Ilhabela para gente da gente

Como me formei no final do ano passado, meus amigos decidiram planejar uma viagem, que não fosse muito cara (afinal alguns vão fazer a formatura), mas que desse para aproveitar muito e se divertir. Com a correria do Natal e do Ano Novo e com o aumento de preços, acabamos optando por Ilhabela. Então, como uma jovem cibernética, decidi pesquisar várias coisas legais sobre o local, mas acabei sempre achando as mesmas coisas. A ideia que eu tinha de lá era: uma ilha paradisíaca com quase nada - além de uns lugares caros - e muita natureza. Ainda bem que eu estava errada, porque Ilhabela tem muita coisa boa e em conta.

Transporte: Ilhabela é 4 horas de São Paulo - sem trânsito. Não sei quanto a ônibus, mas acabamos alugando uma van. Para chegar até a ilha, precisa-se esperar pela balsa, como fomos de madrugada, foi bastante rápido. Na volta que foi muito demorado - eram 15h/16h da tarde - e ficamos uma hora esperando para poder atravessar. A balsa é muito legal! Pensei que iria ficar com medo, mas é bastante gostoso. Vale a pena sair do carro e ficar na beirada vendo o mar. Você pode ir sem carro e sentar nos banquinhos.


Eu sensualizando na piscina (sqn)
Hospedagem: Pela primeira vez fiquei em um hostel, o Ilhabela Hostel. Para quem não sabe, é um local que você dorme e compartilha seu quarto com outras pessoas. Como fomos em 10 pessoas, acabamos fechando um quarto para nós (com 8 lugares) e mais um (para as duas pessoas que sobraram). Não tenho muitos parâmetros, mas o hostel atendeu minhas expectativas. O colchão da cama era super gostoso e eu dormi feito uma pedra. Tem uma sala comunitária para assistir televisão, uma cozinha, piscina e wi-fi. Os banheiros ficam um pouco a desejar (não tinha sabonete e toalhinha para secar a mão). O café da manhã era bem simples, pão com manteiga e café com leite. Mas a localização é muito boa. Perto dele tinha vários restaurantes, farmácias, bancos e o Supermercado do Frade (que era MUITO bom, tinham muitas opções de comida). A diária era 60 reais por dia e valeu a pena. Tem fotos do hostel no site (parecem mais bonitas do que realmente é hahahaha).



A ilha: A cidadezinha na Ilhabela, pelo que entendi tem duas partes: o centrinho e a vila. O centrinho é onde eu fiquei e, como escrevi antes, tem muitos estabelecimentos úteis. É um lugar que eu conseguiria viver facilmente. A vila é um lugar maravilhoso! As lojas e estabelecimentos são super bonitos, com arquiteturas chamativas e lindas decorações. Tem dezenas de restaurantes que vão do barato ao caro. Para quem está acostumado com o custo de vida em São Paulo, praticamente é o mesmo em Ilhabela.




Eu acabei comendo em uma Hamburgueria Bar chamada Borrachudo. A minha escolha foi um hamburguer de siri! Sim, eu fiquei super emocionada ao saber que iria provar um dos pratos mais famosos do mundo dos desenhos. Achei muito gostoso, principalmente o molho que usaram. Aposto que foi o Bob Esponja que fez hahaha



Locomoção na ilha: Existem duas formas de decidir como você irá se locomover na ilha: Você tem muito dinheiro ou não? Se você tiver uma graninha, tem vários quiosques na praia do Perequê que fazem visitas guiadas com escunas, barcos ou jipes. O jipe está por volta de 80 reais e a escuna 150. Vale a pena ir em vários quiosques para verificar os preços e as rotas. Tem passeios que vão apenas em uma praia, em várias praias e nas cachoeiras. A forma mais barata de se transportar é o ônibus (e mesmo assim, foi com o que eu mais gastei na viagem), o preço está 3,70 e 2,70 com o bilhete de Ilhabela. Não tenha medo de perguntar para as pessoas como chegar nas praias ou em determinados lugares, todo mundo foi muito solicito e explicou direitinho. Se você está de carro, facilita para chegar nas praias, MAS os estacionamentos são caros. Se quer uma dica, é preferível deixar o carro em um estacionamento caro, do que deixar o carro perto dos barrancos. Cai muita pedra e vi um carro com o vidro frontal detonado.

As praias: Existem muitas praias em Ilhabela e elas são divididas em duas opções: a de fácil acesso (com ônibus e carro) e as de difícil acesso (apenas com jipe ou com escuna/barco). Eu fui em duas praias, a Praia do Curral e a Ilha das Cabras.

