Mamãe, quero ser fitness!


Tudo começou no final do ano passado, quando passei por um momento não muito fácil de lidar e precisei tomar uma decisão na minha vida. Sou uma pessoa que afunda muito fácil na própria tristeza e se eu deixar me levar, me afogo. Então, a única forma de me deixar feliz é me fazendo esquecer o que me deixa triste e, para esquecer, eu preciso fazer e aprender coisas novas. Algo que eu estava querendo muito e estava procrastinando era entrar na academia (de novo) e dessa vez se dedicar para valer. Minha ideia inicial era ganhar massa, já que não tinha muito interesse em emagrecer e achava meus 61 kilos ok.
Por indicação de uma antiga professora minha, acabei me matriculando em uma academia que não é muito longe de casa, mas também não é perto. Um dos motivos da escolha era o fato de ter várias artes marciais em horários compatíveis com os meus. No começo, a identidade visual amarela do local era um pouco intimidador, principalmente porque todos que trabalham lá são super alto astral e eu sou uma pessoa das trevas. Demorou um pouco para eu me acostumar aos cumprimentos e diálogos calorosos. Teve até uma vez que o monitor, enquanto eu estava fazendo perna com minha cara de poucos amigos, pediu para eu sorrir. QUEM SORRI FAZENDO PERNA?

É, não.
Mas o que eu podia fazer sorrindo, não importando a dor são as artes marciais. Além do meu amado karatê, comecei a fazer jiu jitsu, taekwondo, krav maga, muay thai (e fazia uma atrás da outra sem direito a descanso de tanta empolgação). Meu condicionamento melhorou muito e minha força também. Meus amigos do karatê perceberam que meus socos e chutes ficaram mais fortes e doloridos, que meu alongamento melhorou e que estou dando mais trabalho. Foi muito bom perceber esse avanço porque, por mais que eu goste muito de lutar, eu não me saía tão bem quanto gostaria. Ainda há MUITO para melhorar, mas o que já consegui é realmente uma superação - afinal nunca fui uma pessoa com um bom controle corporal, ainda confundo direita e esquerda.
Eu sabia que além da musculação e das aulas de artes marciais, era necessário fazer uma dieta, começar a comer alimentos mais saudáveis, com pouca gordura, bastante proteína e blá blá blá, mas a preguiça era demais. Tudo mudou graças a um simples envelope branco: eu estava com pré-diabetes.
Minha mãe e meus avós são diabéticos, ou seja, eu já sabia que um dia poderia ter. Mas imaginava que fosse quando eu tivesse mais de 40/50 anos e não com 20 e poucos.


Sempre comi de tudo e gosto muito de alimentos naturais, mas também sempre comi muita besteira. Comia chocolate quase todos os dias e também me entupia de carboidratos. O resultado do exame me chocou tanto que no dia seguinte, decidi cortar tudo que fosse prejudicial a minha saúde: doces, pães, massas, refrigerante e tudo que há de bom. Fui no Mundo Verde mais perto de casa e comprei pão integral sem açúcar, chocolate sem açúcar (e sem lactose e glúten!), mix de castanhas, e outras coisas nessa vibe. 
E foi mais fácil do que pensava. Percebi que a necessidade extrema de chocolate que eu tinha, não era tão extrema assim. Percebi que o preço de um Doritos é quase o mesmo de um salgadinho orgânico e que o chocolate sem açúcar - realmente saudável, não aqueles diet ruins - tinha o mesmo preço de um com. Percebi que frutas ajudam você a ter menos necessidade de comer besteiras - sempre vi sites falando sobre isso, mas não acreditava. Mesmo assim, ainda como de vez enquanto um doce ou algo mais gorduroso. Se saio com meus amigos e eles vão a uma pizzaria ou hamburgueria, eu peço a mesma coisa que eles e como sem culpa porque sei que durante a semana fui um pouco mais regrada.
Juntando a dieta mais as 4 horas que fico na academia (é), em três meses perdi 6 kg. Cheguei a 55 kg, mas acabei ganhando mais 2 kg de massa magra, então fechei com 57 kg.



No começo, não gostei de ter emagrecido tanto porque perdi bunda e peito. Mas fiquei tão feliz de ver que perdi aquela pochetinha da barriga, que minha cintura ficou mais realçada e minhas bochechas diminuíram, que nem me importei com o que perdi. O próximo objetivo é ganhar um pouco mais de massa - que está sendo o mais difícil. Haja paciência.

Quem sabe um dia, né
PS: Ainda vou fazer um post falando sobre as artes marciais que pratico. Poderia ficar falando sobre isso o dia inteiro de tanto amor.

4 Comentários:

  1. Que linda! Amei o seu post!!! Morro de vontade de fazer artes marciais, mas aqui só tem em uma academia e só vai homens (gigantes!) então é bem intimidador, mas eu já fiz muay thai e gostava bastante!
    Sobre a sua alimentação: está ótima! Você está vivendo em equilíbrio, é isso aí! A gente controla tudo o que dá e seleciona os momentos de "comer besteira". Muito melhor do que comer uma barra de chocolates vendo tv sozinha é ir numa lancheria com os amigos! Parabéns! Você está no caminho certo ;)

    Beijos da Vaca ♡

    http://vacasmagras.com/

    ResponderExcluir
  2. Que bom que você se encontrou na academia, nos exercícios físicos...
    Já eu, morro de vontade de ter uma rotina de academia, mas no momento está simplesmente impossível encaixar isso na minha rotina... O jeito é fazer exercício em casa, como nos tempos do ballet. =}

    ResponderExcluir
  3. Eu comecei a academia esse ano com o maior medo de perder mais peso ainda, 58 quilos pra 1,74 de altura já é demais né, mas fiquei super feliz que j´ganhei 2 :)
    As academias aqui são muito ruins, mas indo com meu namorado ele faz meu treino e vê se eu to fazendo direitinho (que os professores péssimos não dão a mínima)

    Tenho muita vontade de tentar alguma aula de luta, mas como aqui paga a parte não empolguei tanto assim, mas quem sabe um dia! Tenho muita curiosidade sobre pole dance também, mas parece impossível hahaha

    ResponderExcluir
  4. Dani, seu corpo está lindo! Eu queria fazer algo diferente, pois não gosto muito de academia... mas acho que vai ser o jeito de me exercitar rs
    Beijão!
    http://www.outrodetalhe.com

    ResponderExcluir