ele finalmente consegue ser o primeiro a achar a primeira chave e transformar completamente sua vida.

OASIS é diferente de tudo que já vi. Não é simplesmente um jogo. É realmente uma outra vida, uma outra forma de viver. Na vida real você pode ser pobre e feio, não ter roupas descoladas nem carrões, mas lá você tem a oportunidade de ser rico, bonito e ter tudo que quiser (porém não é tão fácil assim). Há escolas onde as pessoas podem estudar sem precisar sair de casa, há bares, discotecas e locais onde podem batalhar. A sensação que eu tinha ao ler o livro era a mesma de Wade quando pegava os dispositivos para entrar no jogo: eu realmente estava dentro da história, lutando com Parzival e seus amigos.

Quem narra a história é Wade e é super descritiva. É explicado em mínimos detalhes como funciona OASIS, os dispositivos e tudo que é necessário para entender o enredo. Por mais complexo que seja, acho que não tem como ficar perdido na leitura, mesmo que você não conheça nada dos anos 80. Mas, é bem mais legal quando você entende as referências. Depois de ler o livro fiquei com imensa vontade de jogar todos os vídeo games, assistir todos os filmes, animes e séries, ler todos os livros citados ao longo da história. Deu uma enorme vontade de estudar o fictício diário de Halliday assim como todos aqueles “caçadores” fizeram.

Os personagens também são bem desenvolvidos e passamos a conhecer mais outros caçadores como Art3mis, uma garota durona e inteligente que estudou com afinco o diário de Halliday, Aech, o melhor amigo de Parzival e Shoto e Daito, dois japoneses que por mais que pareçam distantes no começo, ao poucos vão tendo importância na história.

O único ponto negativo que encontrei na história é que achei algumas partes um tanto forçadas e um pouco fora da realidade (da “realidade real” mesmo, não a virtual). Mas, de forma nenhuma isso atrapalhou a enorme experiência que eu tive a lê-lo. Sério, leiam. O mais rápido que vocês puderem.

Obs: Existe um site que tem a lista de todos os filmes, animes, séries, livros, músicas, vídeo games, quadrinhos que foram citados no livro. Se quiser dar uma olhada, procurar alguns para entender melhor, o link está aqui.

Obs2: Gosto muito da versão brasileira da capa (que está acima), mas essa americana é uma gracinha!


19 Comentários:

  1. Aw, que coincidência! Meu Jogador Número 1 chegou ontem e já passei ele na frente de todos os livros que tinha para ler, só preciso terminar Feita de Fumaça e Osso.
    Depois de ler essa resenha, só consegui pensar no anime Sword Art Online, haha. Devo começar a ler esse ainda hoje, mal posso esperar. Adoro muito esses tipos de livros de ficção, cultura pop e jogos.
    E obrigada por ter colocado o link das referências, provavelmente vai ser bem útil já que não conheço tantas coisas assim dos anos 80, haha.

    E hey, ainda estou esperando você mostrar o seu Destrua Esse Diário. <3
    Que tal criar uma Instagram para ir mostrando cada página? Ou fazer um vídeo do progresso (a cada 5~10 páginas finalizadas)?
    Desculpa caso esteja pressionando, é só que sou curiosa demais e adoro ver o que cada um faz do seu Wreck This Journal. :P

    Nayh's Wonderland

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia sim Jogador Número 1! Lembra realmente SAO, a diferença é que se você morre no jogo, você não morre na vida real (e também tem o lance dos anos 80).
      Vou postar sim, é que ainda nem comecei a fazer HAHA

      Excluir
  2. Quero muuito ler esse livro desde o ano passado, quando encontrei sem querer no Google. Mas nunca encontrei em nenhuma livraria, então ainda está na minha wishlist. Gostei da resenha e desse site, que eu ainda não conhecia, valeu Dasty! \o/

    ED e ET

    ResponderExcluir
  3. Estou com esse livro na minha fila de leitura! Todo mundo fala bem. Ótima resenha. :)

    ResponderExcluir
  4. Eu estava querendo muito umas dicas de livro na verdade, e fiquei animada por esse ser todo nerd mas jura que não vai ser ruim se eu não souber quase nada dos anos 80?
    Queria a capa americana, tão linda :<

    ResponderExcluir
  5. preciso colocar esse livro na lista de leitura, adorei a história e viajei completamente em quanto você contava um pouco, deve ser muito bom.

    abraços,
    www.oquefaltou.com

    ResponderExcluir
  6. Comprei esse livro e tava louca pra ler, mas ficou no Brasil :( Enfim, adoro livros cheios de referências, mesmo que não entenda todas...
    Dasty, o novo layout do livro tá liindo! Adorei o desenho!