Praia do Curral: É uma das mais famosas da ilha e é cheia de gente rica. Você olha para o mar e vê dezenas de barcos e iates. Lá que fica um dos hotéis mais famosos, o DPNY Beach Hotel & SPA. Mas você nem repara tanto na riqueza perto de tanta beleza natural. O mar é muito gostoso, praticamente não tem ondas e você consegue nadar livremente. A areia que é um pouco chatinha, ela é grossa e gruda muito no corpo. Na parte esquerda da praia tem várias pedras. O pessoal ia lá tirar foto e explorar, mas eu não tive coragem.


Na hora do almoço, decidimos ir em um dos quiosques da praia. As porções eram caríssimas e acabamos pedindo um Almoço Kids (que devia ser do tamanho normal), mas como demorou muito e o atendente estava de mal humor, decidimos cancelar o pedido. Fomos em um PF, chamado Bervely Hills atrás do quiosque Papagaio, super humilde. Mesmo assim, fomos bem atendidos e a comida era super gostosa e em conta. Como podem ver na foto ao lado: Puro luxo. 

Ilha das Cabras: É uma praia pequena - e lotada - com uma ilha logo em frente que dá o nome ao local. A praia também é bonita, mas bem mais natureza que a Praia do Curral, porque é um Santuário Ecológico Submarino. A água é beeem clarinha, dá para enxergar bem o que está abaixo de você - um cara jurou que viu uma arraia pequena -, dizem que você pode ver tartarugas, estrelas do mar e cavalos marinhos, mas eu não vi nada. Um dos problemas é que tem muitas pedras e você precisa tomar cuidado ao andar para não escorregar ou se machucar. Também, conforme passa o dia, o mar vai avançando cada vez mais, diminuindo a praia mais ainda. Não tem quiosques, mas atrás da praia tem vários restaurantes e um hotel.



Eu almocei no Hotel Colonial - que é lindo demais por causa da sua arquitetura e da sua cor amarelona -, ele aparenta ser caro, mas o prato executivo sai por R$20 e é super gostoso, dá para você escolher a carne e o acompanhamento. Eles também possuem uma sorveteria com sorvetes artesanais - a bola é R$5,00. Eu provei o de morango com água (tem o com leite) e é um dos melhores sorvetes que já experimentei. 


IMPORTANTÍSSIMO: Leve repelente. Tem muito borrachudo pela ilha inteira. Eu imaginava que fossem pernilongos gigantes, mas eles são minúsculos e deixam crateras enormes no seu pé que coçam demais. Se você tiver alergia, pior ainda. Então, é de extrema importância que você passe repelente de hora em hora - apesar de, sinceramente, não funcionar muito não.











 









Para concluir, gastei cerca de R$500 com a viagem. Só posso dizer que AMEI Ilhabela. Foram apenas 3 dias, deu para aproveitar muito, mas ainda há muita coisa para conhecer. Ficar em contato com a natureza me encheu de energias boas e agora sim posso dizer que 2016 começou muito bem. E digo para vocês: dá sim para aproveitar muita coisa com pouca grana.

3 Comentários:

  1. Esse lugar é muito lindo!!! Queria ir para lugares assim e conhecer o mar pela primeira vez.

    ResponderExcluir
  2. Oi Dani!
    Primeira vez que vim ao seu blog e estou encantada! A sua foto de cabelo ruivo-lindo lá no Skoob me chamou atenção, então resolvi espiar seu perfil e cheguei aqui. O seu blog é lindo, amei as cores do layout! :)

    Ah, mas que lugar paradisíaco! Já ouvi falar muito bem sobre Ilhabela, e deve ser o lugar perfeito pra tirar férias. Só de olhar essa água tão azul me lembrei de quando fui para Campeche, uma praia de Santa Catarina que só é acessível de escuna (como a que você comentou), e é o paraíso na Terra, hahaha! Água limpinha, dá pra ver os pés e... sério. Você me entendeu, né? Haha! Aqui no Sul tá um pouco friozinho nesses últimos dias, e eu fiquei morrendo de vontade de ir pra aí, no calor, e pular nessa água!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Se a falta de toalhinha de rosto foi o maior mal do hostel você deu uma sorte imensa, eu sempre fico em hostels nos passeios da faculdades e NUNCA consegui um chuveiro que não fosse frio! Banho quente não há! Mas que delicia, as praias são super bonitas vocês devem ter aproveitado bastante

    ResponderExcluir