    ResponderExcluir
  7. Acho que gosto mais da versão brasileira, hahahaha. Estou com este livro aqui em casa há tanto tempo, não criei vergonha na cara para lê-lo até hoje #shameonme. Adorei sua resenha e já estou morrendo de vontade de pegar para ler *-*. Beijos beijos


    Chel Lima
    http://corujando.org

    ResponderExcluir
  8. Adorei a capa da versão americana *-* (A brasileira tbm é bonita!). Com certeza o link com as referências pro livro me deu uma vontade a mais de ler o livro!!! Só tem coisa bacana D:

    ResponderExcluir
  9. eu ainda não li, agora estou mais ansiosa para ler!!! rs
    Obrigada pela resenha!^^
    Angel Sakura @www.euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  10. Olá, amiga!

    A Loja Hot Hot tem produtos da Forever21 e outras marcas para pronta-entrega e frete grátis :-) Se você quiser, dá uma olhadinha em nosso site www.lojahothot.com



    Para ficar pro dentro das novidades, dê um like em nosso FB facebook.com/hothotbr



    beijosss xoxo

    ResponderExcluir
  11. Não conhecia, na verdade nunca tinha ouvido falar, mas achei a história muito interessante. Vou ver se eu consigo ler nesse recesso de ano novo, só que tem 5 livros na lista, será que eu consigo?

    ( ahh o seu blog foi o primeiro que eu vi o Destrua esse diário, quer dizer, eu já tinha visto em outros lugares, videos do youtube, etc. só que do surto, o seu blog foi o primeiro )

    ResponderExcluir
  12. aqueles descobrimentos mágicos que fazemos no blog da dasty são os melhores haha

    ResponderExcluir
  13. Dasty!
    sempre tive vontade de ler esse livro, mas nunca tive a oportunidade. Mas nossa! Sua resenha me animou MUITO para lê-lo, do tipo, vou tentar ir atrás HAHAH
    Gostei muito e, sim, os anos 80 foram <333 talvez a melhor época para ter se vivido - uma pena que não tenhamos feito.
    E gostei muito também da capa americana! Acho que eu gostaria de ter os dois livros HAHAH
    Fiquei morrendo de vontade de ler, amei sua resenha!

    Beijos,
    Leeh - hangoverat16

    ResponderExcluir
  14. Uau que legal! amei sua resenha e sobre o livro to colocando na listinha e provavelmente ele vai passar todos os outros hahaha
    Beijos, Silvia - Equipe Caverna Literária
    caverna-literaria.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Meeeeeeeu Deeeeeeus kkkkk
    Estou super curiosa pra ler e saber como achar essas chaves e como é o OASIS! kkkk

    Menina, também adoro o anos 80 e acho que esse livro seria perfeito, vou ver se acho em alguma livraria ou sebo por aqui.

    Beijão
    http://www.cappuccinoebobagens.com/

    ResponderExcluir
  16. Nem lembrava que Cowboy Bebop e Eva eram tão velhos. Olha, eu nasci ainda nos anos 80. Mas os anos da minha infância e toda a influência subsequente são os 90' (continuo curtindo música pop até hoje, por sinal). Agora, sobre o livro, já tinha ouvido falar (e bem). Fiquei curiosa pra lê-lo. Essa coisa de realidade virtual também é tratada em alguns animês. Em livro é a primeira vez que vejo.

    ResponderExcluir
  17. Amei a resenha, vou colocar o livro em minha lista de desejos :-D

    Beijos da Érika - BR
    http://www.sempreconectada.com/

    ResponderExcluir
  18. Lembrei logo de O Gênio do Videogame (?). Fiquei louca pra ler, faz séculos que eu não leio algo do tipo, achei fantástico demais, pior que eu sempre via esse livro, mas nunca nem me interessei em ler a sinopse. Ai, que saudade daqui. <3

    ResponderExcluir